Um Sussurro nas Trevas

Autor: H. P. Lovecraft
Título original: The Whisper in Darkness
Tradução: Guilherme da Silva Braga
Editora: Hedra
Páginas: 147
Onde encontrar: AmazonBr | Cultura | Hedra | Saraiva

| Livro cedido em parceria com a Editora Hedra |
Sinopse: A história se desenrola em torno dos acontecimentos ocorridos após as grandes enchentes de Vermont em 1927. O acadêmico Albert N. Wilmarth, ao ouvir histórias sobre cadáveres de animais desconhecidos boiando nas águas, tenta vincular os relatos às crenças populares da região. O assunto ganha os jornais e com isso surge Henry Wentworth Akeley, um folclorista de Vermont que acredita na existência de cultos secretos e criaturas inumanas nas colinas do estado e logo percebe estar diante de coisas muito mais poderosas do que poderia imaginar. O apêndice traz o texto inédito “Vermont, uma primeira impressão”, um poético relato da viagem que influenciou de maneira decisiva a escritura dessa novela.

Hoje nós vamos voltar um pouco na história, lá para 1930, com um dos mestres do horror e suspense da história da literatura: Lovecraft.

Antes de começar, eu quero deixar por escrito, como todas as letras, que essa foi a minha experiência com o livro; não é uma verdade absoluta e eu não estou usando teóricos de base, é só a minha opinião mesmo, ok? 

O conto trata de acontecimentos estranhos em Vermont de 1927: criaturas não identificadas foram encontradas no lago da cidade, e o desaparecimento não solucionado de um inteligente folclorista apenas traz mais suspeitas ao professor — e pesquisador do caso — Albert Wilmarth. 

A população da cidade, como era de se esperar, comenta o caso e descreve as criaturas. O interessante, porém, é também o inesperado: contando com a falta de coerência entre os relatos dos moradores, a verdade é que quase tudo bate:

Na época, era impressionante notar como os detalhes de diferentes fontes tendiam a coincidir [...]. Concluí que a as testemunhas — todas elas pessoas ingênuas e humildes de áreas remotas —haviam vislumbrado os corpos contundidos e inchados de seres humanos ou de animais do campo nas correntes revoltas; e permitido que o folclore revestisse esses tristes objetos de uma aura fantástica.
P. 28

Ao longo do conto, a personagem principal, narrador-personagem, explica as cartas que trocou com Hery Wentworth Akeley, o tal folclorista desaparecido. O suspense vai sendo construído em cima das informações graduais e o leitor é obrigado a seguir com a troca de cartas para chegar até o desfecho.

Lovecraft sendo a autoridade em ficção científica que é, é complicado ter uma crítica não condizente com seu talento reconhecido, e talvez por isso seja difícil admitir que não gostei da leitura. Tenho alguns argumentos, mas o principal é apenas questão de gosto: eu não sou a fã nº 1 de SciFi, então admito que é uma questão pessoal.

No entanto, alguns aspectos da escrita e construção da obra me agradaram pouco. A personagem principal não é muito bem caracterizada; talvez por ser o próprio narrador, pouco se sabe sobre sua personalidade, que até me pareceu bem genérica.

Além disso, por várias vezes senti uma repetitividade na escrita: temas já tratados na narração de Wilmarth são repetidos nas cartas de Akeley. E não só o fato de haver repetições acontece mais de uma vez, mas o de ser a mesma informação repetida mais de uma vez, deixou a leitura mais enfadonha.

E um ponto pouco coerente foi a transcrição das cartas: Wilmarth as cita de memória, como ele mesmo diz, mas as cartas são tão longas e precisas que achei isso um furo no enredo — nada que comprometa o desenrolar da trama, no entanto.

A história em si é interessante, mas não funcionou muito bem para o meu gosto literário. Apesar disso, ainda recomendo que tenham a experiência, justamente para saber se condiz com seu gosto. Afinal, é um conto curto e uma ótima maneira de iniciar-se nas leituras de Lovecraft.



Resenha por Bel Brito

7 comentários :

  1. Oi Bel!
    Que pena que você não gostou da leitura, mas pode ter sido isso mesmo: não é o seu gênero.
    Eu nunca li nada do Lovecraft, mas tenho vontade.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li nada do autor, mas tenho interesse em ler devido aos elogios. Parecia ser interessante esses contos com essa criatura, desaparecimento e suspense, são temas que gosto em livros, isso geralmente gera mistério, é uma pena que não funcionou com você.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bel!!
    Como sou uma pessoa que ama suspenses com certeza esse livro já chamou minha atenção!! E como ainda não li nada desse autor pode ser interessante começar com esse conto.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Oi Bel!
    É uma pena quando não nos identificamos com a leitura. Mas as chances de isso acontecer são maiores quando não gostamos muito do gênero. E confesso que não curto muito SciFi, e dificilmente leio contos. Mas gosto de mistérios e suspense na trama. Só fiquei meio assim com essa repetitividade que você falou, pois é algo que realmente me incomoda numa leitura.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá Bel!
    Que livro bacana! Só pelo gênero já me prendeu atenção, sua resenha tá excelente e mtooo detalhada, eu adorei!
    Qro mto ler esse livro!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Como eu ainda não li nada do autor, fiquei interessada em ler e espero gostar, parece ser bom.

    ResponderExcluir
  7. Não me cativou esse livro, até porque também não sou fã de SciFi, prefiro outros gêneros literários mas pra quem gosta desse tema, talvez agrade =)

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook