Espada de Vidro - Red Queen #02

Autora: Victoria Aveyard
Título original: Glass Sword
Tradução: Cristian Clemente
Série: Red Queen
Editora: Seguinte
Páginas: 494
Onde encontrar: Companhia das Letras | AmazonBr | Saraiva

| Livro cedido em parceria com a Companhia das Letras |
Sinopse: O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.
  
Preciso dizer que eu tinha expectativas muito altas para esse livro, como você podem perceber pela minha resenha de A Rainha Vermelha. No entanto, não encontrei exatamente o que esperava. Comecei esse livro e já fiquei meio chateada com a Mare. Ela era uma personagem muito interessante no primeiro volume. Nesse segundo, porém, parece que o mundo gira em torno dela. Em torno de sua revolução, de seu poder, e de seu coração partido. Fiz uma análise profunda do porquê eu me sentir assim e percebi que pode ser por eu já ter uma personagem egocêntrica em meu coração, Celaena Sardothien (por favor, reparem nos nomes, ok!) My queen can do no wrong.


"Sou a arma mais poderosa numa embarcação cheia de guerreiros, e eles parecem não perceber." Mare, p. 52

Bom, como vocês podem se lembrar, Mare Barrow conseguiu fugir do caos da Arena com a ajuda da Guarda Escarlate e muito sangue prateado e vermelho derramado. Ela e Cal são procurados por todos os lados. Ele é o assassino do Rei, o traidor de seu povo e sua coroa; ela é a garota elétrica, uma manipuladora e assassina, malvada - como a Rainha Elara quer pintar os membros da Guarda.

A narração de Victoria continua bastante cinematográfica. Ou seja, começamos Espada de Vidro no ponto em que A Rainha Vermelha terminou e vamos até o final, com a adrenalina à mil! Admito que as cenas de ação que encontro aqui são muito bem escritas! Temos Shade, Mare, Farley, Cal e Kilorn fugindo do monstro deixado no palácio, o novo rei - Maeven. O irmão mais novo se transformou em um vilão perfeito, cruel e desestabilizador de emoções.

Mare, no entanto, não consegue seguir em frente, não é capaz de compreender a traição que acabou de sofrer. Agora, carrega o peso de um segredo, de um dever importantíssimo sobre os ombros: encontrar o máximo de sanguenovos possíveis. Esses são os de sangue vermelho, com poderes de prateados, porém, mais forte do que ambos. E essa jornada será intensa! Basicamente todo o livro, pra ser mais exata. Ela contará com a ajuda de seu irmão, Shade, que acreditávamos que estava morto, na verdade, é uma personagem maravilhosa. Assim como a irmã, ele também possui poderes! Ele salta, ou seja, é o novo Noturno.

Farley e Kilorn, apesar de humanos, terão papéis cruciais no desenrolar da trama. Afinal, estão no círculo interno dessa nova revolução; mas não se enganem: apesar de serem fracos, se comparados com os poderes que existem nesse novo mundo, eles mostraram o poder que existe em ser companheiro, em ter coragem, em saber o que precisa ser feito e fazê-lo, não importando as consequências.

"O vermelho escorre sobre o prateado, e ambos se misturam numa cor mais escura." Mare, p. 112

Consigo dividir o livro em quatro grandes momentos: o primeiro, no qual nos damos conta de que a Guarda Vermelha é muito maior do que poderíamos ter imaginado; seus soldados atuam com outros governos, dão abrigo à civis vermelhos e são comandados por um general severo. Foi justamente nessa parte que o ego de Mare começou a me incomodar um pouco. Ela sabe de tudo, ela só confia em seus raios, e todos os outros são uma ameaça. Mas ela não se decide! Porque continua sempre voltando pedaços do seu coração para Cal. No entanto, essa história não é a respeito de sentimentos, ou sobre o romance entre o príncipe caído e a garota especial; a história de Victoria é a respeito de poder, de tramoias políticas e dos desejos obscuros que nos forçam a tomar decisões que não consideramos capazes de escolher, num primeiro momento. E isso é lindo. Gosto muito disso no livro.

"Mas eu sou a garota elétrica, e ele não fazia ideia do que é o verdadeiro poder." Mare, p. 67

O segundo momento aparece quando Mare e seus aliados iniciam sua jornada em busca dos sanguenovos. E esse é um dos pontos mais legais do livro. As missões de infiltração e resgate de pessoas que não faziam nem ideia do que estavam escondendo durante todas as suas vidas. Os novos poderes que surgem são espetaculares. O meu preferido, obviamente, é o de controlar a gravidade, ou seja, o que consegue voar! Temos também uma Mística de 50 e tantos anos, Colossos indestrutíveis... enfim, vários poderes legais! Mare se sente responsável por cada um dos nomes da lista, e então nós seguimos por páginas e mais páginas de missões e discursos auto-piedosos. (Yep, não lidei bem com Mare durante esse pedaço. Ela não sabe quem é, e eu sabia menos ainda).

"E temos uma aliança - instável, forjada em sangue e traição. Estamos conectados, unidos contra Maven, contra todos que nos enganaram, contra o mundo prestes a se despedaçar." Mare, p. 13

Um encontro terrível com Maeven e o surgimento de um sanguenovo cujo nome não está na lista que Julian é o que considero como terceiro momento. Nesse ponto, Victoria dá a Maeven uma possibilidade de perspectiva completamente nova. Tudo o que sabemos é que esse garoto é um monstro, e que podemos esquecer o noivo que ele foi para Marenna no primeiro volume. E ele nos ajudará a perceber isso, pois é capaz mesmo de cometer um leque de atrocidades. Tudo o que Mare quer é matá-lo e nós, leitores, com certeza, esperamos ansiosamente por esse momento.

"Um movimento de cabeça faz a coroa escorregar; é grande demais para a cabeça dele. Até o pedaço de metal sabe que não pertence a ele." Mare, p. 29

Chegaremos, então, ao quarto momento. Com as dicas do sanguenovo Jon (que, ao contrário de seu xará Snow, sabe muitas coisas). Mare e seu exército particular partem para uma missão perigosa: libertar presos de uma fortaleza projetada para manter prateados dentro. O plano deles é sólido e tem tudo para dar certo, porque a vantagem é dos sanguenovos!; porém Elara e Maeven são capazes de qualquer coisa para conseguirem aquilo o que querem, respectivamente, mais poder e Mare.

Quais serão as consequências dessa última parte? Uma leitora muito louca de curiosidade e emocionalmente instável, porque não sabe como lidar com tudo o que aconteceu de forma tão abrupta. Preciso do terceiro livro! (Consciente de que não poderei ir com tanta sede ao pote para não me irritar com a narração de Mare novamente).

"- Prepare-se. lembre-se de como você é forte.
A eletricidade nas minhas veias talvez seja a única coisa em que confio neste mundo." Cal e Mare, p. 12-13

Gostaria de fazer um comentário especial sobre uma personagem que não deveria ser coadjuvante, mas acaba sendo: Kilorn. Ele é a base de toda a minha argumentação! Apesar de entender que Mare passou por muitos desafios e reviravoltas em seu tempo no palacete real, não entendo como ela pode esquecer tão rapidamente de quem foi com seu melhor amigo. Se você cresce com uma pessoa, você aprende a lê-la e não são alguns eventos que farão essa realidade intrincada em seu ser mudar.

Não é porque você está apaixonada que você fica cega, certo?  Eu sou muito sensível quando o assunto são melhores amigos. Então, Mare pisou na bola pela forma com a qual lidou com os sentimentos e as inseguranças do nosso marujo/rebelde. Apesar disso, eu entendo. Entendo porquê Mare (Victoria) fez tudo o que fez. Só gostaria que "entender" fosse sinônimo de "gostar", o que não é o caso. Você não trata seus melhores amigos assim, mesmo quando não sabe o que está acontecendo. Enfim, fica aqui meu desabafo. Espero que vocês possam entender  a minha leitura das ações da Mare! E me digam o que acharam desse intenso segundo volume!

"- Falei para você confiar em mim. Por que não acreditou?" Kilorn, p. 127

Termino dizendo que o trabalho da Editora Seguinte foi impecável. Adorei a capa, ela é linda e brilha. A revisão está ótima! Só a diagramação que ficou um pouco apertada e tinha vezes que eu achava que a letra estava sem espaçamento, mas era só impressão. Leiam, leiam, leiam. O próximo capítulo dessa jornada promete mais sangue e mais traições!




10 comentários :

  1. Eu parei em ''A rainha vermelha'' já tenho ''Espada de vidro'' mas ainda não li, fiquei chateada com alguns pontos do 1° livro (como as grandes referencias de outros livros) e não terminei com grandes expectativas para este, também sou bem sensível quando se trata de melhores amigos, a autora consegue descrever muito bem a ponto de nos deixar saber toda a personalidade dos personagens, acho que vou dar uma chance para este livro

    ResponderExcluir
  2. Iza, preciso ler a Rainha Vermelha. PRECISO!!! Tenho certeza que irei adorar (mesmo o primeiro paragrafo dessa sua resenha não ser boa sobre a sequência..kk). Vou ler e depois venho contar. xD

    ResponderExcluir
  3. A rainha vermelha foi a minha primeira leitura do ano e fiquei simplismente fascinada com a história e com os personagens. E o que dizer sobre aquele final? Enfim, necessitava dessa continuação, acabei que comprei na pré-venda e ainda não li :/ Como explicar isso?
    Mas pretendo lê-lo logo!

    ResponderExcluir
  4. Quando li A Rainha Vermelha fiquei desesperada pela Espada de Vidro. Mas depois que comprei fiquei sabendo o quanto teria que esperar pela sequência e isso me desanimou um pouco.
    Lendo sua resenha me fez lembrar porque preciso logo ler esse livro.

    A Mare não é minha personagem preferida e ainda acho que o Maeven foi o que mais me surpreendeu no decorrer da leitura.
    Tenho uma queda por vilões e ele com certeza foi pro topo da lista.
    Estou louca pra saber que rumo vai tomar essa busca por sanguenovos.
    Preciso colocar essa leitura em dia :)
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Não li a resenha ,tenho muito interesse nessa série e fiquei com medo de encontrar spoilers u.u

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler Espada de Vidro, já li A Rainha Vermelha e adorei. Teve alguns acontecimentos no primeiro livro que me deixaram bem surpresa e estou com muitas expectativas para com esse segundo livro. Um ponto negativo que encontrei através de sua resenha foi: o ego elevado da Mare, acredito que isso possa me incomodar também. Mas, fora isso, acho que irei adorar a leitura.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li o primeiro livro, mas esse parece estar cheio de acontecimentos e muita agitação em busca dos sanguenovos. Sinto que ficarei com o pé atrás por causa da Mare não gosto de personagens que se acham rs.

    ResponderExcluir
  8. eu já tenho esse livro, mas eu tô enrolando para ler pq eu sei que vou querer a continuação e Deus sabe quando vai ser. bom, como eu já tinha percebido o ego meio distorcido da Mare talvez isso me incomode, só que querendo ou não ela é daquelas que luta ai isso balanceia um pouco a raiva, sem falar que as cenas normalmente compensam tudo isso
    mas enfim criando coragem p ler e ter raiva pois não tem fim o livro

    ResponderExcluir
  9. Olá, Izabela!

    Que resenha fantástica! Primeiramente preciso concordar com algo de fundamental importância: Celaena, diva, amor do meu coração. Pronto.

    Segundamente, concordo com você com relação à Mere. Acho que pelo fato do livro ser em primeira pessoa, e a gente se ver obrigado a ficar inteiramente na mente dela, vendo as perspectivas dela, chega determinado momento que cansa mesmo. Principalmente porque ela chega a ser cansativa em determinados momentos...Mas, mesmo concordando e pensando assim também, eu entendo o lado dela. São muitas reviravoltas. Muita traição. Nada é exatamente aquilo que a gente imagina... Deve ser duro viver nessa insegurança emocional e física.

    E o que a Capitã deixou nas entrelinhas? E o que aconteceu com o irmão? Eu tenho a impressão que tudo tende a piorar. Mas a autora é mestra. Acho que ela ainda vai nos surpreender positivamente nos próximos livros.

    beijo

    ResponderExcluir
  10. O mundo criado pela autora é fascinante, ela conseguiu fazer uma estória recheada de reviravoltas, traições, sangue, batalhas e muitas surpresas, eu achei esse livro melhor que o primeiro, por ter mais ou menos definido quem é quem, quais intenções as pessoas realmente possuem, mas claro que a Victoria pode mudar isso a todo momento. A edição está muito bonita mesmo, a Seguinte fez um trabalho incrível,que venha o próximo livro!

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook