Três Coisas Sobre Você

Autora: Julie Buxbaunm
Título original: Tell me three things
Tradução: Alves Calado
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Onde encontrar:
AmazonBR | Saraiva | Submarino

| Livro cedido em parceria com a Editora Arqueiro |

Sinopse: Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante.
Esse livro foi uma surpresa deliciosa. Li-o em 24h, enquanto minha vida estava completamente voltada ao Halloween. Eu precisava de uma folga em outubro e Julie Buxbaum foi incrível. Seu romance, Três coisas sobre você, é um daqueles livros que te deixam com um sentimento conflitante ao final. Por quê? Porque você só quer que tudo fique bem com Jessie, apesar de saber que isso pode não ser inteiramente possível.
“Vamos começar com o Dia 1, aquele terrível primeiro dia no colégio, que foi uma bosta, mas, para ser justa, provavelmente não foi mais bosta do que todos os dias desde a morte da minha mãe. Porque a verdade é que ela continuou morta todos os dias depois que morreu. Ponto. E todos foram uma bosta.” Jessie, p. 16
Não sei se vocês estão lembrados, mas a Arqueiro lançou uma aposta de que, se os leitores não se apaixonassem por Três coisas sobre você, a editora devolveria o dinheiro. Eu cofiei na confiança deles, então, e me aventurei pelo livro. A protagonista que encontrei foi uma incrível. Jessie é humana, com defeitos, mas absurdamente forte. Ela é uma adolescente que foi forçada a crescer para enfrentar as merdas que, infelizmente, aconteceram em sua vida. Portanto, ao invés de estarmos na cabeça de uma estudante de Ensino Médio cuja única preocupação é a nova escola e as inimigas que fará nela por conta do garoto novo que fica intrigado com a garota nova, passaremos essa aventura com uma garota que entende muito de alguns aspectos escuros da vida; portanto, apesar de sim termos um romance digno de “comédias românticas”, temos uma garota aprendendo a superar a raiva, a dor e o luto. E ela tem muita coisa a nos ensinar.
“Eu amava a minha mãe porque ela era minha.
E eu era dela.
E essa coisa de pertencer uma à outra nunca mais vai se repetir na minha vida.
Os dias perfeitos são para pessoas com sonhos pequenos, possíveis de serem realizados. Ou talvez para todos nós eles só aconteçam em retrospecto: só são perfeitos agora porque contêm alguma coisa irrevogável e irrecuperavelmente perdida.” Jessie, p. 70
Jessie perdeu a mãe para o câncer. Seu pai, abalado, procurou recuperação em um site de relacionamento. O resultado? Para ele, um casamento com uma mulher rica; para Jessie, um meio-irmão horroroso, Theo, e uma nova escola, Wood Valley. Nossa protagonista está com raiva do pai e sente falta de sua melhor amiga, Scar; ainda mais, por conta da ausência de amigos no novo ambiente. Jessie, porém, não é fraca. E não fica muito tempo sozinha. Ela recebe um e-mail anônimo, de Alguém Ninguém. Ele, sim – identificamos que é um garoto – oferece seu vasto conhecimento a respeito de Wood Valley e o apoio de suas palavras virtuais. Sua única condição é que ela não tente descobrir quem ele é. AN não é bem-vindo logo no começo, afinal, Jessie é muito cautelosa; porém, há um certo encanto em se abrir com um desconhecido.  
“AN: você ainda está aí? Foi alguma coisa que eu disse? só para constar, gosto da sua testa como ela é.
“Eu: Só estava pensando. Desculpe.
AN: aaah, não faço isso. você pode se machucar.”, p. 67
Apesar da injustiça na situação – ele conhece Jessie (ele estuda em Wood Valley!), Jessie não faz ideia de quem ele seja – os dois se tornam bons amigos. Ele até sugere que ela se aproxime de Dri, uma garota quieta e que aparentemente a faria se sentir bem-vinda. É com elas que veremos o lado mais meloso da história surgir. Dri é a garota romântica, completamente obcecada pelo garoto lindo e mais velho do colégio. Alerta clichê! Sim, essa e a parte sobre a qual avisei vocês no começo da resenha. Bom, vamos falar de garotos?  

“Preciso. Parar. Agora. Tenho um número limitado de células cerebrais e é melhor guarda-las para me preparar para o vestibular.” Jessie, p. 98

Existem três que fazem o coração das garotas palpitar. O misterioso Ethan, que parece só usar camisetas do Batman. E dois outros espécimes mais velhos. Caleb, o que escalou o Kilimanjaro e Liam, estagiário do Google. Dri, a primeira amiga de Jessie, tem uma crush muito forte por Liam, de quem Jessie fica perto por conta de seu emprego na livraria Atenção, Lombadas! (A mãe do garoto é a sua chefe). Lá, ela conversa com o objeto de obsessão de Dri e entende que precisa fornecer certos tipos de informações.
“Não tinha certeza de até que ponto ia a obsessão da Dri, mas, como alguém que já teve uma boa cota de paixonites, entendo a necessidade de obter informações. Os detalhes permitem que a gente finja conhecer o nosso alvo de obsessão, mesmo não conhecendo nem um pouco.” Jessie, p. 91
Os dois são muito queridos na escola, assim como Ethan. Este é mais quieto. Ele se torna a dupla de Jessie na aula de Literatura Inglesa e os dois passam de estranhos para conhecidos lentamente. Jessie começa a desenvolver uma certa paixonite por ele. Talvez por conta da estranha conexão que sente quando seus olhos se encontram. Há algo nele que é parecido com ela. Obviamente, nós torcemos para que ele seja nosso AN logo de cara, porém Jessie precisava estar confusa, não é mesmo? Caso contrário, este não seria um livro parecido com as "comédias românticas".
“O olhar dele é expressivo demais. Esta, sem dúvida, é uma das muitas coisas que fazes as garotas ficarem indo até ele, aqueles pequenos momentos de conexão distribuídos com parcimônia, como minúsculos presentes. Talvez ele seja intencionalmente pão duro com eles; se distribuísse demais, ninguém iria deixa-lo sozinho.” Jessie, p. 100
Absolutamente, não podemos esquecer de nosso misterioso Alguém Ninguém, talvez um quarto elemento ou um dos três candidatos acima? Jessie descobre que ele também perdeu alguém importante, sua irmã e isso os une. Eles passam a trocar mensagens constantemente e algo que surge é a brincadeira de "três coisas". Eles falam qualquer coisa, desde que seja verdade. Esse é o acordo. Como se ele e Jessie tivessem combinado: ah, você não vai saber quem eu sou pessoalmente, mas virtualmente vou te contar tudo o que jamais contei para uma pessoa de carne e osso.
"Eu: (3) Não sei mais onde é o meu lar.
AN: talvez lar não precise ser um lugar.”, p. 242
Dri e Agnis fazem com que a escola não seja tão insuportável, porém algumas pessoas continuam tornando tudo difícil. Existe uma séria menção ao bullying aqui, apesar de eu não ter percebido uma ação mais impactante do que a defesa de Jessie por parte de seus amigos. Se você faz, você é uma idiota ou um idiota. Se fazem com você, por favor, não tenha medo de procurar ajuda. Seja pessoalmente ou pela internet, tenho certeza de que alguém poderá estar lá por você!
“- Está me perguntando se fiz algo para merecer que a Gen me fizesse tropeçar e me chamasse de piranha, puta, vaca, feia e gorda? Sério? É isso que você quer saber?” Jessie, p. 179
Diferente dos livros usuais de Ensino Médio, com a garota tranquila, bobinha, apaixonada e insegura de si, Jessie tem bastante atitude! E acho que essa é a melhor mensagem que o livro pode deixar. Apesar de ser difícil, crescer é necessário. A escola é o lugar em que aprenderemos a como nos portar pelo mundo. E não podemos deixar ninguém nos diminuir ou humilhar por nenhum motivo que seja. Todos merecemos respeito.
“Será que é abreviação de ‘plebeia’ e isso significa que a minha calça é de gente pobre? Bom, é, é sim. Assim como as calcinhas de supermercado, que estou tentada a baixar para essa vaca entender que estou cagando e andando para ela.” Jessie, p. 55
Pessoas morrem, seus pais, seus amigos, seus conhecidos, e cabe a quem ficou aqui aprender a lidar com a nova constituição do universo. Jessie fala palavrões, bebe, enfrenta a vida da maneira que pode. E nos toca de uma maneira particular. Todos estamos sujeitos a essa dor, a esse desespero, a esse isolamento e ódio.
“E também penso que não dá para imaginar essas coisas por muito tempo, porque é difícil demais suportar essa ideia: a verdade do nosso próprio isolamento.” Jessie, p. 224

A mensagem, acredito, ou ao menos o que eu tirei do livro, é que não estamos sozinhos. Eu adorei cada minuto que passei lendo. E garanto que você também irá. A história é incrível e Buxbaum nos garante momentos de reflexão, risada e emoção. Espero que deem uma chance! Só não dou excelente, porque o mi-mi-mi do final foi muito enrolado para mim. Estava claro que era o AN e não tinha porquê a Julie não saber quem era.





Seção das Quotes
“[...] é possível ficar imune à esquisitice.”, p. 7
“Ou, melhor ainda, um admirador secreto. Porque, claro, foi para aí que o meu cérebro me levou imediatamente, como resultado de uma vida inteira devorando comédias românticas e lendo livros inverossímeis.”, p. 14

“A minha mãe costumava deixar livros de poesia espalhados pela casa, como se fossem um rastro em direção a algum tesouro, uma variedade de pistas sinuosas levando a não sei o quê.” Jessie, p. 29

“Fazia à internet todas as perguntas que teria feito à minha mãe. Uma triste substituta virtual.” Jessie, p. 41
“Às vezes, quando Scarlett diz que sou forte, acho que ela quer mesmo é dizer que sou indiferente.” Jessie, p. 43

“A minha vida é um sanduiche de bosta acompanhado de hambúrguer vegetariano de porra. Não tenho forças. Meus olhos estão turvos de lágrimas e deslizo pela parede até o chão.”, p. 119

“Decido que gosto de vinho. Faz eu me sentir escorregadia, suave, permitindo que as palavras simplesmente fluam. Torna menos difícil ser eu.” Jessie, p. 139
“Baixo a cabeça sobre a bancada fria. Dane-se. Quem se importa se ele souber que bebi? Ele é culpado de transgressões muito piores. Na verdade ele tem sorte porque nunca tive energia para me rebelar de verdade.” Jessie, p. 157

“Eu não só amava a minha mãe, eu gostava dela. E apesar de ela ser apenas geneticamente obrigada a me amar, tenho quase certeza de que ela também gostava de mim.” Jessie, p. 198

“Vou marchar sozinha rumo ao grande desconhecido.” Jessie, p. 244

“Fico deitada na cama, fecho os olhos. Mando um desejo para o universo. Não para Deus, porque, se ele existe, já me ignorou muitas vezes.” Jessie, p. 249

“Não vou sentir medo.” Jessie, p. 250

20 comentários :

  1. Oi! Eu amei esse livro. Achei muito fofo, sutil e maravilhoso a forma como a autora aborda a vida da Jessie, que infelizmente não está nada boa. Eu perdi alguém importante esse mês e me identifiquei muito com ela quando ela expressava seus sentimentos em relação a isso. O livro é realmente leve e acho que nos traz bons ensinamentos.
    Beijo, http://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oii Izabela!
    Desde que li uma resenha desse livro estou bem curiosa pra ler, o enredo parece bom msm!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Também não tenho paciência com mi mimi rs. Gostei da personagem que apesar do que sofreu é forte e amadureceu rápido, não fica se lamentando. Achei legal ela ter um amigo virtual, assim pode desabafar com ele.

    ResponderExcluir
  4. Oi Izabela, sua resenha foi bem esclarecedora e eu que já estava interessada no livro fiquei com mais vontade de lê-lo principalmente por saber que Jessie tem atitude e não é uma personagem cheia de mimimis rsr, espero gostar tanto da leitura quanto você quando me aventurar pela por ela :D

    ResponderExcluir
  5. Ah, eu amei esse livro!
    Foi uma lufada de ar fresco entre livros comuns de ensino médio.
    Me diverti, me emocionei e fiquei apaixonada.
    Tem um certo clichêzinho, claro, mas não há mal nisso. Como você disse, Jessie cresceu na marra e isso tornou-a uma excelente protagonista.
    Essa foi uma das leituras mais fofas que fiz esse ano.
    <3

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Izabela!!
    Que resenha maravilhosa!! Já quero muito ler!! Amei a premissa do livro e sem dúvida já está na minha lista para ser adquirido!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  7. Que livrinho diferente! Eu gostei da resenha. E para ler em 24 horas a història não deve ser cansativa, vou querer ler também.

    ResponderExcluir
  8. Parece um livro que nos faz refletir muito sobre as coisas, inclusive sobre nós mesmos.
    É muito bom ter essa sensação de não estarmos sozinhos.

    ResponderExcluir
  9. Parece ser um livrinho fofo!! Muito bom para ler depois das leituras mais pesadas que andei fazendo. É sempre bom não nos sentirmos sozinhos!!

    ResponderExcluir
  10. Na sinopse já fiquei encantada por ela conversar com uma pessoa anônima, é libertador apesar de perigoso conversar com um estranho rs
    Amei as quotes e adorei a resenha. Imaginei um romance bem bobinho, mas já estou encantada com esse jornada de crescimento.

    ResponderExcluir
  11. Li esse livro na semana passada e realmente foi uma surpresa deliciosa. No começo só me vinha uma palavra na cabeça: clichê. Mas ao passar das páginas, me senti cada vez mais atraída pelo livro e com uma vontade louca de chegar no final e ter certeza do meu palpite sobre AN. Senti como se eu tivesse com 15 anos novamente.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ei, tudo bem?
    Eu sou apaixonada por esse livro, também li ele em menos de 24 hrs, e fiquei um tempão querendo um AN na minha vida também kk
    Sua resenha está linda, destacou bem o que o livro passa, e sobre o que ele fala, e claro, arrasou na escolha dos quotes.
    Realmente da para saber quem é AN e mesmo assim no final eu fiquei muito feliz de saber quem era, adoro um clichê kkk
    Também recebi essa mensagem do livro, que nunca estamos sozinhos, e que temos que nos acostumar com as perdas, querendo ou não.
    Amei <3
    Beiojs!
    Lost Words

    ResponderExcluir
  13. Esse não é bem meu estilo de livro, já sinto falta de outubro kkk. Mas adorei a resenha, a mensagemdo final do livro me interessou muito, e a historia me deixou muito curiosa. Fiquei com vontade de ler

    ResponderExcluir
  14. Desconhecia esse livro, apesar de já ter visto algumas vezes ele perdido pela livraria. A capa ate que me chama a atenção pelas cores fortes e vibrantes, e agora que eu li a sinopse percebo e relembro que faz um bom tempo que eu não leio nada onde adolescentes narram... Quem sabe essa não e uma boa oportunidade? Depois de ler livros surpreendentes sempre gosto de ler um ou outro livro clichê e que eu consiga ver exatamente o que acontece no final (ou pelo menos algo). Adorei a dica. Beijos

    ResponderExcluir
  15. Ahim que livro lindo!! Eu confesso que tinha visto as fotos no instagram desse livro mas nunca tinha lido nenhuma resenha. A capa me chamou a atenção e agora com sua resenha, quero ler. Eu adoro livro com personagens adolescente. Adoro aquele drama escolar! E esse tem mistério né, de saber quem é esse tal de NA! Rs... adorei, quero muito ler, já vou por no meu skoob com certeza!!! Espero gostar tanto quanto você. Arqueiro como sempre arrasando nos lançamentos. *-* Beijos!

    ResponderExcluir
  16. O livro parece ser uma delicinha mesmo <3
    Com a narrativa envolvente e personagens bem desenvolvidos, acredito que é uma boa pedida.
    Além de ter um tema para todos refletirem, gostei bastante.
    Sua resenha me deixou muito interessada, é a primeira que leio sobre o livro.
    O que vi aqui me fez ter uma vontade imensa de conhecer a obra.
    A capa e sinopse já tinham me interessado desde o início <3
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  17. Olá Izabela,
    Estou ansiosa para ler esse livro, ganhei em um sorteio mas ainda não chegou, e na hora que estiver em mãos vai furar a fila com certeza! Adoro essas histórias jovens, leves e cativantes, amo as mensagens de reflexão que esses livros trazem.
    Que personagem mais cativante essa Jessie, passar por tudo isso e ainda assim seguir em frente, gostei dessa garota. Já estou prevendo a ansiedade que vou ter (já tenho) para descobrir quem é esse tal AN.
    Espero me surpreender com essa história envolvente e despretensiosa, pois adoro livros que abordam assuntos intensos de uma forma mais leve, sem muito drama, pelo jeito a autora soube conduzir esses temas com maestria.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Oi! Já vi a capa desse livro mas nunca tinha parado pra pesquisar sobre,e nem tinha lido nenhuma resenha até ler a sua. Confesso que amo romances clichês (aqueles bem construídos né mores),e gosto quando a protagonista tem uma personalidade forte. Gostei da sua resenha e gostei da Jessie,espero poder ler em breve.
    Ah,me identifiquei com esse quote : “A minha vida é um sanduiche de bosta acompanhado de hambúrguer vegetariano de porra. Não tenho forças. Meus olhos estão turvos de lágrimas e deslizo pela parede até o chão.” bem assim

    ResponderExcluir
  19. Eu não sabia da desse propaganda da editora arqueiro, ele foi esperta ao ver que as pessoas iam gostar. Em relação a história eu estava esperando realmente aquele velho clichê por isso nunca me encantei pelo livro mas agora lendo sua resenha vejo que tem bem pouco de clichê, não que isso seja ruim porque um pouco de clichê é sempre bom principalmente para a fase difícil que a protagonista passa. Vou procurar emprestar esse livro com a minha colega.

    ResponderExcluir
  20. Oi, Izabela!
    Achei uma graça como esse livro é fofo sem seguir fórmulas prontas de outros livros, mesmo tendo lá seus clichês. Gostei que as personalidades dos 3 meninos são bem diferentes, dando bastante espaço pra que quem leia consiga simpatizar com pelo menos um e torcer para que AN seja o tal. Também é muito bom que a Jessie não seja só mais uma bobinha, a editora acertou em cheio ao fazer a tal aposta no livro!

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook