Trash - Andy Mulligan



AutorAndy Mulligan
Título original: Trash
Tradução: Antônio Xerxenesky
Editora: Cosac Naify

Raphael, Gardo e Rato são amigos e vivem na miséria do lixão, até que algo extraordinário acontece com eles: enquanto reviravam o lixo, acham algo incomum. Mas eles não são os únicos interessados nessa... bolsa, pois a polícia também está atrás dela. Resumindo: suas vidas nunca mais serão as mesmas.

O livro é narrado através de diversos pontos de vista, graficamente representado pelas diferentes letras que aparecem a cada capítulo ou no meio deles. Existe uma letra para cada pessoa que conta a história. Como toda mudança de narração, essa dinâmica ajuda a trazer o ar de mistério e intrigas para a história.

"Talvez um dia você encontre 'alguma coisa legal'
Ah, sim.
Um dia eu encontrei." Raphael, p. 11

Em um lixão chamado Behala, localizado em um país sem nome dito, esses três garotos vivem uma verdadeira aventura.
Tudo começa quando Gardo e Raphael encontram algo diferente revirando o lixo: um bolsa com um mapa, uma carta e dinheiro dentro. Como primeiro instinto, eles guardam e não contam a ninguém sobre o que acharam. Logo depois, a polícia aparece perguntando se alguém achou a bolsa e dizendo que ela ajudaria a resolver um crime horrível, estavam até oferecendo dinheiro àqueles que encontrassem. Mas Raphael e Gardo foram espertos o bastante para desconfiar da caridade excessiva de pessoas que nunca antes se importaram com eles.

Resolveram que a bolsa ficaria melhor com eles; depois tentaram tirar mais dinheiro dos policiais, porém o que mudou a história foi a pesquisa que eles fizeram no precário computador da Escola Missionária, lá, descobriram quem foi José Angelico e perceberam que a bolsa era muito mais valiosa do que a polícia estava contando a eles.

Foi aí que começou a luta contra o sistema e a aparição dos perigos: três garotos do lixão contra uma organização forte e corrupta que faria qualquer coisa para conseguir o que quer. Essa é a realidade de quem vive num lixão, é isso o que um sistema - que deveria oferecer segurança e proteção a todos - desperta nos esquecidos pelo mundo.
"Nenhum dos dois se deu conta de que, quando a polícia acha que você tem alguma coisa, não vai parar até arrancar aquilo de você." Raphael, p. 39
Voltando à história, a polícia faz seu primeiro movimento e espanca Raphael até que ele diga onde está a bolsa. (É uma das cenas mais fortes do livro, e talvez, a mais impactante - realmente um diferencial). Mas ele foi forte, não disse uma palavra e resistiu até o fim daquela tortura física e psicológica, porque ele tinha algo no que acreditar, algo que o fez querer sair dali vivo e com aquele segredo, que poderia mudar sua vida.

A trama envolve várias personagens, mas no final, a mensagem pode ser resumida por esta citação de Olívia, uma voluntária inglesa que estava ajudando na Escola Missionária.
"Deixei parte do meu coração no país de vocês, garotos, e nunca mais poderei retornar. Eu me pergunto: o que foi que aprendi? O que foi que aprendi no lixão de Behala, e com isso me transformou? Aprendi mais do que seria possível aprender em qualquer faculdade. Aprendi que o mundo gira em torno do dinheiro." Olivia, p. 137
Apesar da situação impossível que é colocada, onde três crianças escapam dos perigos que estão constantemente à espreita e conseguem estar um passo adiante da polícia, o livro é cheio de críticas à nossa sociedade atual. 
"Então quer dizer que eu não passo de lixo? E gargalhei, porque me dei conta de que - naquele momento - de que o garoto do lixão tinha conseguido enganar os tais homens espertos." Raphael, p. 73
Críticas aos governos corruptos; às diferenças sociais; à indiferença dos governantes quando o assunto é a respeito dos pobres; ao abuso de poder da polícia; enfim, a tudo de ruim que pode existir ou acontecer num país que, pelas insinuações do livro, é subdesenvolvido. Mas o que eu senti ao terminar de ler Trash foi um estranho sentimento de esperança: esperança em um mundo melhor, em um mundo onde o bem ganha do mal, em um mundo sem corrupção, em um mundo que não exista fome ou pobreza ou dor. Um mundo onde a humanidade pudesse viver em paz.

Curiosidade: O livro será adaptado para o cinema, suas filmagens começaram em 2013 e se passarão aqui no Brasil. O diretor será o mesmo de Billy Elliot (2000) e O Leitor (2008), Stephan Daldry.

Recomendo muitíssimo o livro, ele é super rápido e gostoso de ler. 
Quando você percebe, já está perto do final e não consegue parar.

4 comentários :

  1. Parece um livro muito bom e diferente! Adorei a resenha :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem diferente mesmo! Vale muito a pena... aaaw, obrigada ^^

      Excluir
  2. Olá, Izabela. Como tradutor do livro em questão, fico muito feliz de ler uma resenha como a sua, e mais feliz ainda de saber que Trash pode ter esse impacto nos leitores. Um abraço e 'keep up the good work.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma leitura muito boa - graças à tradução. hahaha Que honra saber que o tradutor leu a minha resenha. Antônio, muito obrigada! And don't worry, I'm sure I will. \o/

      Excluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook