A Guardiã de Histórias #01

Autora: Victoria Schwab
Título original: The Archived
Tradução: Daniel Estill
Série: A Guardiã de Histórias
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 322
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa

| Livro cedido em parceria com o Grupo Editorial Record |

Sinopse: Imagine um lugar onde, como livros, os mortos repousam em prateleiras...
Cada corpo tem uma história para contar, uma vida disposta em imagens que apenas os Bibliotecários podem ler. Aqui, os mortos são chamados de Histórias, e o vasto domínio em que eles descansam é o Arquivo. Mackenzie Bishop é uma implacável Guardiã, cuja tarefa é impedir Histórias – geralmente violentas – de acordar e fugir do Arquivo. Naqueles domínios, os mortos jamais devem ser perturbados, mas alguém parece estar, deliberadamente, alterando Histórias e apagando seus trechos essenciais. A menos que Mac consiga juntar as peças restantes, o próprio Arquivo sofrerá as consequências.
 

O livro que trago hoje tem uma temática diferenciada que me chamou a atenção só por conta da sinopse! Já imaginou como seria uma biblioteca que, em vez de guardar livros, guarda os mortos?! Pois é! Eu fiquei muito curiosa de como seria a história e estava doida para ler.

Publicado sob o selo Bertrand Brasil, A Guardiã de Histórias é um Young Adult com uma pegada sobrenatural escrito por Victoria Schwab - conhecida por algumas obras YA e outras mais adultas que sempre carregam uma temática fantástica ou alguns toques sobrenaturais. 

Para explicar o enredo, tentarei resumir de forma clara o universo criado pela autora. O conceito é bem simples: quando nós morremos, viramos Histórias. O nosso corpo pode ser enterrado ou cremado ou mumificado, mas uma cópia perfeita de nós com todo o nosso conhecimento de vida vai parar no Arquivo - que funciona como uma biblioteca guardando todas as Histórias, ou seja, todos os mortos. As Histórias são catalogadas e mantidas em segurança pelos Bibliotecários, sendo que apenas os Bibliotecários conseguem “ler” as Histórias e extrair conhecimento das mesmas. 

Só que às vezes algumas Histórias acabam acordando de seu sono eterno e cabe aos Guardiões devolvê-las o mais rápido possível. Essa obrigação de correr contra o tempo se deve ao fato de que as Histórias entram em pânico ou algo parecido conforme continuam acordadas e se tornam irracionais, sendo capazes de matar os vivos ou até os próprios Guardiões.


Dito isso, quero apresentar a protagonista da história: a jovem Mackenzie Bishop que já passou por poucas e boas em tão pouco tempo de vida. O avô de Mac a preparou desde pequena para que ela pudesse se tornar uma Guardiã de Histórias, assim como ele também era. Mac passou muitos verões com o avô e o irmão mais novo enquanto aprendia a lutar e também a usar os “poderes” dos guardiões.
Esses poderes permitem que os guardiões leiam o passado através de objetos pessoais, paredes ou chão, para que possam caçar as Histórias perdidas. O porém é que isso torna muito difícil tocar os vivos sem sentir uma avalanche de sentimentos e pensamentos que dá uma imensa dor de cabeça aos Guardiões, por isso eles utilizam um anel especial que ajuda a bloquear grande parte do “barulho” que os vivos transmitem. 

Com a morte do avô, Mac se tornou uma Guardiã de Histórias e desde então ela tem caçado Histórias e mantido sua profissão em segredo de todos seus conhecidos.

A história começa apresentando o grande problema que a família Bishop está passando, pois há quase um ano, Ben - irmão mais novo de Mac - morreu atropelado enquanto atravessava a rua para chegar à escola. Devido ao luto, seus pais resolveram mudar de casa e mãe decidiu abrir uma cafeteria. Mac então, além de ter que manter o segredo sobre ser uma guardiã, deve sofrer calada com a perda do irmão, com a mudança para um prédio antigo e mal cuidado, e com a distância de sua melhor e única amiga.

Enquanto tenta se adaptar ao novo local e aos novos vizinhos, coisas estranhas começam a acontecer em seu território. Uma quantidade absurda de Histórias começam a despertar e algumas delas tiveram partes de seus conhecimentos apagados - como um livro com páginas rasgadas.
É assim que Mac e Roland, que é um Bibliotecário amigo de Mac (e antes também era do avô de Mac), começam uma investigação secreta e perigosa para descobrir o que está de fato acontecendo.

Mas conforme Mac encontra novas pistas, mais chances aparecem da própria Mac virar uma História! Assim, a garota deverá confiar em seus instintos e desconfiar de seus amigos Bibliotecários e Guardiões para compreender a real situação e salvar o Arquivo e todas as Histórias da extinção!

"Hey, legal, estou morto!"

A Guardiã de Histórias tem um início mais lento para inserir o leitor no universo criado, mas logo que a ação começa não tem mais retorno! São lutas, descobertas de pistas e um mini mistério que deixarão todos ansiosos para o final.

Devo confessar, porém, que achei os vilões previsíveis. Acabei descobrindo quem eram antes de chegar de fato à parte das revelações, mas mesmo assim é uma história que vale a pena ler. 
Os twists criados pela autora são muito bem pensados e feitos. A história amarra os pontos atuais e também de outros fatos que remetem há mais de 60 anos antes da história de Mackenzie.

O legal também é que Victoria Schwab já lançou um livro, com o título de The Unbound, que é a sequência direta do primeiro livro, A Guardiã de Histórias. Vamos torcer para que venha logo para o Brasil! :)





11 comentários :

  1. Ao ver a sinopse e a capa do livro, achei bem interessante a premissa de que livros guardam mortos e que possuem uma guardiã! O livro é cheio de reviravoltas, deu para perceber isso só lendo a resenha! quero ler para conhecer mais sobre os guardiões, fiquei mais louca ainda para ler !

    ResponderExcluir
  2. Eu to quase pirando pra ter esse livro, mas mais ainda porque estou numa fase que não tenho nenhum tempo pra lê-lo :/
    E eu amei a resenha pq me deu ainda mais vontade de ler :')

    ❥Blog: Gordices Literárias

    ResponderExcluir
  3. Quando o lançamento dele aqui no Brasil foi anunciado vi muita gente louca por ele, ao que fui saber do que se tratava. E assim como você fiquei curiosa sobre essa tal biblioteca kkk bem diferente de tudo que já li. Fiquei curiosa para ler esse livro, acho que irei gostar!

    ResponderExcluir
  4. Então, Carol, só vi resenha favorável deste livro, mas não tenho vontade de ler. Nem sua resenha fez isso!

    ResponderExcluir
  5. Oi Carolina!
    Esse livro tem uma sinopse muito interessante e fiquei muito curiosa com essa trama e universo criado pelo autor.
    É bem diferente de tudo que tenho lido e acho que por isso chamou tanto a minha atenção.
    Ter o início lento e vilões um tanto previsíveis não me desanimou nem um pouco.
    Me parece ser uma leitura bastante instigante e misteriosa.
    Mal posso esperar pra lê-lo!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. A sinopse realmente já nos deixa bem curiosas u.u
    Não conhecia o livro ,mas adorei a premissa ,muito interessante e diferente.

    ResponderExcluir
  7. Quero muito ler esse livro desde que soube como era temática. É bem interessante uma biblioteca que guarda os mortos e suas histórias. Estou ansiosa para conhecer mais a fundo os personagens e me surpreender mais ainda com o enredo.

    ResponderExcluir
  8. Achei a historia original, ainda não tinha visto algo assim, a memória dos mortos serem historias e que interessante que uma guardiã pode ler o passado através de objetos e paredes, fiquei muito impressionada com esse fato. E parece ter muitos acontecimentos inesperados é um livro que despertou minha curiosidade em ler.

    ResponderExcluir
  9. a temática desse livro me parece com uma animação francesa que eu assisti (se eu lembrar o nome eu digo) só que na animação era uma criança que guardava os contos de fadas é muito fofo vale a pena assistir =)
    voltando eu ando meio decepcionado com YA, mas como esse tem uma pitada de fantasia vou dar uma chance e obrigada por avisar que o começo é meio lento assim eu insisto !
    mais um para a minha lista

    ResponderExcluir
  10. Olá, Carol!

    É a segunda resenha sobre este livro que leio. Não acho a capa bonita, e confesso que isso me fez nem sentir vontade de ler a sinopse. O interesse pelo livro surgiu após ler a primeira resenha, e aumentou agora, mesmo com a informação d que os vilões podem ser previsíveis. Acho que, no fim das contas, vale a pena. Principalmente para quem é fã do estilo. Né?

    Valeu pela dica ;)

    Abraço

    ResponderExcluir
  11. Eu entendo o ritmo mais lento por ser o livro de introdução, mesmo assim parece acontecer várias coisas, muita ação e mesmo tendo os vilões previsíveis, a trama em si vale a pena. Isso de depois de morrer virar uma história, que os guardiões e bibliotecários podem ler é interessante e assustador. Utiliza isso um elemento muito usado como o que acontece com as pessoas depois que morrem com um toque de originalidade, virando livros. Vou esperar todos os livros serem lançados para ler de uma vez, assim não tenho que ficar aguardando a sequência.

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook