Uma Noite Como Esta - Quarteto Smythe-Smith #02

Autora: Julia Quinn
Título original: A Night Like This
Tradução: Ana Rodrigues
Série: Quarteto Smythe-Smith
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa

Sinopse: Anne Wynter pode não ser quem diz que é…
Mas está se saindo muito bem como governanta de três jovenzinhas bem-nascidas. Seu trabalho é bastante desafiador: em uma única semana ela precisa se esconder em um depósito de instrumentos musicais, interpretar uma rainha má em uma peça que pode ser uma tragédia ou, talvez, uma comédia – ninguém sabe ao certo – e cuidar dos ferimentos do irresistível conde de Winstead. Após anos se esquivando de avanços masculinos indesejados, ele é o primeiro homem que a deixa verdadeiramente tentada, e está cada vez mais difícil para ela lembrar que uma governanta não tem o direito de flertar com um nobre.
Daniel Smythe-Smith pode estar em perigo…
Mas isso não impede o jovem conde de se apaixonar. Quando ele vê uma misteriosa mulher no concerto anual na casa de sua família, promete fazer de tudo para conhecê-la melhor, mesmo que isso signifique passar os dias na companhia de uma menina de 10 anos que pensa que é um unicórnio.
O problema é que Daniel tem um inimigo que prometeu matá-lo. Mesmo assim, no momento em que vê Anne ser ameaçada, ele não mede esforços para salvá-la e garantir seu final feliz com ela.

Uma Noite Como Esta é o segundo livro do Quarteto Smythe-Smith, a nova série da Julia Quinn publicada pela editora Arqueiro. O primeiro título da série, Simplesmente o Paraíso (Resenha), contou a história de Honoria  Smythe-Smith e o amor que nasceu da longa amizade com Marcus Holroyd, conde de Chatteris e também melhor amigo de seu irmão mais velho, Daniel  Smythe-Smith.

Meu box Quarteto Smythe-Smith <3

Agora, vamos acompanhar a volta para casa de Daniel Smythe-Smith, conde de Winstead. Três anos antes, Daniel se envolveu em um duelo de cavaleiros com seu amigo Hugh Prentice. Tudo por conta de muita bebida e um jogo de cartas. A questão é que, como os dois jovens cavalheiros estavam extremamente alcoolizados, ambos erraram a pontaria e atiraram de fato no adversário (o que não era a intenção de nenhum dos dois, diga-se de passagem). Daniel levou um tiro no ombro e Hugh na coxa, só que uma veia foi atingida e Hugh quase perdeu a vida.
Embora Daniel tenha tentado se desculpar pelo erro, o pai de Hugh não o perdoou pelo fato do filho ter se tornado “incapaz” (explicando: Hugh ficou manco da perna ferida). Por isso, Daniel passou os últimos três anos fugindo por todo o continente europeu de assassinos contratados para matá-lo. 
As boas novas chegam quando Hugh reencontra Daniel na Itália e lhe explica que conseguiu convencer o pai a não tentar matar o amigo mais. Então, Daniel pode finalmente voltar para Inglaterra.

Daniel chega em exatamente a tempo de uma apresentação do terrível e famoso “Quarteto  Smythe-Smith”. Mas imaginem a surpresa do rapaz quando uma jovem desconhecida (que com certeza não é nenhuma de suas primas) está tocando o piano. A garota prende a atenção de Daniel a noite inteira.

Ora, ora, aquilo era um mistério. Daniel sabia (porque a mãe lhe dissera várias vezes) que o Quarteto Smythe-Smith era composto de jovens damas Smythe-Smiths solteiras, e ninguém mais. A família, na verdade, tinha muito orgulho disso, de produzir tantas moças com talento musical (palavras da mãe de Daniel, não dele). Quando uma delas se casava, há havia outra esperando para assumir a posição. Nunca haviam precisado que alguém que não pertencente à família ocupasse um lugar no quarteto. Na verdade, a questão principal era: que pessoa não pertencente à família iria querer ocupar um lugar no quarteto?
Daniel, p. 23

Anne Wynter é uma excelente governanta, porém extremamente bela - o que já lhe causou muitos problemas na vida. Atualmente Anne se encontra em um trabalho ideal, cuidando das jovens garotas Pleinsworth, Harriet, Elizabeth e Frances - irmãs mais novas de Sarah Pleinsworth (pianista do Quarteto  Smythe-Smith e protagonista do terceiro livro, A Soma de Todos os Beijos). Anne esconde um grande segredo, ninguém sabe muito sobre sua história de vida e ela faz o impossível para permanecer sempre nos bastidores da sociedade.
É com grande surpresa e temor que Anne se vê obrigada a tocar o piano durante o concerto das Smythe-Smith, já que a jovem Sarah acabou ficando “doente” inesperadamente.

Logo após a grande apresentação com as jovens Smythe-Smith, Anne se prepara para voltar à casa das Pleinsworth quando é agarrada por um jovem desconhecido! Logo a garota descobre que ele é ninguém menos que o jovem conde de Winstead, Daniel Smythe-Smith.

Santo Deus, ela precisava fazê-lo compreender. Não importava quem era ele, ou como a fazia se sentir. A empolgação da noite... o beijo que haviam trocado... aquilo era efêmero. O que importava era que ela tivesse um teto sobre a cabeça. E comida. Pão, queijo, manteiga, açúcar e todas as coisas maravilhosas que tivera todos os dias durante a infância. E que tinha agora, com os Pleinsworths, além de estabilidade, um emprego e amor-próprio. Anne não subestimava essas coisas.
Anne, p. 39

A partir dessa noite Daniel arrumará todo o tipo de desculpas imagináveis e algumas não tão imagináveis assim para se aproximar ainda mais da srta. Wynter. Anne porém, por causa de seu passado e dos segredos que guarda, faz tudo o que pode para se manter longe de Daniel e dos sentimentos que começa a desenvolver pelo jovem cavalheiro.

E Daniel, após tantos anos sem contato com outras pessoas, volta para casa um tanto quanto “selvagem”. Mas aos poucos começa a voltar a ser o jovem sorridente e educado que era. Embora seu novo objetivo seja de descobrir todos os segredos da jovem governanta de suas primas, a srta. Wynter.

-Desejo beijar a senhorita. É isso que quero que saiba. Porque, se não vou beijá-la, e parece que não vou, porque não é o que a senhorita quer, ao menos não neste momento... se não vou fazer isso, a senhorita precisa saber que eu queria beijá-la. - Daniel fez uma pausa e fitou a boca de Anne, seus lábios carnudos e trêmulos. - Ainda quero.
Daniel, p. 105

Nessa “brincadeira de gato e rato” tanto Anne quanto Daniel criarão fortes sentimentos, mas, como nem tudo é flores, ambos terão que lidar com ataques contra suas vidas e lutar contra os terríveis passados que ambos tentam esquecer todos os dias.

Uma paixão louca, era disso que se tratava. Uma fantasia estranha e vertiginosa. Com certeza não era o primeiro homem a se ver tão rapidamente arrebatado por uma linda mulher. Mas enquanto se acomodavam em seus assentos, na sala de refeições cheia da estalagem, Daniel a fitou do outro lado da mesa e não foi sua beleza que viu. Foi seu coração. Sua alma. E teve a profunda sensação de que sua vida nunca mais seria a mesma.
Daniel, p. 150

Uma Noite Como Esta foi um romance que não me cativou inicialmente porque achei Daniel abusivo no início, como quando agarra Anne logo no começo sem a permissão da moça. Só que ao longo da narrativa vamos compreendendo um pouco de tudo o que ele passou nos últimos três anos e a falta total de contato humano em sua vida - não que isso seja desculpa, mas amenizou um pouco a situação.

Ao mesmo tempo, Anne é uma moça simples que sofreu muito na vida por ter confiado em homens errados. Ela é linda, mas também inteligente, bondosa e competente. Só que a sua beleza também lhe custou outros empregos. É por isso que a jovem está muito feliz em seu cargo de governanta das Pleinsworth e morre de medo de sair prejudicada ao deixar Daniel se aproximar. 

Para a relação dos dois dar certo, ambos terão que reaprender a confiar e partilhar os segredos que guardam. O que é ainda mais difícil do que simplesmente se apaixonar. 

Eu amo você. Ardentemente.

Apesar desse livro ter como enfoque o relacionamento de Daniel e Anne, as jovens Pleinsworth (Harriet, Elizabeth e Frances) praticamente roubam grande parte das cenas. Elas são extremamente cativantes e é muito bom saber que iremos acompanhar mais aventuras delas nos próximos livros do Quarteto Smythe-Smith (A Soma de Todos os Beijos e Os Mistérios de Sir Richard).

Uma Noite Como Esta, assim como todos os outros livros da autora, é uma leitura fluída e rápida. Este, porém, foi um livro que fui aprendendo a gostar ao longo da narrativa e do desenvolvimento dos personagens. É também um título que carrega muito mistério em torno dos segredos e do passado de Anne, além de uma grande tensão por conta dos inúmeros “acidentes” que Daniel e Anne têm sorte de sobreviver. Com certeza é uma história diferente, mas com aquele tipo de romance que só encontramos no gênero e um pequeno toque já familiar da forma de escrita de Julia Quinn. Livro recomendado! ;)  

Confira outros títulos da Julia Quinn:



14 comentários :

  1. Oie!! Que resenha mais linda, parabéns!
    Morro pra ler os livros da Julia, apenas acompanho resenhas lindas das obras dela, qro mto conseguir ler...
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Carolina, achei essa série maravilhosa e curti demais essa leitura, nem me incomodei com o amor instantâneo, que foi muito citado como um ponto negativo por muitos pra ele e não tinha pensado nessa questão do abusivo (no entanto eu acho que ele é mesmo é impulsivo rsr). O livro é ótimo e as jovens Pleinsworth realmente roubam a cena, queria que elas ganhassem sua própria série de tanto que gostei delas :D

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Ainda não conheço a escrita da autora, mas tenho grandes expectativas, mesmo porque adoro romances de época. Tenho toda a série Os Bridgertons, mas ainda não comecei a leitura. Também vou querer ler essa sua indicação.
    Amei a resenha, parabéns.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Carolina!
    Mesmo que no início Daniel tenha sido um tanto abusivo com Anne, admirei por ele enfrentar tanto sua própria capacidade e aceitar Anne com as dúvidas e receitos dela e também por ela ser governanta, ele não teve preconceito.
    “A juventude é a época de se estudar a sabedoria; a velhice é a época de a praticar.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Eu quero muito ler essa série!
    Amo a escrita da Julia Quinn e ainda estou tentando completar minha coleção dos livros dela.
    Super ansiosa para começar a ler!

    ResponderExcluir
  6. Quer ler essa série da autora, gostei por esse ser diferente e ter mistério que adoro e deve ser bem engraçado Daniel interessado nela e ela se esquivando, fiquei curiosa em saber sobre seu passado o que aconteceu de tão grave para ela se esconder.

    ResponderExcluir
  7. Não tenho como expressar o quanto amo a Julia. Tenho um carinho muito especial pelos Bridgertons... falo até como se eles fossem reais kkkk
    Já comprei os 4 livros do Quarteto Smythe-Smith, to só esperando chegar pra começar a ler!

    ResponderExcluir
  8. Oi.
    Eu sou apaixonada pela escrita da autora Julia Quinn e confesso que não vejo a hora de ler essa série, adoro mocinhas fortes que apesar dw sofrerem muito não perdem seu espírito, essa capa é linda.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Tenho muita vontade de ler esse quarteto, principalmente pelo fato de na maioria das vezes as resenhas só tenha críticas positivas em relação a essa leitura. Amo leituras que vão amadurecendo, ficando mais envolvente e gostosa durante o decorrer da estória. Enfim, os personagens me pareceu cativante, e bem construído, já quero essa obra.

    ResponderExcluir
  10. Oi Carolina,
    A cada nova resenha dos livros da Julia Quinn, mais obras da autora quero conhecer. Em Uma noite como esta a autora conseguiu me chamar atenção com uma sinopse cheia de intrigas e segredos e é a partir de uma brincadeira que não acaba bem, entre dois amigos que esta trama vai se iniciar. Gostei do fato da protagonista não ser da alta sociedade, isso trás um pouco de diversidade e também torna a história mais romântica. Fiquei curiosa para saber quais segredos Anne esconde e como ela e Daniel farão este relacionamento dar certo.

    ResponderExcluir
  11. "mesmo que isso signifique passar os dias na companhia de uma menina de 10 anos que pensa que é um unicórnio." hahahah, adorei!! Gostei da história não só pela curiosidade de saber os segredos do protagonista, mas também porque parece ser ter passagens bem divertidas, como as apresentações em família. Quero ler!!

    ResponderExcluir
  12. Carol, só li o primeiro e eu amei tanto!
    Pena que esse não te cativou tanto e logo de cara.
    MAs, óbvio, lerei e lerei com muito prazer, haha.
    A gente às vezes fica meio assim com os personagens masculinos machistas de romances de época, mas esquece que a sociedade era outra. :( Pelo menos as mocinhas não nos decepcionam!
    Julia Quinn é queen!
    Hehe

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  13. É uma pena que voce não gostou muito do começo, pode parecer surpresa mas ate agora ainda não li nenhum dos livros da Julia Quinn, mas quero ler assim que tiver a serie completa pois de tanto que vejo falarem bem eu sei que irei gostar.

    ResponderExcluir
  14. Carol, a resenha está impecável, mas confesso amiga, a ostentação da sua fotografia linda-perfeita-mara-ever,foi a melhor parte! Hahaha! Amei! =D

    Beijos,
    Danny
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook