Amante Finalmente - IAN #11

Autora: J. R. Ward
Título original: Lover at Last
Tradução: Cristina Togneli
Série: Irmandade da Adaga Negra
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 680

Dedico a:
Vocês dois -
com o risco da leviandade inadequada, já era hora -
e ninguém merece mais do que vocês.
Eu estou ouvindo um coro de aleluia? Siim! Finalmente (tudumtzz) consegui terminar a série do Irmãos. Isso não quer dizer que o mundo da Irmandade acabará com esse décimo primeiro volume, longe disso! J. R. Ward já lançou The King (2014 - O Rei) e The Shadows (2015 - ainda sem tradução ou previsão); e agora, ela está escrevendo (junto com outros livros) The Beast. Em uma entrevista a que eu assisti recentemente, ela disse que "quer eu escreva ou não as histórias, o mundo (de IAN) continua existindo. Então, enquanto as pessoas quiserem ler os livros e o bom Deus me mantiver respirando, eu gostaria de continuar a escrevê-las". Ou seja, ela ainda não vê um final para IAN e eu como fã, quero mais que essa mulher escreva para sempre! E quanto a vocês??

Bom, o décimo primeiro volume é narrado majoritariamente pelo nosso querido guerreiro Qhuinn. Nós acompanhamos sua história desde quando ele era um pré-trans, por isso sabemos tudo o que ele sofreu, tudo o que ele escondeu de si mesmo e dos outros e todo o potencial maravilhoso que ele tem. Nascido com heterocromia (um olho azul e outro verde), considerada um defeito pela sua família aristocrática, Qhuinn sempre foi rejeitado e deixado de lado pela glymera; eles o expulsaram da família e ainda o espancaram por ele lhes ter trazido tanta vergonha. Um bando de idiotas estúpidos.
Por causa disso, ele passou a maior parte da sua adolescência na casa de Blay, seu melhor amigo. Tanto tempo juntos acabou fazendo com que eles se conhecessem cada vez mais e se apaixonassem. Porém, por muito tempo, Blay acreditou estar sozinho nesse âmbito, imagine vocês, qual não foi a decepção dele quando Qhuinn confirmou isso, dizendo que via uma fêmea em seu futuro e não um macho. Desde então os dois, antes inseparáveis, seguem seus caminhos e fazem de tudo para se evitarem.

Blay, então, sofrendo por não ser correspondido, tenta seguir com a sua vida com ninguém mais ninguém menos do que Saxton, primo de Qhuinn e o advogado do Rei. Eles estão muito bem, obrigada, no seu relacionamento e teriam dado certo não fosse o fato de Qhuinn e Blay amarem um ao outro! Não sei quantos de vocês já leram Amante Renascido, pois lá terminamos com uma expectativa  absurda de que Qhuinn finalmente se declararia para Blay e o faria perceber que ele era o único cara da sua vida e que eles não podiam mais ficar separados. Só que não é isso que acontece. O que acontece é Saxton perceber que está numa relação unilateral também; é claro que não há problemas na cama, porém nosso querido lorde deixou-se envolver e Blay não tem como dar seu coração a ele, pois este já tem dono.
"Aquilo doeria, Saxton pensou. Mas não o quebraria.
No fim, ele se recuperaria. Se curaria. Seguiria em frente.
Corações eram partidos o tempo todo...". Saxton, p. 87
Então, ao longo desse maravilhoso livro, nós acompanharemos o desabrochar desse amor que ambos tentam negar. Qhuinn não quer admitir que poderia decepcionar sua família mais uma vez fugindo tão longe dos padrões exigidos da glymera e Blay não quer entregar seu coração novamente ao macho que já o quebrou. No entanto, não existe força maior que o amor e esses dois amantes descobrirão que têm muito mais a dividir do que uma noite tórrida. Só quero dizer que eu amo esses dois e estou muito ansiosa para ver o que o futuro reserva para eles nos outros livros, porque nesse aqui há caos, amor, sangue e lágrimas.

No entanto, existem outros caminhos sendo percorridos por essas personagens incríveis! Qhuinn, inconsequentemente corajoso, coloca sua vida em risco para salvar os Irmãos sem nem pensar, repetidas vezes. No ataque a Wrath, foi Qhuinn quem lutou contra Xcor para que o carro levasse o Rei em segurança. Agora, quando o Redutor Principal consegue surpreender os Irmãos, Zsadist é seriamente atingido por uma bala e é Qhuinn quem o tira do meio do campo abandonado em que estavam. Ele se prova um verdadeiro herói e será recompensado, Beth e seu hellren fazem questão disso.

Sim, os Redutores voltam com uma considerável força nesse livro. Temos o novo Redutor Principal, Sr. C, que tenta - através do tráfico de drogas - arrecadar fundos para as necessidades de armamento de seus assassinos. No entanto, eles acabam numa situação delicada, quando descobrem que o novo fornecedor é, ninguém mais, ninguém menos do que seu inimigo, um vampiro: Assail, cuja habilidade de se manter longe do fogo cruzado das jogadas políticas continua me surpreendendo. Como esse macho só quer cuidar de seus negócios em paz, é surpreendido quando percebe uma presença estranha vigiando sua casa. Uma mulher, Sola Morte, o cativará como ninguém antes. Aguardem intensas emoções dessas dupla neste livro e n'O Rei!.

Podemos também esperar grandes emoções com um novo ship para o qual eu não esperava torcer, afinal, minhas lembranças de Layla da primeira vez em que li a série não são das melhores. Porém me peguei torcendo por ela e por Xcor. SIM! Eles tiveram aquele momento lindo, no qual Layla trai seu Rei, alimentando e salvando a vida do inimigo Número Um e se apaixonando por ele. Ambos se encantam um com o outro. Logo, o bastardo só quer saber como ela está, se ela foi morta pela traição, enquanto ela está preocupada demais com o filho de Qhuinn que está carregando, mas que corre o risco de perder a qualquer momento... É, eu ainda não gosto nem um pouco da Layla, mas me vejo impossibilitada de odiar Xcor. Sabe aquele fraco pelos vilões? então, alguns fazem isso comigo.

No meio desse quadro político traiçoeiro, segurança nunca é demais e aí entram nossos irmãos favoritos: Trez e iAm. Eles ganham mais destaque do que nunca, afinal, a história dos machos de uma outra espécie, aparentemente muito mais poderosos que os vampiros, os Sombras vem nos intrigando há tempos. Quem são os Sombras? Qual a extensão dos seus poderes? Por que só vemos dois deles no mundo inteiro? Bom, essas são algumas das perguntas que eu espero ter respondidas no 13º livro de IAN, The Shadows. Eles sofrem uma ameaça do seu próprio povo, porque Trez está prometido à realeza e isso gerará consequências desastrosas para os irmãos. Trez não quer voltar para o confinamento de seu povo, o s'Hisbe, mas também não consegue abandonar iAm. Por isso, eles buscam refúgio com seus amigo Rehv que intercede por ele com Wrath.

É um livro cheio de romance e intrigas. Com jogadas políticas, reviravoltas, vinganças e jogos de poder. A Irmandade da Adaga Negra está encaminhada para situações incríveis no décimo segundo volume; posso garantir (porque já li) que todo o universo irá mudar, as regras da sociedade já estavam se transformando para sair daquele passado do Antigo País e se adaptarem ao novo universo em que os vampiros vivem. Wrath não está livre da ameaça constante ao seu reinado e lutará para mantê-lo através das leis e da cordialidade, características nem um pouco bem-vindas ao guerreiro que é.

Enfim, chego ao fim do livro. Espero que tenham gostado da resenha e que também entendam que eu queria falar sobre muitas outras coisas, mas os spoilers me impedem.

Fico por aqui, boa noite!


10 comentários :

  1. Esse livro é maravilhoso!!! Um dos melhores da série, sem sombras de dúvida!! Mas diferente de você, eu gosto de ter um fechamento, sabe? Tudo precisa de um fim na vida. Pra mim, nada é pra sempre. E séries eternas me cansam... Rsrsrs

    Óbvio que é meu ponto de vista. Continuo amando os irmãos e seguindo a história de acordo com as novas publicações!
    E que venha os próximos!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Carol!
      Eu não me importo de ter um fechamento contanto que ela continue viva e escrevendo. Eu já gosto das coisas que duram pra sempre hahaha pra mim, as coisas boas nunca precisariam ter um final

      E que venham os próximos, só não sei quando farei a resenha de O Rei, porque prometi que não vou comprar mais livros até eu ler muitos que estão aqui na minha fila de espera *sofrendo*

      beijos!

      Excluir
  2. Gente, 11 livros? Uau! E ainda vão ter mais?
    E eu nem comecei ainda...
    Hahaha.
    Mas me interessou, com romances, intrigas, reviravoltas, jogo de poder.
    Estou criando coragem para começar!

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda terão mais, Teca! hahaha
      O bom de começar agora é que você não terá que sofrer enquanto espera o próximo volume, por exemplo!

      Você pode procurar as outras resenhas aqui pra ver se realmente é uma leitura que te interessa, mas vá sem se preocupar, porque essa série é maravilhosa!!

      beijos

      Excluir
  3. Eita que o blogger apagou meu comentário.
    Eu odiei esse livro com tudo que existe em mim e é triste falar isso porque eu amo esses dois!
    Mas achei eles infantis demais, pareciam crianças brigando, não teve nada do romance típico na escrita da Ward ou de suave entre os dois, soou tão errado! Estragou eles, dessa forma preferia que tivesse desenvolvido o romance deles nas entrelinhas, porque o que a gente teve deles nos outros livros foi infinitamente melhor do que nesse.
    E gente, a Ward nunca ouviu falar de lubrificante? Fiquei cho-ca-da. Doeu em mim. UHASUHASUHASUHASUAHSUHAUSH
    Confesso, no entanto, que tenho uma cena preferida: Quay pousando o avião foi a melhor coisa da vida!
    Mas não tive saco pros outros mil casais que apareceram nesse livro e com os quais eu não conseguia me importar - eles não foram nem um terço tão cativantes quanto os irmãos foram ao serem apresentados. E não suporto o Xcor e o caminho que ela tá fazendo para ele, como se eu simplesmente fosse perdoar ele e morrer de amores pelo cara que tentou matar o Wrath. Não vai rolar, miga. Sinto muito.
    Os últimos livros só tem me desapontado, na realidade. Minhas últimas esperanças estão com Legacy e The Beast (e se ela ousar fazer porcaria com o livro do meu Reage, largo de vez).
    Dói falar isso porque era uma série que entretida muito, os Irmãos me fazem rir pra caramba e eu adoro toda a mitologia dos vampiros que ela criou aqui. Infelizmente tem desandado feio, como se ela não soubesse qual o limite ou quando parar.
    Anyway, não sei se fico feliz ou triste por você ter gostado UHASUHASUHSUHAS
    Mas estamos ai, na expectativa pelos próximos.

    ps: você sabe que o 12 e 13 já saíram né? Respectivamente The King e The Shadows, The King saiu ano passado, o Shadows não sei se já lançou aqui.
    ps: se você amou esses, leia Lords of the Underworld, da Gena Showalter. É tão bom quanto.

    agora parei de falar :P

    bjs
    blogsomaisum.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, como você falou! Mas não tem problema nenhum.

      Não sei se fico feliz ou triste por você não ter gostado de Amante Finalmente. Foi um livro intenso, que soube lidar muito bem com traumas que Qhuinn e Blay sofreram ao longo da série. Não foi infantilizado, na minha opinião. Ambos lidaram da melhor forma que puderam com as desgraças que apareceram no seu caminho. Sim, o romance deles foi se desenvolvendo ao longo da série, mas nem de perto com a mesma devoção mostrada nesse. Nos outros, sempre tínhamos uma visão do amor de Blay não correspondido, nesse vemos o amor de Qhuinn lutando para ser acreditado.

      Quanto ao lubrificante, gosto de pensar que eles já tinham feito o suficiente para que o Blay sozinho fosse o suficiente naquela ocasião. Os vampiros não precisam dessas coisas triviais dos humanos, nunca precisaram... em momento algum da série (nesse quesito, pelo menos).

      Xcor não morrerá facilmente, tenho certeza disso. Ele é um antiprotagonista muito bom para não ter a chance de viver seu romance. Acho que a Ward nos reserva uma aliança contra os Redutores num futuro próximo. Não sei, talvez ele terá sua chance ou Tohr dará um fim nele antes do que eu espero.

      Tenho altas expectativas para o livro Rhage também, ele é o meu segundo Irmão favorito. hahahaha Não quero que ela pare, o mundo ainda existe, concordo com a autora.

      Sim, eu sei que eles já saíram e está escrito no post. A Universo dos Livros só publicou o Rei aqui. The Shadows ainda não tem previsão para chegar ao Brasil, mas eu já estou desejando comprá-lo em e-book, o farei assim que reler O Rei e resenhá-lo.

      Muitas pessoas já me indicaram esse Underwolrd... talvez eu leia em algum futuro distante, porque agora fiz uma promessa de não comprar livros!

      Acho que é isso, beijos!

      Excluir
  4. Eu não me canso de falar isso:

    IZABELA, VOCÊ É DEMAIS!

    Não existe alguém que conseguiria fazer uma resenha dos livros de IAN tão bem quanto você! Toda vez que eu venho ler uma resenha sobre qualquer um dos livros, me dá uma saudade TÃO grande <3 e o mais importante, amo a visão que você tem da série porque é muito parecida com a minha à parte os personagens favoritos que não são os mesmos, mas ambas amamos todos.

    Sobre a resenha, como sempre está genial e só não digo perfeita porque senão estaria me referindo ao livro, única coisa acima.

    Antes d'O Rei, Amante Finalmente era o meu livro favorito (agora está em 2º lugar)! São tantos acontecimentos, tantas reviravoltas, tantas emoções, surpresas, dor, amor... Achei que a Ward não ia conseguir superar esse livro, mas aí veio O Rei e agora está vindo The Shadows que se for tudo o que eu acompanhei até agora, sei que será o melhor livro de todo o século; mal posso esperar pra chorar minha alma!

    Parabéns pela resenha e continue arrasando.

    PS: não se esqueça que eu te dei O Rei (só preciso entregar) e que quero uma resenha ESPETACULAR igual a essa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamiris, muuuuuito obrigada! Fico mais do que feliz por saber que minhas resenhas são tão bem consideradas por fãs que se parecem tanto comigo quanto à devoção à escrita da J. R.

      Com certeza, nosso amor por IAN é igual. Quando eu entro na onda de releitura para resenhar ou mesmo lendo pela primeira vez os lançamentos (que esperamos, nunca parem de chegar) sempre fico com o coração apertado e cheio de alegria, ao mesmo tempo.

      The Shadows promete muita coisa! Ele está na minha lista de desejados há meses.

      Quanto ao meu presente - MENINA, onde você marcar, eu vou! Pode deixar que não pretendo te desapontar!

      beijos :*

      Excluir
  5. Esse é um livro que simplesmente me encantou! Eu estava com medo dele, porque como sabemos a autora é uma doida, e vai que ela não coloca esses dois juntos... Apesar de ambos sofrerem e passarem por provas eles tiveram um final justo. PORQUE ELES MERECIAM!
    Eu chorei com o final, porque bem, eu sou uma melosa e ver esses dois juntos foi demais pro meu core.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yasmim, eu também amei esse livro!
      Mas não tive medo da J.R. não escrevê-lo com o final feliz que Blay e Qhuinn merecem. Eles sofrem tanto desde o começo que nada poderia mais ficar entre eles a não ser eles próprios.

      Eu não chorei nesse livro, o único em que chorei foi Amante Eterno. Mas me emocionei a todo momento com a história, com certeza!

      Beijos, volte sempre ^^

      Excluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook