Volta Para Mim

Autora: Mila Gray
Título original: Come Back to Me
Tradução: Carolina Alfaro
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa

Sinopse: Kit Ryan está de volta à sua amada Califórnia, de folga do serviço militar. Conquistador inveterado, ele só quer aproveitar as quatro semanas livres antes de retornar ao trabalho, mas se vê atraído pela irmã de Riley, seu melhor amigo. Há tempos Jessa Kingsley chama sua atenção, porém a família super protetora dela sempre foi um obstáculo.
Desta vez, contudo, Kit desiste de lutar contra os próprios sentimentos e logo Jessa se rende ao seu charme. O que começa apenas como um romance de verão rapidamente se torna um relacionamento apaixonado.
Quando chega a hora de Kit voltar ao serviço com Riley, nem ele nem Jessa estão prontos para se despedir. Ela enfim está seguindo os seus sonhos e ele descobriu alguém por quem sacrificaria tudo. Jessa promete esperá-lo e Kit garante que voltará para ela. Não importa o que aconteça.
Mas então uma visita inesperada traz uma notícia trágica: uma das pessoas que ela mais ama morreu em serviço. Quem terá sido? Seu irmão ou seu namorado?
Em Volta Para Mim, Mila Gray constrói uma história de tirar o fôlego sobre amor, amizade e família, conduzindo o leitor por uma jornada de superação e autodescoberta.

Devo confessar para vocês que estava enrolando para pegar esse livro de propósito. Quando li a sinopse imaginei que ia acabar chorando em algum ponto da história e estava certa. Assim sendo, já alerto aos futuros leitores da obra que haverá choro envolvido. 

Foi meu primeiro contato com os New Adult de Mila Gray, que é um pseudônimo de Sarah Alderson, conhecida por obras de Young Adult e Não-Ficção, e gostei muito. Volta Para Mim é o primeiro título traduzido da escritora aqui no Brasil e foi publicado pela editora Arqueiro.

A protagonista é Jessa, uma garota americana com o sonho de ser atriz. Só que o pai de Jessa é coronel do exército americano e sofre de estresse pós-traumático de guerra que não foi tratado. Sendo assim, a família sofre há anos com surtos e explosões de raiva e vive sempre pisando em ovos, com um medo enraizado do coronel. Por conta disso também, Jessa é completamente controlada pelas vontades do pai e, além de não poder cursar teatro na universidade que desejava, ela não tem permissão de ter um celular e nem conseguiu aprender a dirigir - mesmo após completar 18 anos (no EUA é permitido tirar a habilitação aos 16 anos). 


A história têm início com um prólogo sob a narração de Jessa no momento exato em que ela descobrirá que perdeu alguém que ama para sempre, talvez o irmão ou o namorado. Mas antes mesmo que a gente descubra por quem Jessa sofrerá, o livro volta três meses no tempo para nos apresentar Riley e Kit.

Riley é o irmão mais velho de Jessa e que está sempre entrando em conflito com o pai por nunca obedecer a vontade do patriarca. Riley, por conta do histórico da família com o pai, se tornou um guardião de Jessa, tentando protegê-la de tudo que puder. Mas, em vez de ir para a universidade - como o pai desejava -, Riley se alistou entre os fuzileiros navais com um contrato de quatro anos junto de seu melhor amigo Kit.

Kit, cresceu junto de Riley e Jessa, mas não tinha realmente notado Jessa até a última vez que esteve em casa, antes de voltar a servir. E depois Kit passou todo o último ano pensando em Jessa enquanto estava longe de casa. Só que, sendo ela a irmãzinha de Riley, Kit pensa duas vezes antes de tentar qualquer coisa. Isso porque Riley é como um irmão para Kit e o ajudou em alguns momentos bem difíceis. 
A mãe de Kit morreu ainda nova por causa de um câncer e o pai - que também era oficial do exército - se entregou à bebida por anos até resolver seus demônios internos. Hoje o pai de Kit é capelão do exército e tenta compensar o tempo perdido com os filhos. 
Outro agravante para Kit em relação à Jessa é o fato que o pai de Riley e Jessa simplesmente o odeia e nunca o aceitou em sua casa, assim como também odeia o pai de Kit e a razão disso é conhecida apenas pelos dois homens.


No aniversário de 18 anos de Jessa, tanto seu irmão, Riley, quanto Kit estão de volta. Infelizmente eles ficarão apenas um mês durante o verão e logo deverão partir para mais um ano de serviço - o último do contrato de quatro anos com o exército. Mas Jessa pretende não pensar nisso e apenas aproveitar mais uma vez o pequeno período de tempo que tem com ambos. 

Narrado tanto por Jessa quanto por Kit, vamos conhecer como a relação dos dois começou de fato, quando se apaixonaram e se declararam, o primeiro beijo e a primeira vez de ambos. Veremos também o amadurecimento de ambos como indivíduos e como o relacionamento fará Jessa criar coragem de confrontar o pai, além de ajudar Kit a criar alguns outros objetivos fora do exército.

Mas, junto de Jessa, nunca me sinto assim. Deitado aqui com ela agora, sob este céu infinito, parece que somos as únicas pessoas no planeta. Não estou do lado de fora, mas bem aqui dentro, exatamente onde é meu lugar. Quando visto o uniforme, finjo ser alguém, deixo de ser eu mesmo. Quando Jessa olha para mim, meu corpo libera toda a tensão, toda a farsa, e relaxa. É uma sensação boa. Mais do que boa. É uma sensação de liberdade.
Gosto do jeito como ela me vê, penso enquanto observo os milhões de estrelas que morrem e se extinguem acima de nós. É alguém que vale a pena me esforçar para ser.
Kit, p. 50

Ao mesmo tempo que vamos nos apaixonando pelo casal, também nos encantamos por Riley que tenta ser um bom irmão e dar alguma normalidade à vida de Jessa, como por exemplo dar um celular escondido de presente de aniversário. Riley também é louco pela namorada chamada Jo, uma garota responsável que não pôde estudar depois do Ensino Médio para ajudar a bancar a casa e seus irmãos mais novos.


Depois que a gente conhece Riley e Kit fica muito difícil imaginar a morte de qualquer um deles. Mas, infelizmente, sabemos que um dos dois morrerá em serviço alguns meses após o verão. E quando chega esse momento, o drama realmente começa.

Pois, além de perder uma das pessoas que mais ama, Jessa ainda terá que passar por uma grande provação com o sobrevivente que trará muitas cicatrizes emocionais do Afeganistão. Cicatrizes essas que não são tão fáceis de se curar e cuja recuperação é muito mais complicada. É um processo de luto e superação.

Só se vive uma vez. Mas, se você fizer as escolhas certas, uma vez basta.
p. 6

Volta Para Mim é um livro muito bonito. Além de nos apresentar uma grande história de amor, também nos mostra uma comunidade de famílias militares que já estão acostumadas a mandar seus entes queridos para guerra. Mas ao mesmo tempo no qual eles se orgulham de ter alguém no exército servindo ao país, eles também sofrem com a falta de comunicação e com a ansiedade eterna de receber a terrível visita de superiores informando sua perda.
O livro nos mostra alguns dos dissabores da guerra e suas consequências nas pessoas, mesmo após o fim do conflito.

Deixo claro também que o romance é cheio clichês e chega a ser previsível em alguns momentos importantes da história, mas acredito que isso não tira a beleza do enredo. Isso porque muito além dos clichês e do romance, temos que lidar com a tristeza de algumas das consequências da guerra naqueles que ficaram para trás e, especialmente, nos que voltaram.

Ao terminar o livro ainda fiquei pensando no assunto porque é uma questão que milhares de pessoas continuam vivendo diariamente. Quantas pessoas amadas já não se perderam nessa imensidão de guerras que temos atualmente? Quão difícil deve ser para um pai enterrar seu filho? Ou para uma mulher enterrar o seu amado? São vidas jovens tiradas por questões políticas e econômicas. Será que vale a pena?


Enfim, recomendo muito a leitura para fãs de romance com um pouco mais de drama. Tenho certeza que não irão se arrepender! ;)





15 comentários :

  1. Adoro um bom drama, esse parece esta repleto dele,ih já não gostei do pai da Jessa deve ser aqueles velhos chatos kk. Pelo visto vem muito sofrimento por ai nessa historia e momentos comoventes, esse lado da guerra para quem esta lá deixa marcas pra lá de cruéis e de difícil recuperação.

    ResponderExcluir
  2. Oioi! Tudo bem?
    Não conheço a autora Mila Gray e fiquei encantada quando vi a capa e li a sinopse.
    Ainda não li e amei saber mais do livro pela sua resenha.
    Sempre gostei New Adult e esse parece ser um dos bons.
    Sempre choro com personagens morrendo, mas vou me segurar e ler com certeza.
    Linda resenha, aumentou a vontade de ler.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  3. Certeza que irei desmoronar com esse NA, pois sou bastante chorona com livros ! gosto de livros que escondem algo do leitor e que voltam ao passado, assim ficamos curiosos e sabendo o passado da personagem conseguimos imaginar o que pode ser esse mistério todo, gostei da escolha da narrativa, espero ler a obra e me apegar muito aos personagens, ao ponto de sofrer por eles

    ResponderExcluir
  4. Carolina-de-Deus!

    Nunca imaginaria que um personagem irá morrer e quando cheguei nesta parte da resenha, me vi assistindo 'Pearl Harbor', que quase entrei em coma por conta da história lindíssima!

    Com certeza irei ler este livro que deve ser maravilhoso! :)
    Valeu pela dica! ;)

    Beijos!
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  5. Já tinha lido a sinopse uma vez e acabei esquecendo depois... lembrei dela agora e vou colocar já o livro na lista do skoob para não perder de novo, pois fiquei com ainda mais vontade de ler o livro depois dessa resenha!


    ResponderExcluir
  6. Oi Carolina!
    Quero muito ler volta Pra Mim. Desde que li a sinopse fiquei bastante curiosa. O tema soldados na guerra foi o que mais me chamou a atenção.
    O fato da Jessa não ter voz ativa, acho até um pouco compreensível, já que ela convive com um pai que sofre de estresse pós-traumático.
    Estou muito animada pra saber mais sobre Kit e Jessa e todo o romance e drama envolvendo esse casal.
    Vou separar um lencinho pra essa leitura e me preparar psicologicamente pro drama que está por vir :D
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Oi, não conhecia o livro, sua resenha me deixou bastante interessado. É um gênero que gosto muito, pretendo ler em breve, obrigado pela dica.
    Abraços.
    http://litaralmentelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. É um pouco difícil não encontrar um elemento clichê nos livros.
    Não conheço essa autora, mas vou procurar o e-book com certeza.
    Li a sinopse e já deu uma deprê...
    Poxaaaaaaaa que maldade desse povo que tem que matar personagem putzzz às vezes eu acho que isso é uma maneira de dar um rumo na história que os autores não saberiam como se não o fizessem, fui clara? hahaha

    Só sei que dá a maior vontade de viver um amor assim, não com esse destino pelamorrrrr mas pela intensidade e pela verdade do sentimento, que é mútuo, claro.

    Bom, adorei a resenha :D

    http://rascunhosehistorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. A primeira vez que vi esse livro na internet pensei que fosse do Nickolas Sparks kkkk e logo torci o nariz e nem procurei saber sobre o que se tratava. Mas agora descobri que não é dele kkkk não gostei muito dessa capa porém lendo sua resenha fiquei interessada em lê-lo, mesmo sendo um drama, os personagens parecem ser bem envolventes e cativantes. Como o mundo da voltas kkk

    ResponderExcluir
  10. Ainda não conhecia esse livro, porém depois de ler sua resenha, estou curiosa para iniciar a leitura. Mas, primeiro, tenho que me preparar psicologicamente, pois, sei que vou chorar muito. Estou bem ansiosa para saber quem morreu. O enredo parece ser lindo e trágico, ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir
  11. Carol, vi esse livro em alguma livraria e nem dei atenção (a capa me lembra Nicholas Sparks), mas li a sua resenha eu fiquei apaixonada. Deve ter os clichezinhos que falou, mas eu gosto deles...hehehhe E o que me chamou a atenção foi o ambiente onde se passa a história e "como assim" um deles morre!!!? Vou ler. xD

    ResponderExcluir
  12. Não curto muito livros dramáticos ,mas apesar disso fiquei bem empoganda com a história ,não gostei nem um pouco da capa ,mas gostei do enredo ,daria uma chance para essa leitura com certeza.

    ResponderExcluir
  13. começar pela capa: eu não gostei muito.
    acho que não precisava vc dizer que o livro é cheio de clichês, afinal a irmãzinha do meu melhor amigo já diz isso né?
    esse tipo de livro não faz muito meu estilo e me irrita livros que são muito previsíveis, então por enquanto eu não leria

    ResponderExcluir
  14. Olá, Carol!

    Gostei da premissa do livro. Fiquei com uma dúvida, não sei se rola você responder porque pode ser spoiler.. Mas queria saber só se é uma história ao estilo Nicholas Sparks... Porque fico muito infeliz com livros assim. Sou uma eterna romântica, que prefere aquele felizes para sempre com o casal unido no final. E aí? rs me dá essa dica, please.

    beijo

    ResponderExcluir
  15. Sem dúvidas é um enrendo clichê, mas isso não tira em nada a beleza do romance, o drama de perder alguém querido, a autora contar a estória de Riley e Kit durante esse período antes de voltar ao serviço, faz o leitor torcer para que tudo fique bem, mesmo sabendo que algum não voltará. Essa construção dos personagens é o ponto forte do livro, realmente apesar de triste é a realidade de muitas famílias. Uma leitura para se emocionar e refletir.

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook