Corte de Asas e Ruína - ACOTAR #03

Autora: Sarah J. Maas
Título original: A Court of Wings and Ruin
Tradução: Mariana Kohnert
Série: Corte de espinhos e rosas
Editora: Galera Record
Páginas: 686
Onde encontrar: AmazonBr | Saraiva | Sumbarino
Classificação: +16

| Livro cedido em parceria com a Galera Record |

Sinopse:  A ameaça de guerra paira sobre todos os Feyre ama neste terceiro volume da série Corte de Espinhos e Rosas. Feyre retornou a Corte Primaveril determinada a coletar informações sobre as manobras de Tamlin e do rei invasor, que ameaça subjugar Prythian ao seu poder. Mas, para fazê-lo, ela deve jogar um perigoso jogo de mentiras - e um deslize pode significar condenação não só para Feyre, mas para seu mundo também. À medida que a guerra se apodera de todos eles, Feyre deve decidir em quem confiar entre os deslumbrantes e letais Grão-Feéricos - e procurar aliados em lugares inesperados.  Neste emocionante terceiro livro da série de Sarah J. Maas, a terra será pintada de vermelho enquanto exércitos poderosos lutam para controlar e se apoderar da única coisa que poderia destruir a todos.
Feliz Ano Novo, pessoal! Como estou falando com vocês apenas agora, achei justo estender meu próprios cumprimentos, considerando o tempo que passaremos juntos nessa resenha. Corte de Asas e Ruína foi minha primeira leitura do ano (a versão traduzida, pelo menos). E nada mais justo para com o amor que eu sinto por Sarah J. Maas do que fazer dele a minha primeira resenha do ano. Como vocês podem saber, se acompanham o LOHS há um tempo, eu sou simplesmente apaixonada por essa mulher e por tudo o que ela escreve. Essa trilogia, Corte de Espinhos e Rosas, ganhou meu coração de tal forma, que seu segundo volume, Corte de Névoa e Fúria, é meu livro favorito da vida inteira. Sério.

ACOWAR (acrônimo em inglês deste terceiro volume) fecha a trilogia principal narrada por Feyre Archeron, nossa destemida caçadora. Li-o pela primeira vez em maio de 2017, quando foi lançado e meu coração encontrou paz ao descobrir que Sarah escreveria ainda mais a respeito desse mundo mágico. O lançamento americano ocorrerá em maio de 2018! Cinco meses e contando...

Eu não vou nem tentar traduzir este título, porque
quero só esperar para ver o que a Galera fará nisso aqui. 

Esta novela será a ponte entre este último volume e os próximos romances spin-off no mundo de Prythian. O grito que eu dei quando descobri que teríamos mais livros não pode ser descrito. Porque, para o mundo externo foi apenas um ganido; internamente, foi como se eu pudesse respirar livremente mais uma vez. O que realmente é algo a ser considerado, porque a rainha Maas está grávida! E para quando é o bebê?! Maio de 2018. Eu vou amar tanto essa criança que eu não tenho nem mais condições. 

Feitas essas considerações inicias: vamos para a resenha desse livro de respeito? Já aviso que esta resenha estará cheia de amor, devoção e sentimentos. Porque este volume final foi tudo o que uma leitora poderia pedir em um final de trilogia. Embrace yourselves!

Parte 1 - Princesa da Putrefação


Depois dos acontecimentos catastróficos em Hybern no final de ACOMAF, Feyre está de volta à Corte Primaveril. Sua missão lá é simples: descobrir os possíveis planos do rei de Hybern e vingar-se de Tamlin pelo que foi feito a ela e a suas irmãs"- Você pode estar disposto a se ajoelhar diante de Hybern, mas eu certamente não estou." Feyre, p. 75 Para tal, ela entrará no papel que esperam dela de frágil, dócil e quebrada mulher, torturada pelos "terríveis monstros da Corte Noturna". Monstros que são, na verdade, a família de Feyra, a Corte dos Sonhos, os amigos e o parceiro que a salvaram da escuridão de Amarantha e dos abusos de Tamlin. "Repetia seus nomes silenciosamente, diversas vezes, para a escuridão. Rhysand. Mor. Cassian. Amren. Elain. Nestha." Feyre, p. 85

Nessa primeira parte, veremos generais de Hybern procurando por possíveis pontos para libertar o poder do Caldeirão. Veremos Jurian, um homem que lutou pelos humanos na última guerra - há 500 anos - e que agora planeja ao lado de um monstro que deseja a todo custo e com toda a crueldade tomar as terras humanas. É isso que enfrentaremos nesse livro. Guerra. A guerra chegou. E nossa Corte dos Sonhos fará tudo o que estiver em seu poder para salvar Prythian e as terras humanas. 
"Há séculos o povo de Hybern está apodrecendo. Hybern permitiu que o ressentimento pela crescente estagnação e pela pobreza apodrecesse." Amren
E este é um dos pontos mais importantes que o livro discute implicitamente: Ódio vs. Amor. A intolerância e o preconceito entre as espécies alimenta ódio há séculos. E essa guerra pode ser a chance de os sonhadores finalmente transformarem o mundo em um lugar melhor. “Mesmo para um imortal, não havia tempo o suficiente na vida para desperdiçar com ódio. Sentindo ódio e despejando-o no mundo.” Feyre, p. 675 Isto é... se sobreviverem. Porque a ameaça é real e forte. Mais forte do que nossa corte pode enfrentar sozinha. 
"Sabíamos - todos nós sabíamos. Sabíamos que não sairíamos com vida daquele campo de batalha."


Parte 2 - Quebradora da Maldição


Falar a respeito desse livro é impossível. Acontece tanta coisa nessas 686 páginas que eu não posso simplesmente chegar aqui e contar a respeito de como surtei em cada capítulo dessa obra-prima. Eu poderia, na verdade, mas eu acho melhor não. Por isso, farei o meu melhor para passar a vocês toda a esplendorosidade que Maas reserva para nós nesse terceiro volume.


Comecemos com a razão da minha existência: Feysand. O arco de cura de Feyre é magnífico. Uma das coisas mais lindas que eu já li na vida. E seu relacionamento com Rhysand é o tipo de coisa que você deseja ter de verdade. É sincero, altruísta e empoderador. Tudo o que você espera de um livro da rainha Maas. Quando os dois finalmente se reúnem não tem espaço no meu coração de tão inchado que ele fica. Eles são perfeitos. O Grão-Senhor e a Grã-Senhora da Corte Noturna, os principais sonhadores nessa empreitada contra Hybern. Seus próprios melhores amigos. Parceiros. Preciosos
"- Será que um dia vai passar? - refletiu ele, mais para si que para mim quando outro dedo se juntou àquele que deslizava para dentro e para fora de mim com carícias provocadoras, indolentes. - Desejar você, a cada hora, com cada fôlego. Não acho que suporto mil anos disso. - Meu quadril se movia com Rhys, guiando-o mais para dentro. - Pense no quanto minha produtividade vai cair." Rhys, p. 311
Feyre, apesar de marcada pelo que precisou fazer em seu passado, consegue aceitar a si mesma. Sendo parceira de Rhysand e Grã-Senhora, ela - agora - aprenderá a lidar com suas responsabilidades e seus próprios poderes. Rhysand é o macho mais maravilhoso e altruísta que esse mundo já viu. "Muito. Rhysand já dera muito, e ainda parecia achar que não era o bastante." Feyre, p. 200 Ele está disposto a tudo para deter a guerra que Hybern trama há mais de 50 anos. Seu primeiro instinto é se sacrificar para que possa proteger as pessoas que ama: seu povo, sua família. 

Sendo o Grão-Senhor mais poderoso da história de Prythian, você acharia que seria fácil, porém existem outros jogadores nesse tabuleiro. Conheceremos um pouco mais todos os Grão-Senhores de Prythian em uma reunião de emergência, um conselho de guerra. Uma tentativa de unir um exército capaz de confrontar as forças de Hybern. 
"- Será preciso tudo, sabe? Para tentar me impedir. Tudo o que você tem. E, ainda assim, não será o bastante." Rei de Hybern, p. 359



Tamlin, Kallias, Tarquin, Beron ao sul. Thesan, Hellion, Rhysand (e Feyra) ao norte. Eles precisarão lutar para confiar uns nos outros e construir uma aliança baseada em confiança. Aliados esquecidos pelo mundo há mais de 500 anos foram procurados. Terras distantes que acreditam nas alegações de Hybern precisaram ser distraídas. E uma última esperança de número recai sobre as forças humanas. As rainhas já traíram seu povo depois da promessa de imortalidade. Porém, Elain e Nestha - assim como Feyre - tomarão para si a responsabilidade de salvar o maior número possível de inocentes. E para tal, nossa Grã-Senhora precisará a recorrer a outros súditos de sua Corte, aqueles que ninguém ousa encarar.
"- Isso pode ser... uma ideia muito ruim.
- Ah, certamente é. Mas isso é guerra. Não temos o luxo de ter boas ideias, apenas escolher entre ideias ruins." Feyre e Cassian, p. 237
Falando nas irmãs Archeron... o que as duas enfrentaram depois que saíram do Caldeirão será bem trabalhado neste volume, porém espero que seja muito mais elaborado em spin-off futuros. Porque é isso que Maas faz com minha sanidade mental. Ela me apresenta inícios de relacionamentos complexos e verossímeis e depois me deixa com essa vontade imensurável de saber mais sobre o futuro dessas personagens que se tornaram a minha família. Elain continua sendo boa, delicada e gentil, porém está mais distante, falando coisas que os outros não entendem. Nestha, sua mais destemida protetora, forjada em aço, teve suas características ressaltadas - cumprindo a promessa que fez ao Rei de Hybern quando ele a forçou n'O Caldeirão. 
"Se Elain era uma flor naquele acampamento de guerra, então Nestha... ela era uma espada recém-forjada, esperando para tirar sangue." Feyre, p. 477
E pensar que eu cheguei a odiá-las em ACOTAR. Vendo o quanto o relacionamento delas amadureceu, eu só fico mais e mais orgulhosa da escrita de Maas e da vida que ela cria com suas palavras poderosas e cuidadosas. Conhecemos essas personagens tão bem que é quase possível tocá-las, porque sentir - isso com certeza já sabemos que é possível.

Azriel e Cass são os guerreiros illyrianos mais fortes da história. Portante, nada mais justo que estejam destinados a lutar e proteger duas das criaturas Feitas pelo Caldeirão. Sinto cheiro de OTP no ar? Sim! Complicações como laços de parceria podem ser resolvidos posteriormente, certo? Porque NADA me tira da cabeça as comparações que podemos fazer com TOG. E todo mundo sabe como pobre Rowan foi enganado, certo? Então tá bom.

Quanto à Amrem e Mor? O que dizer a respeito da segunda e terceira na hierarquia da Corte dos Sonhos? Elas também completaram seus ciclos na trilogia, porém descobrimos coisas a respeitos das duas que simplesmente exigem um livro inteiro para explicá-las, desenvolvê-las e concluí-las de alguma forma (um final feliz, por favor, Sarah). Ambas antigas e sábias à sua própria maneira, Mor me ensina a nunca desistir de meus sonhos e a sempre lutar por mim mesma.
"- Estamos todos arrasados. De nosso próprio jeito, e em lugares que talvez ninguém veja." Mor, p. 495

Parte 3 - Grã-Senhora


Este é um livro sobre amor, guerra, perdão e possibilidades. Corte de Asas e Ruína fecha um arco de maneira fantástica e mesmo assim, abre um leque de histórias que nos encantarão pelo resto de nossa mortal existência. As batalhas e a guerra são descritas de maneiras grandiosas. Com momentos desesperadores, que trazem lágrimas aos olhos, assim como lampejos de esperança - de que realmente possa existir um amanhã. 

“- Apenas você pode decidir o que a destrói, Quebradora da Maldição.” Feyre, p. 521

Com isso, finalizo esta resenha. Encerrando essa trilogia que tanto marcou meu coração. Se eu continuo lendo, é porque sei que posso encontrar magia e amor nas páginas dos livros. E Sarah J. Maas é um dos motivos pelos quais eu ainda não me dissolvi em alguém que não conheço. Então, sou grata. Por essa história, por essas personagens e por poder estar viva na mesma época em que Maas está criando. 

“- A grande alegria e honra de minha vida foi conhecê-los. Chamar vocês de minha família. E sou grato, mais do que posso expressar, por ter recebido esse tempo com vocês.”









*
Seção das Quotes


"- Você é uma amiga melhor para mim, Feyre, que jamais fui para você." Lucien, p. 40

"Deitar ao lado de Ianthe sem lhe cortar a garganta foi um exercício de paciência e controle." Feyre, p. 85

"- Eu estava apaixonado por Feyre muito antes de ela corresponder ao sentimento." Rhys, p. 150

"- Por que eu teria medo de um morcego gigante dado a chiliques?" Nestha, p. 207

"- Sim. Ótimas bibliotecas, cheias de acadêmicos rabugentos capazes de encontrar tomos datados de milhares de anos. Mas os humanos não podiam entrar, a não ser se fossem escravos de alguém em algum afazer, e, mesmo assim, vigiados de perto.
- Por quê?
- Porque os livros eram cheios de magia e de coisas que eles queriam esconder dos humanos." Rhys e Feyre, p. 214

"- Rhys é conhecido por arquitetar planos que fazem meu coração parar. Então, não contaria com ele para ser a voz da razão." Cassian, p. 235

"- Por que não nos pediu que a ensinássemos?
- Porque duvidava de que vocês concordariam em ajudar." Nestha e Feyre, p. 316

"A guerra permaneceria comigo por muito tempos depois de acabar, algumas cicatriz invisível que talvez esmaecesse, mas nunca desapareceria por completo." Feyre, p. 363

"- O mundo deveria saber. O mundo deveria saber o quanto você é bom, Rhysand... O quanto todos vocês são maravilhosos." Feyre, p. 371

"- Vocês duas entendem que esta é uma reunião séria?
- E que os peixes no lago são muito sensíveis a sons agudos?" Rhys e Kallias, p. 400

"- Não tomei seus poderes. Vocês os deram a mim, assim como o dom de minha vida imortal. Sou grata por ambos. Mas eles são meus agora. E farei o que quiser com eles." Feyra, p. 438

“- Lembre-se de que você é uma loba. E não pode ser enjaulada.” Rhys, p. 554

13 comentários :

  1. Oi Iza, Feliz Ano Novo pra ti também :)
    A resenha tá animada e cheia de quotes e só posso ficar feliz pelo fato da trilogia ter terminada tão bem. Ainda nem comecei mas são tantos comentários positivos e elogios que espero ler os três livros esse ano e me encantar por esse universo também ;)

    ResponderExcluir
  2. Olá, já li alguns livros da série Trono de Vidro e simplesmente me apaixonei pela escrita de Maas. Vejo que aqui a autora ousa mais uma vez e entrega uma premissa extremamente original com traços de releitura. Que venham muitos spin-offs para que esse universo possa ser ainda mais explorado. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Preciso ler essa série, ainda mais que termina muto bem. Muitas páginas deve ter muito assunto e muito sofrimento com essa guerra, haja coração do leitor pra tanta emoção. O romance da Feyre e Rhysand deve ser fofo demais de dar invejinha rs.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Izabela. O livro é um misto de vingança e guerra travada, cheio de emoções, com uma personagem forte!

    Tô perdida na história, mas desse ano não passa, eu leio essa série! 😁

    ResponderExcluir
  5. Oi, Izabela! Feliz 2018 pra você também!
    Quanto a Corte de Asas e Ruína, não curto livros com guerras, cheio de intrigas palacionais e vários personagens, por isso dificilmente eu leria esse livro e consequentemente a os outros dpis livros dessa trilogia... Mas eu amei sua resenha, parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Oi Izabela!!
    Amei esses desenhos, fofos demais!!
    Infelizmente ainda não tive oportunidade de conhecer obras da autora, sou louca pra ler seus livros, pelo que acompanho são lindos, espero conseguir em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Oi Iza :)
    Uau, que resenha ..
    Sou fão de romances, mas tenho que dizer que o que mais impressiona nessa trilogia é o enredo com guerras, eu que não costumo gostar desse estilo estou encantada. Tô doida para comprar os livros, além de perceber que são maravilhosos pelas resenhas que li, as capas são as mais bonitas que encontrei até hoje em fantasia.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Acho muito bonitas as capas dos livros da série Corte de espinhos e rosas, a capa deste livro está linda, ainda não li nem um livro da autora Sarah J. Mas seus comentários positivos sobre os livros dela acabaram me deixando curiosa para ler esta série. Este livro parece ser muito bom, gostei da seção de quotes, pretendo começar a ler esta trilogia Corte de espinhos e rosas em breve.

    ResponderExcluir
  9. Ola
    Logo pela capa já enche nossos olhos, tenho vários amigos me recomendando essa autora, depois desta ótima resenha entrou na minha lista.

    ResponderExcluir
  10. Gosto dos quotes nos remete a história ali sendo vivida, como uma imersão, mas vou ser sincera não li nenhum livro da série e fiquei meia perdida na resenha com alguns termos e nomes, mas é como você já disse uma resenha cheia de emoção e sentimentos e gosto disso porque nos mostra o que realmente o leitor sentiu, se envolveu e apaixonou pela trama, pelo livro. Feyre parece ser uma personagem forte, gostei muito da sua forma de resenha. Feliz 2018!

    ResponderExcluir
  11. Izabela!
    Gostei primeiro de ver um pequeno resumo de cada livro, porque fica mais presente o enredo, principalmente para mim que ainda não tive oportunidade de ler nenhum.
    E ver esses quotes tão bem escolhidos e lindos, me deixou ainda com mais vontade de ler.
    Desejo uma semana mais que abençoada e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  12. Comprei o primeiro livro ano passado e Devorei ele em questão de dias e Fiquei impressionada com o volume de cada livro São umas maiores que os outros o segundo livro está na minha lista de leituras Então ainda não li ele só o primeiro e o que falar desse quotes maravilhosos

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook