Belgravia

Autor: Julian Fellowes
Título original: Belgravia
Tradução: Rachel Agavino
Editora: Intrínseca
Páginas: 432
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa

| Livro cedido em parceria com a editora Intrínseca |

Sinopse: Uma nova saga histórica, fascinante e irresistível, repleta de segredos e escândalos.
Ambientada nos anos 1840, quando os altos escalões da sociedade londrina começam a conviver com a classe industrial emergente, e com um riquíssimo rol de personagens, a saga de Belgravia tem início na véspera da Batalha de Waterloo, em junho de 1815, no lendário baile oferecido em Bruxelas pela duquesa de Richmond em homenagem ao duque de Wellington.
Pouco antes de uma da manhã, os convidados são surpreendidos pela notícia de que Napoleão invadiu o país. O duque de Wellington precisa partir imediatamente com suas tropas. Muitos morrerão no campo de batalha ainda vestidos com os uniformes de gala.
No baile estão James e Anne Trenchard, um casal que fez fortuna com o comércio. Sua bela filha, Sophia, encanta os olhos de Edmund Bellasis, o herdeiro de uma das famílias mais proeminentes da Bretanha. Um único acontecimento nessa noite afetará drasticamente a vida de todos os envolvidos. Passados vinte e cinco anos, quando as duas famílias estão instaladas no recente bairro de Belgravia, as consequências daquele terrível episódio ainda são marcantes, e ficarão cada vez mais enredadas na intrincada teia de fofocas e intrigas que fervilham no interior das mansões da Belgrave Square.

Belgravia é uma obra que me interessou inicialmente por conta de sua proposta ousada: a editora Intrínseca, responsável pela publicação do livro no Brasil, anunciou que lançaria esse romance histórico em formato de um folhetim do século XIX! 
Mas como isso seria feito?! A resposta é simples e muito moderna: a cada semana um capítulo da história em formato e-book seria lançado. Ao leitor caberia esperar a próxima semana para conferir a continuação da “novela”. 
Em seguida, a editora lançaria o livro físico - que já adianto: está simplesmente divino tanto na parte da capa e do miolo, como também no texto. É uma edição maravilhosa que vale a pena ter só por ser linda e bem trabalhada, mas que ainda tem o bônus de carregar uma história estupenda.


O autor, Julian Fellowes, é conhecido por sua premiada série de TV Downton Abbey, na qual foi o principal responsável pelo roteiro e também pela produção. Mas Fellowes também já ganhou muitos outros prêmios no cinema - incluindo um Oscar pelo roteiro de Assassinato em Gosford Park (2002) - e escreveu outros dois romances históricos, Esnobes (publicado pela Fábrica 231) e Passado Imperfeito (publicado pela Prumo). Suas obras fazem tanto sucesso no Reino Unido que o escritor recebeu o título de Barão Fellowes de West Stafford em 2011. 

Acredito que os leitores que seguem o blog continuamente já devem ter percebido que sou apaixonada por romances históricos e romances de época. Tenho uma atração inexplicável pelos gêneros e, obviamente, estava muito empolgada para conhecer Belgravia.


A história começa em 1815, quando somos apresentados à família Trenchard. James, o patriarca, é um homem que fez uma grande fortuna com o comércio e que também apresenta grandes ambições sociais envolvendo a aristocracia britânica. Anne, a matriarca, é uma mulher realista que gostaria de viver uma vida tranquila em uma comunidade de comerciantes, mas que sabe que não terá paz enquanto James não atingir seus objetivos. Sophia, a bela filha do casal, é forte e encantadora, além de não se deixar abalar pela posição social que diferenciava os nobres dos comerciantes. E Oliver, o filho mais novo, é simplesmente jovem demais para comparecer em eventos sociais.

A família, assim como muitos outros britânicos na época, estava em Bruxelas, à espera do ataque de Napoleão convivendo com os nervos à flor da pele. É nesse clima de proximidade da guerra que Sophia se encanta por lorde Edmund Bellasis, o futuro herdeiro do título de visconde de uma das famílias mais proeminentes da época. E a recíproca dos sentimentos de Edmund por Sophia é verdadeira.

Anne não vê com bons olhos esse relacionamento que sabe estar destinado à tragédia, mas James incentiva a filha tendo em vista suas ambições sociais. Embora Anne saiba que a família de lorde Bellasis jamais permitirá tal casamento, não há nada que possa fazer no momento.

Batalha de Waterloo, 1815

Em 15 de junho de 1815 a tragédia acontece. Na véspera da Batalha de Waterloo, a duquesa de Richmond (tia de lorde Bellasis) oferece um baile em homenagem ao duque de Wellington. Antes mesmo dos convidados aproveitarem a festa, chega a notícia de que Napoleão invadiu o país e é necessária a ação imediata do exército do duque de Wellington.
Muitos jovens partiram para a guerra naquela noite ainda vestidos com suas roupas de festa e nunca mais retornaram com vida, incluindo lorde Edmund Bellasis.

Belgravia atualmente
A partir daí, a história dá um giro de 25 anos no futuro, nos apresentando as famílias Trenchard e Bellasis em 1841, vivendo entre as mansões de Belgravia (Londres).

Os Bellasis vivem em melancolia desde a morte de seu filho único e herdeiro. Sendo obrigados a conviver com o irmão mais novo de Lorde Bellasis, Stephen, o sobrinho e futuro herdeiro do título, John, que vivem pedindo dinheiro emprestado para manterem seus vícios (jogatina e mulheres). O casal já não tem objetivo algum na vida até um encontro fortuito da Lady com a Sra. Trenchard em Londres.
  
James Trenchard conquistou fama e sucesso com seu trabalho árduo na reformulação de Londres. É conhecido e tolerado pela aristocracia em uma época que os nobres ingleses se viram obrigados a aceitarem os comerciantes em seu círculo social. Anne parou de lutar contra o marido e simplesmente vai a todos os eventos que ele solicita sua presença. Ela simplesmente aceitou que nunca terá paz e sossego e tenta lidar com suas dores e sofrimentos da melhor forma possível. Sua adorada filha, Sophia, morreu pouco tempo após a batalha de Waterloo e o casal não foi capaz de superar essa perda.

Ele queria tanto que Sophia estivesse ali, ao seu lado... Em sua cabeça, a considerava sua verdadeira filha, ignorando, derrubando e passando por cima das barreiras que a mantinham longe, sem se lamentar ou reclamar, simplesmente tomando o que lhe pertencia. Na verdade, ela nunca deixara o pai. Desde que a perderam, não houve mais do que alguns minutos que ele passasse acordado sem que ela estivesse presente em seus pensamentos, rindo, zombando dele, mas sempre de forma amorosa. Não pela primeira vez, ele sentiu suas bochechas molhadas com as lágrimas que escorriam por causa da perda de sua querida filha.
p. 241

Já o filho mais novo dos Trenchard, Oliver, se casou com Susan, uma mulher que não agradou James por ser filha de comerciantes e também desagrada continuamente a sogra por sua vaidade sem fim. Oliver não consegue agradar seu pai por simplesmente não ser o filho que James desejava. Em vez de trabalhar no comércio, Oliver sonha em ser senhor de terras e trabalhar no campo - algo que não agrada James.

O destino colocará essas duas famílias frente-a-frente novamente, revelando assim segredos e escândalos que vão mudar a vida de todos os envolvidos! Outras pessoas ficarão muito interessadas em descobrir as verdadeiras razões para esse novo relacionamento entre essas duas famílias tão distintas! Afinal, o que a nobreza teria em comum com comerciantes da classe média?!

Não seja derrotista, querido. É muito classe média.

Entre segredos, escândalos, espionagens e roubos, Belgravia irá contar a história de duas famílias ligadas pela tragédia e pelo amor. Sentimentos esses que vão encantar todos os leitores, independente da faixa etária, do sexo ou da nacionalidade.

O passado, como já foi dito tantas vezes, é um país estrangeiro no qual as coisas eram feitas de forma diferente. Isso pode ser verdade - de fato, evidentemente é verdade quando se trata de moral ou de costumes, do papel das mulheres, do governo aristocrático e de um milhão de outros elementos de nossa vida diária. Mas também há semelhanças. A ambição, a inveja, a raiva, a avareza, a bondade, o altruísmo e, sobretudo, o amor sempre foram e sempre serão poderosos a ponto de motivar as nossas escolhas. Esta é uma história sobre pessoas que viveram há dois séculos e, ainda assim, muito do que elas desejaram, muito do que se ressentiam e as paixões arrebatadoras em seus corações eram bastante parecidas com os dramas que vivemos agora, em nosso tempo…
p. 9

Acho que nem preciso dizer o quanto amei esse livro! Embora o enredo seja um tanto quanto óbvio, a beleza de Belgravia está na construção dos personagens. Como uma verdadeira novela, todos os personagens - desde a servente até a duquesa - são extremamente ricos e muito bem trabalhados. Demonstrando não apenas suas qualidades, mas todos os seus defeitos também. Tornando-os assim muito reais. É simplesmente impossível não se encantar com uma narrativa tão rica.
Embora o texto seja mais parado é simplesmente impossível parar de ler a história! Cada cena gera uma curiosidade de saber o que irá acontecer com cada personagem assim que os segredos forem revelados! É empolgante!!

Enfim, recomendo MUITO mesmo para todos os leitores que são fãs de romances históricos, de drama, de personagens bem construídos e de uma história viciante! Não vão se arrepender!!





12 comentários :

  1. Nossa, primeira resenha que leio sobre o livro e confesso que fiquei com uma super vontade de conhecer a obra.
    Amo histórias/romances de época e a leitura desse livro parece ser incrível, interessante e que consegue prender o leitor.
    Pela capa e sinopse já estava interessada, agora fiquei mais ainda.
    Espero ler a obra em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Já tinha lido uma outra resenha desse livro, mas devo confessar: a sua foi muito mais completa e explicativa. Eu já tinha tido o interesse de conhecer a história, primeiro por ser romance histórico (que eu nunca li) e segundo por se tratar de disputas entre famílias, adoro isso. A capa é bem legal e eu não fazia ideia que antes os capítulos eram lançados como uma novela semanalmente, achei super legal pra cativar a curiosidade dos leitores.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Carolina, eu tô com vontade de ler esse livro, mas tenho receio de acha-lo como vc disse "parado" e acabar não me adaptando. Pelo que entendi, o foco da história está nas famílias de um modo geral já que tanto Sophia quando Edmund morrem. Contudo, o livro te deixou bem empolgada e como eu gosto e muito de livros de época espero ter a oportunidade de ler ;)

    ResponderExcluir
  4. Oi, Carolina!!
    Estou fascinada pela resenha e já tinha ouvido falar desse livro só que não tinha parado para ler nada sobre ele. Como estou feliz de ler essa resenha e descobrir que esse livro tem uma estória intrigante!! Quero ler muito pois adoro romances de época!! E que capa é essa!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  5. É muito triste histórias que envolve a guerra, sofremos junto com os personagens. E como tem segredos por trás da aparência isso desperta curiosidade em descobri-los.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Não tinha lido nenhuma resenha ainda da obra e me interessei bastante, nunca é demais conhecer novos gêneros...
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oie,

    Ai, eu estou tão tão tão curiosa sobre este livro!
    Ele me encantou pela capa logo de cara e eu amo romances históricos então ele está na minha lista de super desejados.
    Fora que a cada resenha que leio sobre o mesmo só vejo elogios, a curiosidade vai a mil assim. haha

    Super beijo,
    May - mayeosvicios.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi :)
    Tudo nesse livro me chamou a atenção. A capa é maravilhosa e a estória parece ser incrível, daquelas que você não quer largar até o livro acabar. Gosto muito de romances históricos além de personagens bem construídos, então com certeza vou amar Belgravia.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. É triste o que aconteceu com o lorde Edmund e Sophia😥.
    Ambas famílias ainda sentem pela perda dos filhos mesmo tendo passado tanto tempo.
    Gostei da resenha e do vídeo.Belgravia é impressionante e linda.
    Amei os quotes.Amo romances de época e esse aparenta ser muito bom

    ResponderExcluir
  10. Olá.
    Amo romances de época e esse livro está na minha lista! Assisti a todas as temporadas de Downton Abbey e amei! Me apaixonei pelos personagens, pelos costumes da época, pelas paisagens, enfim, tudo muito envolvente. Então, estou com uma ótima expectativa para com esse livro. Resenha perfeita! Obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Olá.
    Vi esse livro no snap da Intrínseca se não me engano e, apesar de não gostar muito do gênero, me interessei bastante pela forma como lançaram "pedaços" do livro em ebook.
    Gosto muito de história, é minha matéria preferida, mas como tive uma decepção bem grande esse ano com o primeiro romance de época que li, acabei nutrindo um receio de tudo que envolve viscondes ou qualquer coisa assim rsrs. Uma pena, né?
    Apesar disso, vou tentar destruir essa primeira impressão ainda esse ano, lendo um romance de época que está na minha estante a algum tempo. Vamos ver!
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook