Muito Amor, Por Favor - Um Sentimento em Quatro Elementos

Autores: Arthur Aguiar, Frederico Stewers Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha
Editora: Sextante
Páginas: 240
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino

| Livro cedido em parceria com a Editora Arqueiro |


Sinopse: Este livro reúne textos que mostram o amor do ponto de vista de quatro jovens que escrevem sobre relacionamentos legítimos e atuais, que souberam se reinventar. Sem medo de expressar seus sentimentos, deixam para trás estereótipos já obsoletos – como o controlador machista ou o piegas choroso – e falam sobre viver a dois e sobre a natureza das relações em todos os seus aspectos. Assim, cada autor reflete sobre o amor representado por um elemento: Arthur Aguiar escreve que “O amor é água”, dizendo que ele é fluido, mas por vezes gelado; ora tempestade, ora profundo. Fred Elboni explica que “O amor é ar”, mostrando a leveza de se amar sem sofrer, da brisa que envolve os apaixonados, mas que por vezes torna-se furacão. Ique Carvalho se debruça sobre quando “O amor é fogo”, que arde, aquece a alma, mas que também pode incendiar até doer. E Matheus Rocha conta que “O amor é terra”, estável, tranquilo, mas que não escapa dos terremotos da vida, que tiram tudo do lugar para que a rotina não o extermine. Um livro apaixonante, para quem ama e para quem quer amar um dia... e sempre.
- O Amor É ÁguaArthur Aguiar escreve sobre o amor quando ele é como a água: pode ser agradavelmente quente ou ferir se ficar gelado e rígido. Por vezes é tempestade, por vezes, calmaria. Mas quando é fluido, torna-se profundo e amolda-se a tudo.
- O Amor É ArFrederico Elboni fala sobre o amor ar, aquele que é leve, que eleva, faz flutuar. Mostra como é amar sem peso, sem amarras. Mesmo quando vem um vendaval, logo volta a ser a brisa, envolvendo os apaixonados com carinho e cuidado.
- O Amor É FogoIque Carvalho escreve sobre o amor quando ele é fogo, que arde, arrebata, aquece a alma, mas às vezes incendeia até doer. Pode se manter como brasa por muito tempo, aguardando a chance de ser chama de novo, ou até renascer das cinzas
- O Amor É TerraMatheus Rocha fala sobre do amor do tipo terra, aquele estável, certo, que traz segurança, mas que pode, de vez em quando, provocar terremotos que abalam estruturas, tiram tudo do lugar e viram a rotina de ponta-cabeça.

Eu não sou o tipo de pessoa “melosa”. Nunca fui muito chegada a poesias e não costumo me inclinar por livros muito românticos, simplesmente porque não é o tipo de coisa de que gosto. Sendo assim, um livro com o título “Muito Amor, Por Favor” não poderia ser nada além de um desafio. 

Intrigada com a premissa do livro e em como seria a execução de fato, insisti em ler e até que tive surpresas agradáveis durante a leitura. 

Separado em quatro partes, uma para cada autor, o livro trata do amor relacionando-o aos quatro elementos: fogo (“que arde, arrebata, aquece a alma, mas às vezes incendeia até doer”), terra (“estável, certo, que traz segurança, mas que pode, de vez em quando, provocar terremotos que abalam estruturas”), água (“agradavelmente quente ou ferir se ficar gelado e rígido. Por vezes é tempestade, por vezes, calmaria” e ar (“leve, que eleva, faz flutuar. Mostra como é amar sem peso, sem amarras. Mesmo quando vem um vendaval, logo volta a ser a brisa, envolvendo os apaixonados com carinho e cuidado”). 

Não fui muito comprada pela ideia logo de início — até porque ele começa com prosas poéticas e, como já disse, eu não sou a fã #1 de poesia —, mas encontrei alguns textos muito bons e com os quais pude me identificar.

Matheus Rocha, com o “amor terra”, foi o que melhor me convenceu com seus textos honestos e simples. A escrita, por vezes segue o fluxo de pensamento, e a impressão de serem sentimentos reais — e realistas — muito me agradou. 

[...] diante de tudo o que o mundo inteiro pode oferecer a você, eu só tenho o amor para lhe dar. Um amor novo, um amor puro, um amor que às vezes parece como o dos filmes, com as músicas apaixonadas, e que em outros momentos vai aparecer um tanto quanto tedioso, inseguro, birrento e ciumento, mas que sabe o que quer, quem quer e não reconhece limites para fazer você feliz.
P. 81

Já com Ique Carvalho e o “amor fogo” não houve muito o que fazer. Senti a leitura forçada e uma necessidade em persuadir o leitor de algo que não era real. Pode ser que seja apenas a minha personalidade, mas seus textos não causaram efeito algum em mim, senão um certo tédio.

“Quando sua pele está perto da minha,
meu coração acelera a batida.
Acontece com você também?”
Eu respondi: “Claro.”
E você quis saber: “O que isso significa?”
Falei: “Significa, menina, que eu sou o fogo, e você, a gasolina.”
P. 17

Não sei vocês, mas a ideia de servir como combustível para outra pessoa “acender” não me parece a melhor das imagens...

No geral, no entanto, há textos bons e leituras leves. Não é o tipo de livro que exige esforço grande, por ter textos rápidos e poder ser lido na ordem que o leitor bem entender. Além disso, há quatro autores, quatro estilos, quatro vozes diferentes. Cabe a cada um escolher o que mais lhe agradar, o que deixa o livro mais dinâmico e pessoal.









13 comentários :

  1. Oi Bel, apesar de considerar a premissa do livro interessante e de até achar que podem conter alguns textos que me agradem em separado, esse não é o meu tipo de livro, mas pode agradar a quem curte poesia ;)

    P.S: Achei engraçado você dizer que "a ideia de servir como combustível para outra pessoa “acender” não me parece a melhor das imagens", o autor tentando ser poético e você levando bem a sério rsr

    ResponderExcluir
  2. Não curto poesia, mas um amigo meu que curte, leu esse livro e esta num pequeno pedaço do céu por conta dele. Ele tentou me convencer a ler o livro, mas não consigo me prender numa leitura se a narrativa não fluir, mesmo sendo uma pagina que seja. A capa do livro e uma lindeza e acho fofo capas com detalhes de cores bonitas e detalhes florais e românticos. Sei que esse não e o meu tipo de leitura, mas vale para quem curte textos curtos e poéticos...

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, eu adorei o enredo, a capa tbm está linda...
    Adoro o gênero, e ver o 'amor' em pontos de cistas diferentes parece bacana!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Achei muito interessante amor e elementos ligados.
    Parece ser uma leitura bacana, apesar de não conhecer a escrita de nenhuma autor.
    Confesso que amei a capa e compraria o livro só por ela rs, mas as opiniões que ando lendo não são muito positivas.
    Por isso no momento não leria o livro, quem sabe mais pra frente?
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  5. "Não sei vocês, mas a ideia de servir como combustível para outra pessoa “acender” não me parece a melhor das imagens..." CHOREI KKKKKKKKKKKKK
    bom,essa é a primeira vez que ouço falar desse livro e nunca li nada desses autores,confesso que não fiquei empolgada para ler o livro,mas se eu ganhasse daria a famigerada chance.
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  6. Oi Bel,
    Também não sou chegada em poesias, não adianta, é um tipo de narrativa que não consigo compreender e me envolver haha. Até fiquei interessada com a premissa, achei bacana tratar o amor relacionando-o aos elementos, um para cada autor. Mas acho que esse livro não funcionaria para mim, já me desanimou em saber que ele começa com prosas poéticas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Também não sou fã de poesias, tem algumas que nem entendo acho sem sentido, mas as vezes encontramos algumas que são simples e de fácil entendimento e acabo gostando como a do o "amor terra", parece ser assim.

    ResponderExcluir
  8. Olha eu vou ser sincera e devo dizer que não irei ler esse livro, poesias são sempre textos que tendem a me dar sono então não irei aproveitar de nada a leitura.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Bel!
    Também não sou super fã de poesia, mas gosto de textos de amor.
    Que bom que gostou do Matheus Rocha. Li há pouco tempo o livro dele e me apaixonei! Você vai gostar, dá uma chance.
    Acho essa capa linda e adorei o fato de o amor ser dividido nos 4 elementos e cada um trabalhar um deles.
    <3

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  10. Esse também não é meu estilo de livro, definitivamente, nem gosto de poesia também (tirando Cecília Meireles, aquela rainha maravilhosa), mas a premissa me interessou, não prometo ler, mas com certeza vou indicar para algumas amigas que são fãs de romance.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Bel!
    Esse livro não faz nem de longe o meu estilo, já que também não sou a maior fã de poesia. Acho que a ideia foi até boa, querer relacionar os elementos com o amor, mas pelo visto alguns dos autores levaram ao pé da letra demais, como o da gasolina kkk

    ResponderExcluir
  12. Oi Bel *-*
    Achei bem interessante a ideia de relacionar o amor aos quatro elementos, e achei a definição bem interessante, mas não é um livro que eu compraria, gosto de poesia, gosto de romance, mas esse não vai rolar comigo tenho certeza.
    Uma pena no 'amor fogo' você ter sentido tédio, na maioria das vezes a gente já lê para sair dele né? kk
    Mas enfim, amei sua resenha, super sincera, e destacou os pontos bons e ruins do livro, parabéns <3
    Beijos!
    Lost Words

    ResponderExcluir
  13. Achei a capa simplória e o conteúdo bem básico...
    Talvez eu não leia este livro... sei não...

    Beijos,
    Danny
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook