Corte de Névoa e Fúria - ACOTAR #2

Autora: Sarah J. Maas
Título original: A Court of Mist and Fury
Tradução: Mariana Kohnert
Série: Corte de espinhos e rosas
Editora: Galera Record
Páginas: 658
Onde encontrar: AmazonBr | Saraiva | Sumbarino


Sinopse: Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos.

Antes de mais nada, eu gostaria de avisar a todos vocês que essa resenha está cheia de amor, devoção e sentimentos. Se tem alguém que eu admiro nessa vida, essa pessoa é a Sarah J. Maas. O trabalho dela é incrível e lindo e mágico e não para de me surpreender a cada novo livro novo. Eu li A Court of Mist and Fury em maio, quando foi lançado nos EUA, e amei cada pedaço, chorei e me aventurei com Feyre em sua nova jornada. Esse é o meu livro favorito da Sarah (perceba que eu tenho muitos para escolher, porém é esse que continua a me emocionar, não importa quantas vezes eu o leia). 

Antes deu começar a falar dessa história, notemos o sério compromisso que a Galera Record tem conosco, fãs e devotos de Sarah. O trabalho perfeito de capa e diagramação de Corte de Espinhos e Rosas foi mantido em Corte de Névoa e Fúria; a capa ficou ainda mais linda (vocês repararam no casal se beijando ao fundo?) e os arabescos novos, então? Eu estou enlouquecida com essa perfeição. Outro detalhe a destacar é o número de páginas: ACOMAF é maior, ou seja, mais feels; a lombada aguentou, o tanto que eu abri esse livro e a lombada nem trincou, então, parabéns Galera! Por fim, a revisão desse volume estava muito melhor! Foram poucos os erros que eu peguei, então aposto que o terceiro livro sairá perfeito!

Vamos à resenha, sim?

“- Às pessoas que olham para as estrelas e desejam, Rhys.
- Às estrelas que ouvem e aos sonhos que são atendidos.” Feyre e Rhys, p. 356

Feyre conseguiu. Ela libertou Prhythian da praga que a massacrava. Ela decifrou o enigma de Amarantha, a general do Rei de Hybern, e pôs fim à maldição da Corte Primaveril (e de todas as outras), as máscaras finalmente caíram. O período de Feyre Sob a Montanha foi repleto de terríveis provações. Terminamos ACOTAR, sabendo que nossa caçadora terá a eternidade para conviver com as horripilantes lembranças do que foi obrigada a fazer para libertar o povo de Tamlin, porém com esperança de que Phrythian poderá se reerguer depois de 49 anos de terror sob o comando de Amarantha. 

Parte 1 – A Casa das Bestas


Começamos Corte de Névoa e Fúria com um baque, no entanto. Feyre está mal. Muito mal. Seus pesadelos são constantes e seu corpo imortal ainda lhe é estranho. Já se passaram três meses desde Sob a Montanha e Tamlin e ela ainda não conseguiram conversar sobre o que aconteceu com ela, com eles, naquele lugar. 
“A mulher que empunhara uma lança de osso contra Amarantha... Eu não sabia mais onde ela estava. Talvez tivesse sumido naquele dia em que seu pescoço se partiu e a imortalidade feérica tomou conta de suas veias.” Feyre, p. 125
O lado artista de Feyre está vazio. Seu corpo humano foi transformado, criado pelo poder de todos os Grão-feéricos reunidos Sob a Montanha. Depois de ter lutado bravamente para sobreviver a vermes, a enigmas e a um pescoço quebrado, Tamlin decide que Feyre precisa ser protegida a todos os custo. Por isso, não importa o quanto ela peça, o quanto ela necessite sair daquela casa, ele não permitirá. A desculpa: ela é importante demais, e as coisas ainda estão muito instáveis depois de Amarantha. Então, o Grão-Senhor da Corte Primaveril a protege. Ou pelo menos, é isso que ele pensa que está fazendo.
Feyre está com casamento marcado com Tamlin e, até então, nenhuma sombra de Rhys para cobrar o trato que fez com ela. Nada acontecerá conforme o planejado, pois Feyre precisa de tempo. E de espaço. E de ar. E ela conseguirá tudo isso com a ajuda do Grão-Senhor da Corte Noturna. Esse livro, senhoras e senhores, nos reserva tantas surpresas e emoções, que só tento um coração muito forte pra não enfartar, ok? Ok. 
“Senti cheiro de jasmim primeiro; depois, vi estrelas. Um mar de estrelas brilhando além de pilares reluzentes de pedra da lua que emoldurava a ampla vista das infinitas montanhas cobertas de neve.
- Bem-vinda à Corte Noturna. – Foi tudo o que Rhys disse.
Era o lugar mais lindo que eu já vira.” Feyre, p. 54
Conheceremos um lado de Rhys completamente novo. Nós sabíamos tão pouco a respeito dele, apenas a faceta d’A Vadia de Amarantha, até que ele tenta salvar Feyre na luta final. Nesse livro, descobriremos o quão precioso ele realmente é, e até onde ele está disposto a ir para salvar o seu povo. Conheceremos Velaris, uma cidade escondida há mais de 500 anos, com um povo imaculado, onde a arte e a vida florescem. Veremos como Feyre pode se encaixar em um mundo tão puro, quando ela se sente tão corrompida. Veremos Rhys não desistindo de Feyre e criando um laço muito mais profundo do que uma semana por mês: apesar de toda a escuridão que pesa em coração humano de Feyre, Rhys se torna um amigo. 

Parte 2 – A Casa do Vento


Enquanto Tamlin a mantinha com vestidos chiques e sem nada para fazer o dia inteiro, Rhys pede que ela vista roupas de combate e aprenda a lutar. O Grão-Senhor da Corte Noturna acredita que uma grande ameaça se prepara para lançar suas forças nas terras feéricas agora que Amarantha finalmente foi derrotada: O Rei de Hybern, aquele que matou todos os humanos de sua ilha depois que o acordo foi selado e a Muralha, imposta àquelas terras.
Rhys pede que Feyre trabalhe com ele, que lute ao seu lado e se torne tudo aquilo que ela pode ser, que ela descubra como controlar os poderes lhe foram dados, para salvar Prhythiam, que se encontra ameaçada novamente, dessa vez pela crueldade de um rei. 
“- Porque pode vir um dia, Feyre, em que apenas você estará entre o rei de Hybern e sua família humana. E você não quer estar despreparada.” Rhys, p. 85
E ela aceita. Feyre escolhe seus próprios caminhos a partir de agora. E em nenhum deles, ela está submetida à vontade de outros machos. Para que ela realmente perceba no que está se metendo, Rhys a apresenta ao seu Círculo Íntimo. Mor, Cassian, Azriel e Amren. Que. Personagens. Maravilhosas. Juntos, eles governaram a Corte dos Sonhos, um lugar em que a paz prospera. Mor é prima de Rhys, uma mulher fantástica, uma rainha. Cass e Azriel são dois illyrianos absolutamente leais e poderosos; Cass comanda os exércitos de Rhys e Az é seu Encantador de Sombras, responsável pela espionagem. Amren, uma criatura extremamente poderosa, porém não desse mundo; alguém que está há muito tempo longe de casa.
Feyre se envolve com cada um deles de maneiras diferentes. Eles se tornam seus amigos e entendem quem ela é e tudo o que ela fez. Ela perceberá que lutar ao lado deles não é tão ruim assim.
“- Não sei bem onde me encaixo.
- Estou vivo há quase cinco séculos e meio, e não tenho muita certeza disso também.” Feyre e Azriel, p. 256
O ritmo desse volume é maravilhoso. Temos ação em cada capítulo e uma missão: encontrar o Caldeirão. A lenda diz que ele nunca existiu, que é apenas um conto, porém criaturas antigas sabem a verdadeira história dessas terras. O Entalhador de Ossos é uma delas. Encontraremos criaturas terríveis aqui, e alguns velhos conhecidos como Attor e Surriel. Nesse livro, temos um toque de João e Maria, com uma cena de luta super tensa entre Feyre e A Tecelã da Floresta. Maas é autora de personagens femininas extremamente fortes e Feyre simboliza toda sua jornada para salvar-se da depressão e das criaturas que desejam matá-la.
“- Então sou sua caçadora e ladra?
As mãos de Rhys deslizaram para baixo a fim de apalpar a parte de trás de meus joelhos quando ele falou com um sorriso malicioso:
- Você é minha salvação, Feyre.”, p. 228
Veremos novas Cortes, visitaremos a Corte dos Pesadelos, e perceberemos Feyre lentamente se curando. Enquanto trabalha com seus poderes dentro de outras Cortes, Feyre usa a suposição que todos tem dela, de que ela é fraca e quebrada, para poder fazer seu trabalho: encontrar objetos extremamente importantes para acharem o Caldeirão; Feyre, na verdade, se torna uma mulher absolutamente fortes, inteligente e de grande poder. “Se tivéssemos sorte, nenhum deles perceberia que o cachorrinho de Rhys era na verdade um cão de caça.” Feyre, p. 325

Parte Três – A Casa da Névoa


Voltaremos a acompanhar as irmãs de Feyre pelas terras humanas. Rhys tem certeza de que as rainhas humanas precisam estar preparadas para quando quer que o Rei de Hybern deseje atacar. Passaremos a conhecer diversas histórias do passado de Feyre e perceberemos como elas se cruzam com o passado de Rhys. E em cada uma delas, eu só consegui...




A jornada de Feyre é absolutamente maravilhosa. Todos os personagens desse livro são lindas e bem construídas. O enredo é incrível, os sentimentos estão em todos os lugares e Feyre é absoluta. Rhys é lindo, Mor e Amren são deusas e eu não sei lidar com toda essa perfeição. O final desse livro nos deixa extremamente chocados e com o coração pesado, mas com sangue nos olhos para o que o terceiro e último volume nos reserva. Ainda não sabemos qual será o seu título, mas Sarah já entregou o primeiro rascunho.
“Aquele era meu lar. Aquele era meu povo.
Se eu morresse defendendo-os, defendendo aquele pequeno lugar no mundo onde a arte florescia...
Então, que assim fosse.
E me tornei escuridão, e sombra, e vento.” Feyre, p. 593
Então é isso, gente. Só leiam essa trilogia, porque é a melhor coisa que você fará com a sua vida. Só leiam. Esse livro me tirou de momentos bem ruins e eu sempre voltarei para ele quando as coisas ficarem difíceis.








Teorias


Eu estava lendo outras resenhas de ACOMAF e encontrei uma da minha querida Denise, do Queria Estar Lendo. Assim que li, fui correndo surtar e criar teorias com ela, porque Deos, que livro maravilhoso. Chegamos a algumas conclusões. Se essa trilogia é inspirada em A Bela e a Fera, então Tamlin é o Gaston, Lucien é o ruivo, gordinho que o segue de um lado para o outro e Rhysand, Rhys, nosso lindo e adorado Rhys, é a Fera. As facetas dessa personagem são tantas. Ele está tão machucado quanto Feyre e juntos eles conseguem se curar dos horrores que Amarantha os fez passar. E justamente por isso, Rhys aceita o fardo que lhe é imposto: para proteger seu povo, Rhys não pensa duas vezes antes de se tornar o monstro que todos acreditam que ele seja. 
“- É uma pena que outros em Prythian não saibam. Uma pena que você tenha deixado que pensassem o pior.
- Contanto que as pessoas que interessam saibam a verdade, não me importo com o resto.” Feyre e Rhys, p. 198
Ele é lindo. Eles são lindos! Apenas lidem com isso.



E a última e mais louca teoria que Denise e eu conversamos: 
“- De onde ele veio?
- Não sei. Embora haja lendas que aleguem que, quando o mundo nasceu, havia... fendas no tecido dos mundos. Que no caos da Formação, criaturas de outros mundos podiam passar por uma delas e entrar em outro. Mas as fendas se fechavam quando queriam, e as criaturas podiam ficar presas, sem poder voltar para casa.” Rhys, p. 209

EXISTEM FENDAS NOS MUNDOS, minha gente. E para quem acompanha ambas as séries de Sarah, ACOTAR e TOG, as esperanças de um crossover são gigantescas. Não temos provas de nada, apenas insights e teorias e citações e feels. A própria Sarah já comentou que seria possível abrir um portão de Wyrd e atravessar de um universo para o outro. Então, como os últimos livros saem em 2017 (Izabela estará jogada no chão da BR, porque eu acabei de terminar Empire of Storms e não estou sabendo lidar com aquele final e um ano será uma tortura) será que Sarah J. Maas fará isso conosco?

Espero que tenham gostado dessa resenha. Fiquem agora com algumas das minhas quotes favoritas. 


Sessão das Quotes

“Era mais fácil não precisar explicar mesmo. Não precisar contar a ele que, embora eu o tivesse libertado, salvado seu povo e toda Prythian de Amarantha... tinha me destruído. 
E achava que nem mesmo a eternidade seria tempo suficiente para me consertar.” Feyre, p. 16

“- Mas vai descobrir que nossas noites são mais espetaculares, tão espetaculares que alguns em meu território até mesmo acordam com o pôr do sol e não deitar ao alvorecer, apenas para viver sob as estrelas.” Rhys, p. 64

“- Estou pensando que era uma pessoa solitária e sem esperanças, e talvez tivesse me apaixonado pela primeira coisa que me mostrou um pingo de bondade e segurança. E estou pensando que talvez ele soubesse disso... talvez não conscientemente, mas talvez ele quisesse ser aquela pessoa para alguém. E talvez isso desse certo para quem eu era antes. Talvez não dê certo para quem... o que sou agora.” Feyre, p. 169

“- Não há uma só pessoa nesta cidade que não saiba do que aconteceu fora destes limites. Ou do custo.” Mor, p. 181

“- Quero que ouçam sua história. E saibam que há uma força especial... Uma força especial é necessária para suportar tais provações sombrias e dificuldades... E permanecer benevolente e gentil. Ainda disposta a confiar... e a se aproximar dos outros.
- Há dias bons e ruins para mim... mesmo agora. Não deixe que os dias ruins vençam.” Feyre e Mor, p. 254

“- Grite pelo laço se conseguir realizar alguma coisa antes do café da manhã.
- O que... literalmente gritar para a tatuagem?
- Poderia tentar esfregá-la em certas partes do corpo e talvez eu chegue mais rápido.” Rhys e Feyre, p. 280

“- Você... Você mandou aquela música para minha cela. Por quê?
- Porque estava se partindo. E não pude encontrar outra forma de salvá-la.” Feyre e Rhys, p. 305

“- Todos fizemos sacrifícios. E você se senta a esta mesa com sua família por causa daqueles que Feyre fez. Então, precisa me perdoar, Tarquin, se digo a sua princesa que, se ela avisar a Tamlin, ou se qualquer um de seu povo tentar leva-la para ele, vidas serão tomadas.” Rhys, p. 335

“Foi apenas um alívio pensar que, por um momento, Rhysand poderia ser tão solitário quanto eu.” Feyre, p. 347

“Eu podia ainda não conseguir atravessar, mas desejei ter asas, percebi. Asas grandes e poderosas para que pudesse voar o quanto quisesse; para que pudesse ver o mundo e tudo o que este tinha a oferecer.” Feyre, p. 452

“- Quero que saiba que estou quebrada, e me curando, mas cada pedaço de meu coração pertence a você.” Feyre, p. 555

16 comentários :

  1. Meu deus, que resenha mais completinha, adorei, sem mais! Fiquei até sem palavras pra comentar, de tão boa. Bem como você disse, realmente foi algo escrito cheio de amor. Esse livro eu tenho muita curiosidade de conhecer, principalmente por essa capa lindíssima e com cores fortes. O enredo também é maravilhoso e eu quero muito saber se vou admirar a autora tanto quanto você. Os quotes que você selecionou também são muito bons. Parabéns!
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Izabela sua resenha me deixou sem palavras por um tempo, pensando em como escrever ou elogiar o que vc escreveu, se eu já não tivesse curiosa sobre a escrita dessa autora eu ficaria super interessada depois de ler sua resenha, parabéns! (amei). Pelo seu entusiasmo essa trilogia é imperdível e acho que vou começar a ler os livros da Sarah através dessa história e espero sair tão encantada quanto vc ;)

    ResponderExcluir
  3. Oii, sou doida pra ler os obras da Sarah Mass, qro mto conferir essa trilogia que pelo q tenho lido, é mto boa!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Meu DEUS! Não sei nem o que falar, só sentir.
    Eu AMEI o primeiro livro, um dos meus favoritos do ano e agora estou louca pra ler essa continuação.
    Me apaixonei pelo Tamlin, mas já consegui perceber que o Rhys iria chagar com tudo nessa história!
    E os personagens secundários são super bem construídos também né?
    Acredito que vou amar esse segundo livro também, a escrita da autora é magistral e te prende do início ao fim, gosto disso.
    Estou super hiper mega ultra power curiosa e espero conseguir ler um pouquinho mais da história da Feyre em breve.
    Adorei a resenha e o post num todo <3
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  5. IZA ME ABRAÇA ASJKUOGBAOGOAUASGBUOASGBUOGBASUOASGB SUA RESENHA: Eu. Toda eu. Me definiu.
    O que a Sarah faz nesse livro é uma bruxaria absurda, porque não tem nenhuma falha. Nada que se desconecte do resto da trama. Tá tudo ligado e tão bem explicado e a cada nova coisa que aparece você só fica UOOOOOOOOOOOOOOU. E xesus só de imaginar o último volume da trilogia já fico correndo em círculos. NOSSAS TEORIAS, NOSSAS TEORIAS! TEM QUE SER REAL, EU ESCOLHI ACREDITAR, J. MAAS!
    Rhys é a coisa mais preciosa do mundo feérico e deve ser protegido a todos os custos. E ALGUÉM JOGA AQUELE TAMLIN DA TORRE MAIS ALTA, DÁ O FIM DO GASTON PRA ELE!
    Quero crossover com ToG pra ontem, Sarah. Realize nossos sonhos!
    Sua resenha ficou impecável, Iza. Amei cada palavra, tuas emoções com o livro estão aí! Agora é só a gente roer as unhas e esperar pelo volume final #oremos

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://www.queriaestarlendo.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Izabela!!
    Não li a sua resenha porque ainda não li o primeiro livro Corte de Rosas e Espinhos e fiquei com medo de ler e ter algum spoiler. Mais adoro essa autora!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  7. Oi Iza, eu só li um livro da autora, foi o primeiro que foi lançado, e eu amei e não entendo até hj pq não continuar a ler hehe, preciso comprar os outros livros, tenho apenas dois lá em casa!
    Amei a resenha, amei os quotes!

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  8. Oi :)
    Não li sua resenha porque ainda não li o primeiro volume dessa série mas tenho certeza que vou amar esses livros pois conheço a escrita e a narrativa da Sarah J. Maas e sei como é apaixonante. Só li um livro dela e amei, então quero ler tudo que essa mulher escreve.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá Izabela,

    Não conhecia a autora e nem os seus livros, pela sua resenha vejo que são ótimos e vou pesquisar um pouco mais sobre...dica anotada....bjs.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    O que dizer da sua resenha? Perfeita e encantadora! Ainda não comecei a ler essa série, mas esta na minha lista, pois fiquei encantada com o enredo, desde que começou a divulgação dos mesmos. E agora lendo sua resenha ma-ra-vi-lho-sa, mais ansiosa e cheia de expectativas, fiquei! Quotes lindos, louca para ler! Obrigada. Beijos no coração.

    ResponderExcluir
  11. Quero muito o primeiro livro e depois esse, parece ser cheio de acontecimentos e surpresas, gostei de saber que Feyre muda passa a ser forte,que os personagens são bem construídos assim eles nos cativam se uma forma que parece que os conhecemos pessoalmente. Fiquei curiosa com esse final que chocou.

    ResponderExcluir
  12. Ainda não li nada da autora infelizmente.
    porém com as ambas resenhas que vi,gostei bastante.
    Vemos que a autora sabe fazer incríveis protagonistas mulheres,fortes e lutadoras.
    Gostei de sabe que é como uma releitura de A bela e a Fera.Gostei do Casal Feyre e Tamlin,que vi no 1,como também gostei do casal Feyre e Rhys.
    Bom, um deles tem que ser o Gaston.Amei os quotes de ambas as resenhas e espero mesmo poder ler os dois livros e conhecer mas sobre a Feyre,sua família...

    ResponderExcluir
  13. Só uma dica em relação a Tamlin ser o Gastão. Tamlin foi baseado na Fera de A Bela e a Fera. Feyre foi baseada na Bella de A Bela e a Fer. A Corte de Espinhos e Rosas foi baseado no Romance de A Bela e a Fera.
    Rhys foi baseado no personagem Hades de Hades e Perséfone. A Corte de Névoa e Fúria foi baseado na história de Hades e Perséfone. Sarah foi fiel as duas história. Resta saber qual delas ela vai fanalizar.

    Dá uma estudadas nessas duas histórias e você vai perceber que não há a mínima possibilidade do Tamlin ser o Gastão e Rhys ser a Fera.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  14. Gostei bastante da sua resenha, muito bem explicada.
    Eu já tinha visto os livros dessa autora nos lidos do mês de alguns booktubers, e a maioria gostou bastante. Contudo, não consigo me interessar pela história. Sou muito assim, quando não vou com "a cara" do livro de primeira, mantenho um certo preconceito. Sei que é errado, mas, todos nós temos nossos pecados né?! rs
    As capas são realmente muito bonitas e eu não tinha percebido o casal se beijando no fundo. Quem sabe, algum dia, eu de uma chance para essa autora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Você falou que era o melhor livro da Sarah até então, mas NADA me preparou para o que encontrei.
    GENTE! COMO FAZ ATÈ A SEQUENCIA???
    Melhor leitura do ano, seguida de perto por Rainha das Sombras.
    Esta teoria da fera ser o Rhys, e a autora nos enganando direitinho no primeiro volume, para depois nos destruir com esta continuação de tirar o fôlego e como você disse: nos deixando com sangue nos olhos pelo que está por vir, por vingança, porque estamos em FÚRIA!
    E SIM quão mágico e lindo seria este crossover. Seria épico ew se acontecer a Sarah com certeza vai realizar com maestria e destruir ainda mais nosso coração!
    Como faz até ano que vem?
    Como superar esta leitura? ESTE LIVRO? ESTE ROMANCE????

    Meu coração tá tão apertado. :’|

    May - http://mayeosvicios.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Meu zeus , por wyrd esse livro e mt perfeito tia sarah te amo
    eu ja li todos os livros ToG e achava que ela nao podia criar nda mais perfeito ai ela vem e faz isso ,meu core nao ta mais aguentando e ainda tem imperio de tempestade aaaaaaah
    QUERO um crossover!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook