Uma Canção de Ninar

Autora: Sarah Dessen
Título original: This Lullaby
Tradução: Flávia Souto Maior
Editora: Seguinte
Páginas: 352
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa


| Livro cedido em parceria pelo Grupo Cia das Letras |


Sinopse: Remy não acredita no amor. Sempre que um cara com quem está saindo se aproxima demais, ela se afasta, antes que fique sério ou ela se machuque. Tanta desilusão não é para menos: ela cresceu assistindo os fracassos dos relacionamentos de sua mãe, que já vai para o quinto casamento.
Então como Dexter consegue fazer a garota quebrar esse padrão, se envolvendo pra valer? Ele é tudo que ela odeia: impulsivo, desajeitado e, o pior de tudo, membro de uma banda, como o pai de Remy — que abandonou a família antes do nascimento da filha, deixando para trás apenas uma música de sucesso sobre ela.
Remy queria apenas viver um último namoro de verão antes de partir para a faculdade, mas parece estar começando a entender aquele sentimento irracional de que falam as canções de amor.

Fiquei apaixonada por Sarah Dessen com o livro Os Bons Segredos (Resenha) e desde então tenho procurado seus outros títulos e tentado arrumar tempo para lê-los. Por isso, foi com grande prazer que recebi Uma Canção de Ninar do selo Seguinte

A história tem como protagonista Remy, uma garota que acredita que o amor tem um prazo de validade determinado e aprendeu isso por ter vivenciado de perto os relacionamentos fracassados da mãe, que está indo agora para o quinto casamento.

Remy sempre viveu com a mãe e o irmão mais velho, Chris. Seu pai foi um músico que fez uma única música de sucesso, criada em homenagem à ela. Ironicamente, o pai nunca conheceu a filha, mas a “Canção de Ninar” pelo menos irá pagar a faculdade dela.


O destino começa agir na vida de Remy quando ela está na concessionária de carros de seu futuro padrasto, Don Davis, para organizar alguns detalhes finais da cerimônia de casamento que se aproxima. Será a primeira de várias vezes que ela encontrará Dexter, um garoto estranho e totalmente fora dos padrões de namorados dela. 

-Oi - ele disse alegre. -Tudo bem?
-Qual é o seu problema? - rebati, passando a mão no cotovelo.
-Problema?
-Você acabou de esbarrar em mim, babaca.
-Nossa - ele disse enfim. -Que língua afiada.
Só fiquei olhando para ele. Não é um bom dia, amigo, pensei. Você não me pegou num bom dia.
-É que eu te vi na loja - ele disse, como se estivéssemos discutindo o clima ou a política mundial. - Ali perto do mostruário de pneus.
Eu tinha certeza que estava olhando com cara feia, mas ele não parava de falar.
-Fiquei pensando que a gente tinha alguma coisa em comum. Senti uma química, vamos dizer. E tive a sensação de que alguma coisa grande estava para acontecer. Com nós dois. A sensação de que nascemos para ficar juntos.
-Você se deu conta de tudo isso olhando para os pneus? - perguntei tentando esclarecer.
-Você não sentiu? - ele perguntou.
-Não. Só senti você me jogando contra a parede - eu disse calmamente.
-Foi um acidente - ele disse, abaixando a voz e se aproximando de mim. - Um descuido. O resultado infeliz do entusiasmo que senti ao saber que estava prestes a falar com você.
Olhei para ele. Tocava agora uma versão animada do jingle da Don Davis Motors.
-Sai daqui - eu disse.
Dexter e Remy, p. 17

A garota já tem seus planos traçados para começar sua nova vida universitária em Stanford no fim do verão e não quer complicações. Mas ela não vê problema nenhum em ter mais um romance antes de ir embora e Dexter não parece querer desistir dela mesmo. 

Enquanto o resto do mundo seguia alheio, tomando café, lendo o caderno de esportes e pegando as roupas na lavanderia, eu me inclinava para frente e beijava Dexter, fazendo uma escolha que mudaria tudo. Talvez em algum lugar houvesse uma reverberação, um salto, uma pequena mudança no universo, quase despercebida. Não senti naquela hora. Senti apenas que ele retribuía o beijo, me levando para a luz do sol enquanto eu me perdia no gosto de sua boca e sentia o mundo seguir seu rumo, como sempre havia feito, à nossa volta.
Remy, p. 124


Embora Remy tenha suas próprias regras sobre relacionamentos, Dexter vai quebrar cada uma delas. Dexter é impulsivo, bagunceiro, desastrado e faz parte de uma banda! Tudo o que Remy não queria em sua vida, mas por algum motivo desconhecido ela está aceitando todos os "defeitos" dessa vez. Remy começa a ficar realmente confusa sobre o que está acontecendo em sua vida. 

Agora Remy terá que decidir se realmente quer tentar ter um relacionamento de verdade com um cara que não é nada o que ela desejava, mas que faz seu dia muito melhor ou voltar para o seu plano de vida definido que obviamente não o incluía. 

Minha mãe era forte em todos os pontos que eu era fraca. Ela caiu, ela se machucou, ela sentiu. Ela viveu. E, mesmo com todos os tombos, ainda tinha esperança. Talvez na próxima vez desse certo. Talvez não. Mas, sem entrar no jogo, não dá pra saber.
Remy, p. 325

Uma Canção de Ninar é uma história rica na simplicidade de sua narrativa e no amadurecimento de seus personagens. Muito bem construída e desenvolvida, a obra nos apresenta algumas das questões mais atuais nas nossas vidas: relacionamentos. Seja com a família, ou de amizade, ou do tipo romântico.

Remy é uma garota que cresceu sem grandes exemplos de relacionamentos duradouros. Seu pai abandonou sua mãe antes mesmo de seu nascimento, deixando todos na pobreza. Em seguida houve uma sucessão de diferentes padrastos em sua vida, mas nenhum ficou por muito tempo. Agora a mãe está entrando no quinto casamento, o irmão está com uma namorada que parece ter saído de um livro de autoajuda sobre como ter sucesso na vida e Remy está confusa.
Ela sempre teve namorados seguindo um padrão definido e com certo prazo de validade (não que eles soubessem disso, é claro). Mas, desde que ela conheceu Dexter, Remy tem quebrado cada uma de suas próprias regras. Era para ser apenas mais um romance de verão, mas parece que eles estão cada vez mais conectados, mesmo ele sendo tudo o que ela não queria em um namorado.  


Além disso, podemos ver também como o relacionamento de Remy e da mãe tem certos problemas e uma inversão de papéis, sendo a filha a pessoa responsável por cuidar da casa e da mãe. 

A base de apoio de Remy vem de três amigas, Lissa, Jess e Chloe. Que estão juntas há anos, uma cuidando da outra, se ajudando e se vingando de quem merece (como um ex-namorado babaca, por exemplo). Mas mesmo elas não são capazes de acabar com a desilusão do amor de Remy. 

Esse será um verão muito intenso para Remy. Ela terá que lidar pela primeira vez com um cara que pode realmente ganhar seu coração, além de melhorar seu relacionamento com a mãe antes de partir para faculdade. Talvez a melhor forma de descrever essa questão é que Remy terá que ter coragem de se arriscar a sofrer para aproveitar um relacionamento de verdade.

Uma Canção de Ninar é mais uma bela história de Sarah Dessen. Com uma narrativa simples, mas rica em seus personagens e nos dilemas enfrentados por eles. Se você é fã de Young Adult, tenho certeza que irá gostar! ;)




10 comentários :

  1. Oi Carolina, ainda não li nada da Sarah mas já ouvi muitos elogios a sua escrita e esse livro parece ser muito bom e encantar pela simplicidade. O fato de Dexter ser tudo o que Remy não procura deve render cenas fofas, como a da página 17 que você incluiu no post. Já anotei a dica ;)

    ResponderExcluir
  2. Tenho vontade de ler o livro Os Bons Segredos da autora. Esse parece ter um romance fofo pelo menos o personagem parece ser, entendo esse receio da personagem em ter um relacionamento mais sério, pois ela não teve bons exemplos de relacionamentos na família, então da um certo medo. Vou querer ler esse também rs.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carolina!
    Não acredito que vou dizer isso, mas... depois da sua resenha agora, de repente começo a cogitar dar mais uma chance à autora com esse livro. A verdade é que os anteriores que li ou ao menos tentei ler dela não me agradaram muito, sequer envolveram como esperei devido tantos elogios que a autora recebe constantemente; foram eles O que Aconteceu com o Adeus e Os Bons Segredos. Mas agora, com sua resenha, começo a achar que Uma Canção de Ninar pode conseguir me agradar ainda, principalmente pelo o quote que você colocou que destaca a forma como a Remy conhece o Dexter, bem inusitada e até engraçada. A vontade que deu é de conhecer o personagem e me embalar junto deles nesse romance tão inesperado e fora dos padrões da protagonista. Espero gostar do livro dessa vez, enfim, tanto quanto você! Parabéns pela ótima resenha também!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥
    ♥ DandoUmadeEscritora.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  4. Resenha linda Carolina!
    Estou ainda mais curiosa pra conhecer este livro, pelo enredo parece bom...
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Adorei a historia de Remy, e como ela vai descobrindo o amor no decorrer do livro. É natural que ela nãoa acredite neste sentimento no inicio, afinal ela tem medo de se machucar. Mas ela vai se descobrindo e perceber que aquilo é bom, que sentimento maravilhoso em sentir. Enfim, Adorei o livro, não curti muito a capa, porém a historia é linda

    ResponderExcluir
  6. AAAAAA é a segunda resenha que leio dessa livro e cada fico com mais vontade ainda de le-lo! Ainda não li nada da Sarah Dessen ;/ mas quero muito ler em breve <3

    ResponderExcluir
  7. Carolina!
    Gosto também da escrita da autora e embora ainda não tenha lido esse, bem gostaria porque gosto quando vejo o amadurecimento das personagens e ainda eles tem de enfrentar seus próprios dilemas.
    Deve ser uma ótima leitura.
    Semaninha cheia de felicidade!!!
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Carol, ainda não li nada da autora, mas todo mundo fala bem, principalmente de Uma Canção de Ninar.
    E acho as capas lindas!
    Adorei a história. Sinto que é aquele tipo de livro que vou gostar muito, uma pegada YA, de amor e tudo mais.
    Dica anotada!

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  9. Parece aqueles livros amorzinhos <3
    Já gostei!
    Nunca li nada da Sarah, mas tenho muita vontade, parece que ela tem uma narrativa gostosa de se ler. Quem sabe esta não seja a minha primeira leitura...

    Visitem meu blog!
    http://garotaeraumavez.blogspot.com.br/
    Obrigada

    ResponderExcluir
  10. Oi Carolina,
    Nunca li nada da Sarah Dessen e, também, nunca tive interesse em ler, mas quando este livro foi lançado, pela primeira vez me interessei em conhecer a escrita da autora e uma de suas obras. Pelo que entendi temos uma adolescente que não age como tal e saber que não terá os mimimis adolescentes é um ponto a favor da história. Dexter é o oposto de Remy e isso pode ser bem interessante de acompanhar, tenho certeza que o relacionamento deles não será nada tedioso. Outra ponto que chamou atenção é a parte relacionada a música, pois livros com este tema sempre são muito cativantes e tornam a história mais emocionante.

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook