The Kiss of Deception #1

Autora: Mary E. Pearson
Título original: The Kiss of Deception
Tradução: Ana Death Duarte
Série: Crônicas de Amor e Ódio
Editora: DarkSide Books
Páginas: 416
Onde encontrar: AmazonBr | Saraiva | Submarino


Sinopse: Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro?
Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor.

Este livro ganhou o meu respeito. Eu comecei a lê-lo, mas não consegui entrar por completo no mundo criado por Mary. Foi uma leitura um tanto lenta, admito, mais por minha culpa do que do livro. Minha vida deu uma guinada de 180° nas últimas semanas e eu ainda estou me adaptando. O divertido é que, de tão incrível, o livro conseguiu me ganhar e eu adoro quando isso acontece. Junto à história envolvente, o trabalho da Editora DarkSide torna a experiência de leitura primorosa: a capa dura, as páginas beges, a diagramação escolhida, os mapas nas contracapas,  o pôster e o marcador que acompanham a versão impressa fizeram com que eu me apaixonasse pelo volume físico que recebi. Pelo trabalho que nos é oferecido, acreditem, vale o dinheiro que paguei!


A história da Princesa Arabella Celestine Idris Jezelia quase mira o clichê na primeira metade do livro (eu o divido em: antes e depois da trollagem). Lia, como prefere ser chamada, foi prometida em casamento com o príncipe do Reino de Dalbeck, alguém que ela nunca viu e que ela definitivamente não ama. Como Primeira Filha, Lia possui deveres, responsabilidades, e muitas expectativas estão depositadas em seus ombros; sua mera existência deveria significar vantagens para o Reino de Morrighan, porém a princesa ainda não demonstrou sinais de estar desenvolvendo seu dom, ou seque de que o teria algum dia. Portanto, a única utilidade estratégica que seu pai vê nela é casá-la a fim de unir forças contra o Reino de Venda, o lar de bárbaros.
“'Eu não sou um soldado no exército de meu Pai.'
'Sim, minha querida. Você é.'” Lia e Mãe, p. 20



Lia, porém, recusa o papel que teria de desempenhar em todo esse estratagema. Ela, junto de sua amiga Paulline, foge. Abandona título, mãe, pai e irmãos sem nem olhar para trás. Lia acredita realmente que qualquer lugar que ela encontre em seu futuro será melhor do que aquele que ela deixou em seu passado. Nessa viagem descobriremos um pouco mais a respeito da paisagem do mundo de Pearson. Conhecemos seus costumes, um pouco de sua cultura que nos lembrará muito a Idade Média por conta de suas longas e cansativas viagens à cavalo, estalarias, festivais, treinamento com armas brancas e a óbvia divisão monarcal que rege esses três reinos distintos.

Em Terravin, a cidade que Lia mal conhece, mas já considera como sua casa, seremos apresentados a dois personagens (quatro, se você considerar que não sabemos quem é quem): Rafe, Kaedan, O Assassino e O Príncipe. Este dois últimos saíram e seus lares com um único objetivo, encontrar Lia. As intenções que têm ao iniciar suas jornadas são completamente diferentes das ações que tomam ao finalmente encontrarem a princesa perdida. Quem ler, assim como eu, elaborará as mais diversas teorias, crente de que estamos lendo da forma correta. E é nesse momento que Mary Pearson dá na nossa cara.


O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas mais belas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.

Um texto lindo que encontrei da autora fala sobre a importância de se escreverem mulheres fortes na literatura, Mary E. Pearson on the importance of writing strong woman. São palavras que qualquer leitor deveria ler. Afinal, como coloca Mary, a literatura protagonizada por heroínas não é somente feita para as mulheres; é de extrema importância que os homens cresçam lendo essas personagens para que possam ser seres-humanos decentes no futuro. Afinal, não é o superpoder que deveria gerar respeito, como é o caso de Lia. Mulheres fortes são aquelas que fazem o seu melhor com aquilo que tem. E é exatamente essa situação que Pearson nos apresenta em sua história. É tão lindo ver uma autora escrevendo sobre aquilo em que ela acredita!

A segunda parte desse livro foi a decisória par que eu realmente admirasse o trabalho da autora. Depois da trollagem (a Carol ficaria um tanto brava comigo, acredito), fiquei intrigada, me perguntando por quais caminhos Mary seguiria, afinal, ela já tinha me enganado uma vez. E poderia muito bem fazê-lo novamente. E é essa expectativa que faz com que você leia correndo a parte final - e bem mais interessante - do livro. Não entendam de forma errada: o livro todo e incrível, porém a primeira parte é focada mais naquele triangulo Lia, Rafe e Kaedan. A única parte que chama nossa atenção são as tentativas de assassinato e o motivo por de trás delas.

Veja bem, Lia não fugiu de casa sem antes ter causado um pouco por lá. Ela roubou documentos antigos, e escondidos, de um velho irritante que se achava poderoso. Na segunda parte da história, perceberemos que o livro é realmente crucial para tudo. Joguei aí essa informação no ar só para atiçar a curiosidade de vocês.

Acredito que eu possa terminar minha resenha aqui. Espero que vocês deem uma chance a essa trilogia. Torcemos para que a DarkSide mantenha o usual padrão maravilhoso de suas publicações e vamos descobrir o que acontecerá com Lia, agora que ela está mais longe de casa do que imaginou ser possível!

“'Vejo apenas lembretes de que nada dura para sempre, nem mesmo a grandeza.'
'Algumas coisas duram.'
'É mesmo? E exatamente que coisas seriam essas?'
'As coisas que importam.'” Lia e Rafe, p. 119









Seção das Quotes


“Eu só tinha dezessete anos. Não tinha o direto de nutrir meus próprios sonhos para o futuro?” Lia, p. 15

“[...] em um ato rápido que nunca poderia ser desfeito, sai em disparada buscando a cobertura da floresta, sem, em momento algum, olhar para trás.” Lia, p. 25

“Agora, essa vida era um sonho criado por mim mesma, na qual o único limite era a minha imaginação. Era uma vida comandada por mim, apenas por mim.” Lia, p. 28

“Nós caímos na gargalhada de novo, e eu estava mais grata por Pauline do que pelo ar que eu respirava.” Lia, p. 34

“Eu estava com raiva porque ela teve a coragem de fazer o que eu não tive coragem de fazer!” o Príncipe, p. 41

“A morte é assim. Não há dignidade alguma nela.” Rafe, p. 169

“Não sou um tolo. Faço promessas aos deuses, não aos homens.” O Sacerdote, p. 223

“Mesmo que não seja uma visão, ainda poderia ser o dom. Pode existir outros tipos de saberes.” Pauline, p. 232

7 comentários :

  1. Adoro quando o livro tem uma heroína, a narrativa fica bem mais legal ♥ Amei a resenha e a capa do livro é maravilhoso *-*
    O enredo me cativou muito pois envolve fantasia e adoro esse gênero. Espero poder ler em breve ♥

    ResponderExcluir
  2. Olá, Izabela!!
    A resenha ficou maravilhosa!! Parabéns!! Estou louca que o meu exemplar chegue pois adoro as edições da Darkside. A capa é maravilhosa e os mimos que vem juntos são mega lindos!! Espero ansiosamente para começar a ler!! Beijoss

    ResponderExcluir
  3. Oi Izabela!
    Que livro incrível! Terminei essa leitura completamente extasiada e desesperada pelo segundo livro. O que mais me intrigou foi a dúvida em saber quem era o príncipe e o assassino. Juro que só descobri no último minuto, hahaha.
    outra coisa que achei muito bonito, foi a amizade da Lia com a Pauline. Adorei a personalidade da protagonista. Mocinhas assim tornam a leitura muito mais interessante. O chato é ter que esperar a continuação :/
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Ansiosa pra ler esse livro q tenho ouvido falar tão bem...
    Enredo perfeito e surpreendente!
    Parabéns pela resenha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Eu estou doida pra ler esse livro! Só vejo elogios dele. A história parece ser super interessante, e eu acho que vou gostar bastante dos personagens. E já vou ler esse texto escrito pela autora também :)
    E essa capa está muito linda, mas todos os livros da Darkside são lindos <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Esse livro esta na minha lista de compras, esta sendo bem elogiado. Adoro historias em que a protagonista seja forte e destemida, vou ler o texto da autora e gostei da parte que os homens sejam seres humanos decentes no futuro. Só não gostei desse triângulo, fiquei curiosa em relação ao assassino e ao príncipe.

    ResponderExcluir
  7. Jogou a informação para aticar nossa curiosidade e realmente conseguiu, pois alem de achar a capa linda, a resenha está um máximo e eu to super afim de ler o livro.

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook