Lírio Azul, Azul Lírio - Corvos #03



Autora: Maggie Stiefvater
Título original: Blue Lily, Lily Blue
Tradução: Jorge Ritter
Série: A Saga dos Corvos
Editora: Verus
Páginas: 350
Onde encontrar: AmazonBr | Submarino | Saraiva
Sinopse: Blue Sargent encontrou coisas. Pela primeira vez na vida, ela tem amigos em quem pode confiar e um grupo ao qual pertencer. Os garotos corvos a acolheram como se ela fosse um deles. Os infortúnios deles tornaram-se dela e vice-versa.
O problema de coisas encontradas, porém, é a facilidade com que podem se perder. Amigos podem trair. Mães podem desaparecer. Visões podem iludir. Certezas podem se desfazer.
Em Lírio azul, azul lírio, o leitor vai descobrir para onde Blue, Gansey, Adam, Ronan e Noah serão levados em sua jornada para encontrar o lendário rei galês Glendower.
O terceiro volume da série A Saga dos Corvos leva a história de Blue e seus garotos corvos para outro nível! A busca pelo rei adormecido atraiu todos os tipos de pessoas, entre elas: o tipo que não tem problema em encomendar assassinatos. Aviso que esta resenha possui pequenos spoilers de cenas do livro, mas nada muito grande, okay? Eles estão concentrados no meu comentários a respeito da cena de Blue, então - caso não queira ler - é só pular!

"Somos gratos ao espelho por nos
revelar somente a nossa aparência." Samuel Butler

Os garotos corvos foi a introdução perfeita para esse mundo misterioso e cheio de magia de Maggie Stiefvater. Ladrões de sonhos desenvolveu a mágica Cabeswater e os poderes de cada um dos garotos, reforçando o elo entre eles e entre eles e Blue. Agora, em Azul Lírio, Lírio Azul, todos são um time. E Blue precisará da ajuda deles se quiser resgatar sua mãe, que foi voluntariamente para debaixo da terra. "Como ela pôde fazer isso comigo agora?" Blue, p. 21

Descobrimos cavernas dentro de Cabeswater, as quais possivelmente podem nos levar para o túmulo de Glendower. Para essa nova etapa na busca, a turma terá a ajuda do professor Malory, aquele que iniciou Gansey de 15 anos em todos os conhecimentos necessários para a busca pela linha ley. Ele é um senhor muito britânico, o qual veio acompanhado do Cão. Sua contribuições com pesquisas e conhecimento de história são notáveis, principalmente quando ele diz que encontrou, em sua propriedade, uma tapeçaria bordada com muitos rostos semelhantes ao de Blue.
"- Ela parece com você.
- Qual delas?
- Todas elas.
- Puta merda - disse Ronan, colocando em palavras os pensamentos de todos." Adam, Blue e Ronan, p. 45



Depois do choque que foi o final de Ladrões de Sonhos, este terceiro volume será uma busca incessante por mais do que um rei adormecido. A primeira tentativa dos garotos de baixo da terra não é muito bem sucedida. "- Se você deixar o Gansey morrer, não vai estar me protegendo. Entendeu? Se eles morrerem, eu também morro." Ronan, p. 31 Por isso, é muito importante que eles encontrem outras entradas. Nisso, conhecemos Jesse Ditley, o dono de uma caverna amaldiçoada. Ele parece ter ido com a cara de Blue, Gansey e Malory, portanto não permitirá que eles se aventurem por aqueles túneis.

Com o fim das férias, os meninos voltam para Aglionby e Blue, para a escola pública. Os garotos têm um novo professor de Latim, já que o último tentou matá-los. E adivinha só? O novo também! A presença dele e de sua esposa, Piper, neste volume terá consequências catastróficas e tudo o que um bom livro de Maggie Stiefvater tem a oferecer a seus leitores! "Era possível que ela não o tivesse feito de propósito, mas havia muito pouco que Piper fazia acidentalmente." Colin, p. 83

Com Maura de baixo da terra, cada vez mais avisos a respeito dos adormecidos começam a aparecer. Não acordar o terceiro adormecido é uma prerrogativa extremamente importante. O objetivo continua sendo Glendower, porém muitas coisas podem acontecer em 350 páginas, não é mesmo?

Gostaria de começar a falar a respeito de Blue: que garota maravilhosa ela é. O que mais me impressionou nesse volume foi o momento em que percebi o quão errada estavam minhas expectativas para essa personagem. Blue sempre foi incrível, mas só nesse volume ela me mostrou o quão maravilhosa é. E o exemplo que ela me deu... ficarei com essa cena para sempre em meu coração. Vocês lembram que ela é uma fonte de energia, certo? Tudo fica mais nítido e sensível perto dela. Justamente por isso, Noah também. Ele se sente melhor consigo mesmo; de alguma forma.. não tão morto. Isso, no entanto, acaba se mostrando extremamente doloroso para o garoto, e perigoso para todos os que estão perto dele nos momentos de crise.

Nessa cena específica, Noah estava incontrolável, sugando a energia de Blue de tal maneira que eu pensei que ela desmaiaria. Eu esperava, como leitora, que essa seria sua reação ao assalto de Noah. Ela desmaiaria, e então Gansey, de alguma forma, apareceria para salvá-la. Percebe o erro nisso? Percebe o quão incoerente eram minhas expectativas para essa garota que só fez demonstrar força, sensatez e compaixão até aqui? Eu deveria esperar mais dela. E eu agradeço tanto à Maggie por demonstrar que eu deveria esperar mais de mim mesma, como leitora (e mulher, também).

Blue salva a si mesma e resolve a crise de Noah de sua maneira. Ela é o centro da cena, a única que pode - realmente - fazer algo a respeito de ter um fantasma sugando sua energia. E não é desmaiar! Não é deixando outras pessoas, um homem, lutar por ela. É enfrentando algo que ela reconhece, é usando o conhecimento que sua mãe lhe deu a respeito de sua força. É mostrando que essa garota baixinha é tudo, menos indefesa.
"Talvez ela estivesse um pouco impressionada. Não por desconectar um garoto morto - isso parecia triste, nada para se gabar. Mas porque ela aprendera algo a respeito de si mesma naquele momento, quando achara que não havia mais nada a ser descoberto." Blue, p. 71
A participação de Noah é esporádica, porém preciosa. Nosso garoto fantasma, apaixonado por glitter, se importa com todos os seus amigos. No entanto, não há muito que ele possa fazer. Gansey está vivo e Noah não. Isso parece errado para todos. Gansey se sente pessoalmente responsável, porém não há nada a fazer até que consigam encontrar Glendower e realizar aquele pedido que todas as lendas prometem.
"- Não sei o que vou fazer se o encontrar, Noah. Não sei o que serei se não estiver procurando por ele. Não faço ideia de como ser aquela pessoa novamente.
- É exatamente assim que me sinto sobre a ideia de estar vivo novamente." Gansey e Noah, p. 128
O que dizer de Gansey, este pobre garoto que deverá morrer em algum futuro horrivelmente próximo? Quando a narração está sob seu ponto de vista, temos a percepção da inevitabilidade, da pressa que Gansey sente e não consegue explicar. O tempo não está a favor dele. Os garotos sentem isso. Blue sente isso. E às vezes pondera se seria certo contar para eles o que sabe: que Gansey apareceu no caminho dos corpos na noite de São Marcos. Mas ela não pode contar isso a ele. Simplesmente não pode aceitar o fato de que ele seria tirado desse mundo. A relação entre Gansey e Blue evolui na medida do possível: Gansey não quer magoar nem causar ciúmes em nenhum de seus amigos; Blue não pode beijá-lo, correndo o risco de que ele seja seu verdadeiro amor. Isso, no entanto, não impede os dois de terem seus momentos roubados no meio da noite. E ELES SÃO GLORIOSOS! "O Camaro era como Gansey aquela noite: aterrorizador e emocionante, disposto a fazer o que quer que ela pedisse." Blue, p. 182
"- Vocês têm uma lista de mortos? Que lance mais sombrio. Eu estou nela?
- Alguns dias eu gostaria que sim." Ronan e Blue, p. 175
Ronan Lynch nos foi apresentado tão profundamente no último livro, que eu não esperava ver ainda mais dessa criança neste terceiro volume. Se eu puder fazer isso (obviamente já estou fazendo), eu dividiria o livro em duplinhas: Gansey e Blue, Ronan e Adam. Não me entendam de forma errada, este é um grupo sólido, cenas significativas acontecem a todo o momento, entre todos eles. No entanto, é a Adam que Ronan apresenta Barns, sua casa. É a ele que Ronan explica seus lados mais sombrios. E Adam, por sua vez, consegue não se sentir oprimido por Ronan. E isso é muito importante para nosso pobre garoto pobre, porque o apoio que encontra nesses dois é fundamental.



Com licença que eu preciso shippar. O QUE ESTÁ ACONTECENDO? Quero tanto Ronan e Adam juntos que mal posso me aguentar. Os dois são perfeitos um para o outro e, se eu já não soubesse coisas, estaria ainda mais louca. Nesse volume, a proximidade dos dois é mais desenvolvida e construída na base da amizade e da confiança. Ronan tem um dos melhores arcos de desenvolvimento que já vi, e Adam Parrish não fica atrás! Ele precisa de seus amigos, porém o orgulho o impede de fazer muitas coisas: principalmente de pedir ajuda. Algo começa a mudar depois que ele percebe quais são as necessidades de Cabeswater e seu papel em toda essa busca por reis adormecidos.

Em resumo, é um livro incrível. Tem ação, emoção, tensão e alívios cômicos. Tem os garotos mais preciosos na terra, tem amizades verdadeiras e laços para a vida inteira. Tem girlpower e atitude. Tem morte, perigo e ganchos enlouquecedores. É um excelente livro e uma maravilhosa continuação para série. Preparou perfeitamente o terreno para o que veremos o quarto e último livro O Rei Corvo (resenha no mês que vem!).
"Orla não estava errada, é claro. Mas o que ela não tinha percebido a respeito de Blue e seus garotos era que todos estavam apaixonados uns pelos outros." Blue, p. 99









*
Seção das Quotes

"- A sua mãe é uma mulher de muitos talentos. Me exasperar é um deles." Calla, p. 13

"Gansey não gostava de confrontar as consequências de sua insensatez tão diretamente.", p. 42

"- Não acredito que você não contou para a gente. A gente poderia ter saído para tomar um sorvete.
Noah não podia comer, mas gostava da sorveteria da cidade por razões que escapam ao entendimento de Blue." Noah e Blue, p. 58

"Seu amigo nobre, desatento e otimista estava lentamente abrindo os olhos e vendo o mundo pelo que ele era, e ele era sujo e violento e profano e injusto." Adam, p. 97

"Blue sabia perfeitamente que era possível existir uma amizade que não tomasse tanto sua vida, que não a cegasse, que não a endurecesse, que não a enlouquecesse, que não a excitasse. A questão era que, agora que ela tinha uma desse tipo, não queria a outra." Blue, p. 99

"Ela não vai me machucar. Vai ser assustador, mas não vai me machucar...
Mas o medo machuca, também." Adam, p. 117

"Gansey havia esquecido como a escola ocupava o seu tempo.", p. 138

"Quem era essa pessoa que conseguia sonhas um sonho com uma forma concreta? Não era de espantar que a Aglionby entediasse Ronan." Adam, p. 151

"- Não conte para os outros.
- Sou um morto. Não um idiota." Gansey e Noah, p. 155

"- Não acredito que você não está morta em algum lugar. Você devia estar morta em algum lugar." Ronan, p. 173

"- Gansey não vai gostar disso.
Porque era o pior tipo de sujeira. Reis não haviam nascido para sujar suas bainhas nisso.
- É por isso que não vamos contar para ele." Ronan e Adan, p. 225

"- A gente podia cortar o cabelo dela.
- Não acredito que essa seja uma decisão que um ser humano possa tomar por outro ser humano.
- Mesmo se o outro ser humano parecer uma mendiga?" Orla e Persephone, p. 240

9 comentários :

  1. Não vejo a hora de comprar essa série e ler. Fiquei admirada com Blue que personagem que surpreende, ainda bem que ela tem seus momentos de romance se não seria angustiante. Esse volume parece que mexe com a gente com tantos acontecimentos.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Izabela!
    Não sei nada sobre a série A Saga dos Corvos, se li alguma resenha a respeito de seus livros não me recordo no momento... mas lendo sua resenha fiquei interessada em conhecer a história de Blue e seus garotos corvos; gosto de mocinhas arretadas como a Blue, que resolve seus próprios problemas sem esperar a ajuda de ninguém, e confesso que fiquei curiosa para saber como ele resolveu sua situação e a de Noah...
    Valeu por essa dica, já adicionei na minha lista de leitura! Abraços.
    Ps: Ficarei aguardando sua resenha de O Rei Corvo.

    ResponderExcluir
  3. Era pra essa saga ter acabado nesse livro, mas tá enrolando e eu já perdi a paciência. Sabe novela da globo que tá fazendo sucesso e o autor fica esticando o chiclete? Ao contrário dos outros dois, eu não achei que a exploração do título foi bem feita nesse livro. A história não chegou à conclusão, não tem tanto pano pra manga assim, comparando com outras sagas que tiveram vários livros, tá ficando chato já essa enrolação, nem sei mais se vou ler o próximo

    ResponderExcluir
  4. Iza, você está fazendo com essa série a mesma coisa que fez com a Sarah J. Maas: tão empolgada que me faz querer ler!
    Hahahahahahaha
    E a Maas foi incrível, maravilhosa, especial.
    Tenho certeza que vou gostar dessa série também.
    :D

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  5. Olá! Tudo certo?
    Adorei a premissa do livro, parece ser uma historia cheia de ação, amizade e muitas aventuras. Adoro o gênero fantasia então vou amar essa série. Adicionei na minha listinha e espero lê-los em breve!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Quero tanto ler este livro, fiquei até com medo de pegar muitos spoilers.

    Vejo sempre resenhas positivas sobre esta série o que me deixa cada vez mais animada para conferir a obra.

    Adoro livros de fantasia, tenho certeza que vou adorar estes.

    ResponderExcluir
  7. Essas capas... MEU-DEUS-DO-CÉU! São as melhores já publicadas!
    Amei a resenha, mesmo ter lido ao livro, porém pretendo. =)

    Beijos,
    Danny
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  8. Fiquei com medo de spoilers ai li bem por cima hahahah. Mais uma série que estou louca pra ler e conheci por esse blog! Achei mt boa a ordem dos livros que parece envolver mesmo o leitor: o primeiro introduzindo o mundo, o segundo envolvendo os personagens e o terceiro com muita ação. É muito bom se surpreender com os personagens e a história, parece ser aquele mix de ação, fantasia e romance que adoro! Quero! Só vou esperar o quarto lançar kkkk odeio me envolver e ter que esperar!

    ResponderExcluir
  9. Izabela!
    Quero me viciar nessa série porque adoro magia e aventura.
    E pelo visto a série é mágica em vários sentidos, porque se transporta o leitor para dentro das aventuras do livro, só pode ser mágica...
    Sem contar que as personagens parecem interessantes e tem uma certa dinâmica entre eles.
    Que outubro venha carregado de boas energias!
    “O tempo é teu capital; tens de o saber utilizar. Perder tempo é estragar a vida.” (Franz Kafka)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook