A Hora Mais Sombria - A Mediadora #04

Autora: Meg Cabot (sob o pseudônimo de Jenny Carrol)
Título original: The Mediator: The Darkest Hour
Série: The Mediator
Tradução: Alves Calado
Editora: Record
Páginas: 272
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino

Sinopse: Suzannah sofre com sua paixão por Jesse - o fantasma 'muito gato e com abdômen de tanquinho', que 'vive' assombrando seu quarto. Desta vez, Suzannah aproveita as férias de verão para incrementar seu guarda-roupa com o dinheiro ganho com um trabalho árduo e muitíssimo trabalhoso. Enquanto passa seus dias como babá, sonhando com aquele novo par de Manolo Blanik ou aquele vestidinho Prada, ainda arruma tempo para orientar um menino de cinco anos que se revela um mediador. Para completar, precisa fugir das cantadas do irmão mais velho do moleque, que guarda um estranho segredo.

Agora sim é que a série fica interessante... Claro, sempre foi, mas agora Suze começa a enfrentar seus maiores desafios e descobre mais sobre o que é e quem Jesse foi quando estava vivo.

Como nem tudo são flores — e na vida de Suze, quase nada é —, depois de acabar com um esquema de fraudes e assassinatos por puro acidente, suas férias de verão estão comprometidas com um emprego temporário de babá em um hotel badalado de Carmel, o Pebble Beach and Golf Resort. Além de passar o tempo todo usando o uniforme horrível do hotel, fica refém do menino assustado e pouco sociável Jack Slater, de oito anos. 

Enquanto tenta lidar com os medos do menino e seu charmoso, porém insistente e arrogante, irmão Paul, Suzannah ainda tem de lidar com seus problemas sobrenaturais: com o objetivo de fazer um deck com ofurô, seu engenhoso padrasto, durante suas “escavações” no quintal da casa, acaba encontrando mais do que tinha calculado. 

Quando digo que a série começa aqui é porque as personagens que aqui aparecem, permanecem. É um dos melhores aspectos da obra nesse sentido: Meg Cabot não mais inventa novos enredos baseando-se em personagens que duram um livro e somem para sempre; Paul e Jack retornam, e se tornam peças importantes para os próximos dois volumes, bem como a história de Jesse é mantida e desenvolvida (estejam preparados para as revelação com Maria de Silva). Essa mudança, na minha opinião, é uma boa evolução: percebe-se uma possibilidade de aprofundar características de quem já foi apresentado em vez de criar novas personagens tão planas quanto as anteriores. 

Não só as personagens apresentadas aqui serão evoluídas como a própria Suze. Muito de sua personalidade já foi definido com os três volumes anteriores, e é do final do terceiro livro até aqui que vemos do que Suze é realmente feita. Existe um contraste com a Suzannah-toda-poderosa, que aqui precisa lidar com seus problemas tanto emocionais quanto reais (pelo menos, para uma mediadora eles são reais, né hahaha!). Ela se mostra mais “mole” quando consegue sentir afeição de verdade por seu irmão, lá no final do livro anterior.

Além disso, acompanhar Paul, Suze e Jesse em um triângulo amoroso, por mais clichê que fosse, era inevitável, e da maneira como foi escrito, creio que agrada os leitores — principalmente os que se iniciam na leitura por meio dos romances infanto-juvenis.

As cenas de Jesse e Suze melhoram com o tempo e deixam de ser tão... unilaterais. Se é que me entendem (e eu espero que entendam, porque não posso passar daqui ou os spoilers me acompanharão). Não é mais uma paixonite afetada, existe algo ali promissor, que amadurece a partir desse volume. 

Acredito que esse seja o livro de transição da série: antes, fomos apresentados à nova vida de Suze, seus amigos e seus interesses amorosos, sendo sua personalidade e suas capacidades como mediadora construídas aos poucos; agora, já conhecida e formada, Suze enfrenta os problemas de verdade e começa a decidir o tipo de pessoa que será e como encarará seus desafios. Uma fantasma vingativa, um novo mediador na jogada, um romance cheio de empecilhos e uma vida adolescente comum. 

Sempre falo desses livros com muito carinho, mas não é de graça. É uma série que mostra a evolução das personagens e faz você evoluir com elas. Cabot sempre teve a chave para a literatura infanto-juvenil e A Mediadora talvez seja um dos melhores exemplos (pra mim, é o melhor, mas talvez O Diário da Princesa tenha alguns argumentos que me desbancam, hehehe).

É um dos meus livros preferidos da saga — até porque são férias de verão e o livro faz você se sentir no verão. Quem chega até aqui está fadado a terminar, não por obrigação, mas por gosto. Se você não se apaixonou pela leitura nesse ponto, recomendo que insista, porque os três últimos volumes possuem uma continuidade muito bem amarrada e interessante. 

Pode ser que não tenha mais idade para esse tipo de livro, mas eu sei que eu me sinto com 13 anos sempre que releio! Quem sabe você também não consiga voltar no tempo e ser o seu eu-adolescente?




Resenha por Bel Brito


10 comentários :

  1. Oi Bel, primeiro amei a resenha, tenho ficado tentada a começar essa série pois toda resenha que leio de seus livros me despertam curiosidade, gostei muito de saber que a partir desse livro percebe-se uma maturidade nos personagens e em especial no relacionamento de Jesse e Suze, nem li e já acho fofo rsrs (só me preocupa o triângulo que se forma). Então, eu já passei e muito da idade dos juvenis kkkkk, mas eu leio sim e amo, leio de tudo aliás e assim que tiver a oportunidade vou começar essa série ;)

    ResponderExcluir
  2. Eu li várias resenhas do ultimo livro dessa série mas não fazia ideia do que se tratava os anteriores. Acredita?! Enfim, foi bom ler essa resenha, pois venho muito interessada nessa série, embora eu queria mais ler livros "solos". Gosto quando os personagens retornam, amadurecem junto com a gente, acho isso super importante e torna tudo mais real. A personagem principal parece bem legal e adoro esses traços de fantasia. Gostei muito.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Muito amor envolvido por essa série.
    Meg Cabot arrasou!
    Li um atrás do outro, não conseguia largar, sério.
    Quero um Jesse pra mim, como faz? haha
    Que bom que você gostou desse livro.
    Adorei a resenha.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. Oi, Bel!!
    Li muitas resenhas sobre essa série algumas falando bem e outras que ficaram um pouco dividas. Mais como não li nenhum livro da série não posso dizer nada. Mais fiquei com a pulga atrás da orelha e acho que vou acabar lendo os livros da Meg Cabot e com certeza é por causa dessa resenha maravilhosa!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  5. Oi :)
    A cada resenha que eu leio dessa série minha vontade de lê-la só aumenta. A estória é incrível e os personagens parecem muito cativantes então teve certeza que vou amar muito A mediadora.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oii Bel! Ainda não consegui começar essa série acredita!
    O enredo continua mto bom e cada vez mais interessante, mta vontade de começar!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Li esse livro é gostei muito. Quando Paul apareceu fiquei preocupada com o triângulo amoroso pois isso me irrita rs. Concordo os personagens vão ficando cada vez melhores.

    ResponderExcluir
  8. Não li nada da autora infelizmente, só vi os filmes.A resenha é muito boa,aparenta ser um livro excelente fiquei curiosa com o tal Jesse o fantasma muito gato.Vi a resenha do Lembrança e meu deus é muito dahora caraca .

    ResponderExcluir
  9. Olá.
    Ainda não li dada da autora, então não conheço sua escrita. Mas sempre encontro bons comentários a respeito de suas obras. Ainda não me decidi por ler essa série, mesmo por que minha lista de leitura está imensa, mas quem sabe em outro momento. Ótima resenha, suas palavras estão muito motivadora a leitura. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Eu já li os três primeiros volumes de O Diário da Princesa e gostei bastante, adoro a escrita da Meg e como flui rápido para mim.
    A Mediadora é uma série que já ouvi falar por alto, mas nunca me interessei em me aprofundar. Ultimamente estou fugindo de séries, sempre fico falida quando começo uma, pois quero logo comprar os próximos.
    Confesso que imaginei a história de A Mediadora como algo completamente diferente, mais voltado para um público adulto. Fiquei interessada pelo enredo, e tenho certeza que se começar a ler, irei gostar bastante. Mas, preciso primeiro terminar O Diário da Princesa para depois pensar em embarcar nessa história! Rsrs.
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook