#Entrevista Alwyn Hamilton + #Sorteio A Rebelde do Deserto Autografado




Um dos maiores presentes que conseguimos da Editora Seguinte, durante a FLIPOP 2017, foi a oportunidade de entrevistar Alwyn Hamilton, autora de A Rebelde do Deserto, A Traidora do Trono e Hero at the Fall (ainda com os editores ingleses).

Nós pudemos gravar, o que foi um verdadeiro teste de autocontrole, porque eu tremi muito pouco (algumas ondulações no vídeo? minha culpa, desculpa). Outra coisa maravilhosa que essa oportunidade trouxe: eu dei pequenos passos no mundo da edição de vídeo - foi incrível (qualquer erro, minha culpa também) e da legendagem (um mundo completamente novo!)

Alwyn é uma pessoa extremamente simpática, aberta e acessível. No domingo (9/7), eu estava treinando minhas habilidades de tiro ao alvo, quando ela apareceu. Nós convidamos ela a jogar e foi simplesmente incrível! Ela pegou a Nerf (minha próxima aquisição) e mirou nas garrafas! Depois de sua sessão de autógrafos, ela se preparou e seguiu conosco para uma salinha e lá gravamos essa maravilha a seguir.

Não se esqueça: para ativar as legendas em português é só clicar no primeiro ícone que está no canto inferior direito do vídeo. ;)






Para quem não puder acompanhar o vídeo no momento em que estiver lendo o post, pode conferir as perguntas e respostas a seguir!


Entrevista


PROCESSO DE CRIAÇÃO

Livros Ontem, Hoje e Sempre: Como mulher, foi difícil publicar seu livro de fantasia? 
Alwyn Hamilton: Não, eu não achei isso difícil. Acredito que Young Adults tem um espaço diferente comparado a Fantasia para adultos. Eu já ouvi histórias de terror em Fantasia e Ficção Científica para adultos, a respeito de autores homens não sendo tão legais com autoras mulheres. Mas o universo jovem é um gênero muito inclusivo. E também acredito que é dominado por mulheres. Todos os livros teens que estava lendo, quando eu estava pensando em escrever, foram escritos por mulheres. Foram muitos poucos livros que li escritos por homens, então nunca me ocorreu que não haveria uma possibilidade para mim como mulher. Então, eu não tive que enfrentar esses desafios. 
Eu também sou um pouco desatenta a essas coisas porque meus pais sempre me criaram para eu acreditar totalmente em mim mesma. Por isso a questão de sexismo nunca existiu enquanto eu crescia. Às vezes, eu nem noto quando as pessoas estão sendo terríveis comigo por causa do meu gênero, porque eu nunca pensei em mim mesma como “menos” que outra pessoa. Isso graças à minha criação, essencialmente.

LOHS: Você consideraria escrever um gênero diferente? Você se sentiria confortável em um mundo sem magia? 
Alwyn: Eu acho que seria muito difícil escrever algo sem magia ou ação. Eu não precisaria obrigatoriamente dos dois juntos, mas acredito que seria muito difícil escrever sem um dos estilos. Porque o que eu realmente admiro nos autores contemporâneos é o que eles podem fazer em termos de sutilezas nas emoções, mantendo você interessado em coisas simples, como a escola e o cotidiano. E, aparentemente, não é uma habilidade que eu tenho. 
É engraçado porque A Rebelde do Deserto foi um monte de ideias diferentes postas juntas. Uma das ideias que fez parte disso foi a ideia de uma garota que estava trabalhando em uma loja de conveniência tarde da noite e um garoto corre para dentro para se esconder da polícia atrás do balcão. E era só um fragmento naquele momento, mas na minha mente aquilo era algo contemporâneo. Só que eu não sabia do que ele estava correndo, para onde estava indo, como tudo iria funcionar. E acabou se tornando parte da fantasia depois. Então, eu acho que esse é meu instinto de ser como “e então algo explode!” Eu não sei como progredir o enredo sem explosão.

SOBRE OS LIVROS

LOHS: O que você pode nos contar a respeito do terceiro livro? Sem spoilers!
Alwyn: O terceiro livro é, como descrevi ontem [sábado, dia 8/7], como os títulos da trilogia clássica de Star Wars. Então, o primeiro livro seria Uma Nova Esperança, o segundo é O Sultão Contra-Ataca, e o último seria essencialmente O Retorno da Bandida de Olhos Azuis. É realmente sobre Amani. Ela passou o primeiro livro descobrindo o que era fazer parte do grupo e descobrindo que tinha poderes. No segundo, aprendendo mais sobre ela e começando a pensar por si mesma, estando longe da rebelião e sendo uma espiã. Então, esse último é sobre dela. Ela está essencialmente liderando. Ela quer todo mundo de volta. Ela é responsável pela vida de todo mundo. Então, é ela alcançando todo o potencial que ela pode atingir e também em termos de ajudar os outros rebeldes. E, assim, em termos práticos, o que eu posso te dizer é que há mortes e momentos sensuais. Ambos. O ruim e as coisas boas - e um ser sobrenatural que nem as pessoas do deserto acreditavam que era real. Então…

LOHS: Como o Sultão foi criado?
Alwyn: Em minha mente, desde o começo e até no primeiro livro, eu meio que já sabia quem ele seria - mesmo que você não consiga vê-lo até o segundo livro. Mas eu imaginei que as pessoas teriam essa imagem dele - até porque você só ouve sobre ele - sendo muito perverso e grotesco ou, potencialmente, também poderia ter essa imagem dele sendo parecido com o sultão de Alladin, um pouco tolo e gordo etc. 
Na verdade, ele é um homem que governou seu país em circunstâncias muito difíceis por quase duas décadas. Então, ele é adepto a lutas - você sabe que ele matou toda a família dele com as próprias mãos - então ele é adepto a lutas, um líder muito carismático para o país, ele tem dois filhos muito atraentes - ao menos que conhecemos -, e você sabe que genética é uma coisa... Então ele próprio também é atraente e charmoso. 
Eu tive uma conversa engraçada com outra autora amiga minha e ela estava “tudo bem por eu achar o sultão meio que atraente?” E eu falei para ela “bom, se você pensar sobre isso, ele tem uma idade próxima da sua.” Porque ela é um pouco mais velha que eu, ela está no começo dos trinta. “Ele tem praticamente 36 anos, então ele é da sua idade. Mais próximo de você que os jovens príncipes de 18 anos.” E ela ficou “Ai meu Deus!” Eu vivo ouvindo isso.  [risos]
Então, eu realmente queria também trazer um ponto de vista diferente. Eu não queria que ele fosse calculista. Ninguém, nenhum vilão pensa que é o vilão. Você só é o vilão do ponto de vista de outra pessoa. Do ponto de vista dele, os rebeldes são os vilões. Desestabilizando seu país, que ele lutou muito por. E ele pensa que se eles tomarem o poder, tudo irá desmoronar. Porque eles são crianças que não sabem como governar um país, enquanto ele tem feito isso por duas décadas. E eles são idealistas onde ele é prático. Então são coisas diferentes e eu gostaria que ele tivesse certo charme e mostrasse o ponto de vista dele que fosse capaz de desestabilizar a certeza da Amani. Assim ela teria que questionar pelo o quê ela estava lutando e se valia a pena sem a certeza absoluta. Então, você não pode negar que ele é charmoso, mas ele também estrangulou a mulher com as próprias mãos. Ele é uma pessoa terrível. [risos]

LOHS: Você acredita que Ahmed pode ser um bom governante? Porque uma cosia é ser a voz da rebelião e outra é ser a voz do povo. Ele passa por vários momentos de reflexão e incerteza na história, mas qual é a sua opinião a respeito? Ahmed é a melhor escolha pra substituir o Sultão? 
Alwyn: Com certeza! Uma coisa é liderar uma guerra, outra coisa é liderar um país, quando você o conquista. Obviamente, eu sei como tudo termina, então vou tentar não contar. Eu acho que ele permanecerá ainda no terceiro livro aprendendo a controlar isso. Eu também acho que o país que eles tomarão (quando eles o tomarem) será um país muito diferente para ser governado do que aquele que seu pai governou. Então tem uma diferença aí que o beneficia. Mas eu também acho que ele não pode fazer isso sozinho e ele sabe disso. E isso é visto em Rebelde [do Deserto], ele confia muito na Shazad para saber mais que ele a respeito de estratégias militares e ele confia nas pessoas que conhecem melhor o país para contar como as pessoas reagirão. Então eu acho que em termos de governo, ele está ciente que ele precisaria abordar da mesma maneira. Não sozinho. Não um ditador como o pai dele foi.

PESSOAIS

LOHS: Se você estivesse perdida no deserto...
Alwyn: Aham, Eu morreria. Desculpa! [Risos]
LOHS: ... qual livro você gostaria de ter com você?
Alwyn: Que livro eu levaria comigo? Um guia de sobrevivência para o deserto? [Risos]
LOHS: Como achar água no deserto. [Risos]
Alwyn: Meu livro do deserto... Se eu pudesse levar mais de um, se eu pudesse levar uma coleção, seria Harry Potter provavelmente, eles me manteriam ocupada por um tempo, ou Game of Thrones, um desses dois boxes. Um livro único? Sabe qual eu levaria? Eu levaria Twelve Christmas Stories, que foi organizado pela Stephanie Perkins, eu não sei se esse foi traduzido pra cá, My True Love Gave to Me [O Presente do Meu Grande Amor – publicado pela editora Intrínseca]. Tem doze autores diferentes e doze histórias diferentes e tem uma em particular que eu sempre leio e ela me deixa muito feliz e satisfeita por dentro todas as vezes que eu leio. Então, eu acho que mesmo se eu estivesse morrendo, eu poderia lê-lo e ficar tipo...
LOHS: e ficar feliz 
Alwyn: aaaaawn, tão fofo. E também, lá estaria bem quente e seriam histórias de Natal e está frio, então eu poderia mentalmente esfriar meu corpo. [Risos]

LOHS: Se você soubesse lutar, qual arma escolheria?
Alwyn: Longa distância. Eu escolheria um arco. Na verdade, não mais, mas quando eu ia para os acampamentos de verão, eu costumava treinar arco e flecha, e eu era uma atiradora mais ou menos boa com um arco
LOHS: Isso é legal! 
Alwyn: quando eu tinha 14 anos. Foi há metade da minha vida. 
LOHS: Por que você parou?
Alwyn: Essa é uma daquelas coisas que você só fiz no acampamento de verão. Infelizmente, quando você é um adolescente, você pode tentar todos os tipos de coisas: e você pode ser um arqueiro, um nadador, ou um navegador, se você quiser. E quando você é um adulto, eles esperam que você seja bom nisso. De repente, se você vai continuar o judô, ou o que quer que seja, então você precisa realmente ser bom nisso. O que é algo que eu não sou.

LOHS: Se você pudesse viver dentro de um livro, qual você escolheria? 
Alwyn: Eu preciso voltar para Harry Potter. Todos nós ainda estamos esperando nossa carta de Hogwarts, certo? Vai chegar a qualquer momento. Eu quero ir pra Hogwarts. Essa definitivamente seria a minha escolha.
LOHS: Qual a sua casa?
Alwyn: Lufa-Lufa!
LOHS: Awn, eu amo Lufa-Lufa.

LOHS: Você está gostando do Brasil? O que você acha dos seus fãs brasileiros?
Alwyn: Eu amo o Brasil. Eu estou tão feliz por eu ter estendido a minha viagem para passar três dias no Rio antes de virmos para São Paulo, então eu pude ver a cidade, a praia, a selva, os macacos. E então vir aqui e ter uma experiência completamente diferente, podendo conhecer todo mundo e conversar com as pessoas. Todos têm sido tão amáveis. Todo mundo fica me dizendo que eu sou amável, mas eu fico "Não, vocês são os adoráveis". É fácil ser legal, quando as pessoas estão sendo tão gentis com você. O Brasil é maravilhoso e vocês fazem eu me sentir uma estrela. Obrigada por me acolherem.
LOHS: Porque você é. 
Alwyn: Para!

LOHS: Você gostaria de dizer algo para aqueles que não leram seu livro ainda? 
Alwyn: Imagine o seu livro favorito do mundo inteiro, é exatamente igual a ele! [Risos] Eu tô brincando.
LOHS: Você definitivamente precisa lê-lo. 
Alwyn: Se você gosta de garotas se fantasiando, garotos gostosos e aventura, então esse é o livro pra você. E eu espero que você confira!


*

Sorteio

E, agora, a segunda melhor parte desse post de duas partes: o sorteio de A Rebelde do Deserto AUTOGRAFADO!




---






Regras do Sorteio:

1. Possuir endereço de entrega no Brasil;

2. O Sorteio tem início dia 29 de julho e término dia 20 de agosto ao meio-dia, e terá 01 (um) ganhador de 01 (um) livro A Rebelde do Deserto autografado por Alwyn Hamilton;

3. A entrada obrigatória: inscrever-se no Canal Blog LOHS no YouTube - a inscrição será conferida ao término da promoção; caso o(a) vencedor(a) não tenha cumprido a entrada obrigatória será desclassificado(a);

4. As entradas extras: Facebook do Blog, Twitter do Blog, Instagram do Blog e Comentário nesse Post serão chances extras de ganharem. Mas, para participar, é necessário cumprir a obrigatória;

5. O vencedor terá 48 horas para retornar o contato, que será feito através de e-mail (bloglohs@gmail.com). Na falta do retorno, o livro será sorteado novamente;

6. O blog tem até 40 dias úteis para enviar o prêmio e não será responsabilizado por eventuais extravios, roubos ou perdas cuja responsabilidade cabe aos Correios;

7. Perfis falsos serão desclassificados! Sejam conscientes!

16 comentários :

  1. Meninas parabéns pela entrevista!!
    Mto bom conhecer um pouco mais da autora!
    Boa sorte aos participantes!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá !!
    Já ouvi falar desse livro parece ser muito mara! !
    Simpática e inteligente !!

    Boa sorte !!

    ResponderExcluir
  3. Adorei a entrevista!!!
    É muito bom conhecer um pouquinho daquele autor que tanto amamos, né? E Alwyn Hamilton é uma fofura!!! Amei!!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Que entrevista maravilhosa!!!
    Achei muito engraçado e inteligente a escolha de livro para levar para um deserto kkk. Acho que todo mundo gosta de Harry Potter, eu sou uma completamente apaixonada pela saga e fico muito feliz em ver uma autora tão simpática e talentosa falando que também ama os livros.
    Enfim, amei a entrevista. E vou participar do sorteio. Vai que ganho o livro autografado, hein?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns meninas, por trazerem essa entrevista para nós leitores sabermos mais da autora. Adorei as perguntas e respostas, gostei de saber que ela levaria os livros do Harry para o deserto, ótima escolha eu também levaria rs. Game of thrones ainda não li, mas deve ser uma boa escolha também pelo menos a série sei que adoro. Os livros da autora estão na minha lista de compras.
    Participando!!!
    Maria Alves
    maria-alves@folha.com.br

    ResponderExcluir
  6. Meninas!
    Adorei o vídeo! E a Iza está linda como sempre! =)

    Beijos,
    Danny
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  7. MORRI que ela jogou tiro ao alvo com Nerf com vocês!!!!
    Por isso que eu acho que escritores são os novos rock stars <3
    Realmente, ela é muito simpática, muito aberta para conversar.
    E nem é preciso legenda, porque o inglês dela é facílimo!
    Eu ainda não li nenhum livro dela, mas estou morrendo de vontade faz tempo.
    Fiquei super feliz de saber que ela não sentiu dificuldade em publicar livro de fantasia mesmo sendo mulher. Que alegria ouvir isso!
    Parabéns pelo canal! Que seja um sucesso!
    E que vocês consigam muitas entrevistas mais.

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  8. Eita que massa, adorei!! Ganhei os dois primeiros livros semana passada!! Tô em dúvida se começo logo ou espero o terceiro lançar hahahah.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia,

    Parabéns pela entrevista, adorei e com certeza foi uma experiência e tanto para vocês, bom saber mais dos autores, participando do sorteio e torcendo...bjs.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Parabéns pela entrevista, eu nem imagino como deve ter sido essa experiência, ela parece ser tão simpática.
    Já faz um bom tempo que quero ler essa série, mas entrou na prioridade de só comprar histórias terminadas, e porque não tenho dinheiro, quem sabe eu não ganhe agora kk.
    Amei a questão sobre a inserção de escritoras no universo da fantasia, eu nunca tinha parado pra pensar sobre isso, de como os livros voltados para o público mais jovem é bem mais diversificado enquanto o universo para o público mais "adulto" ainda é tão engessado. Bom ver como isso mudou pelo menos no juvenil, e pensar que JK Rowling tinha de abreviar o nome para vender mais.
    Amei a entrevista.
    Participando do sorteio.

    ResponderExcluir
  11. Menina do céu, que experiencia hein! Eu teria amado conhece-la, quero muito começar essa série de livros, ouço tantas criticas positivas que meu Des, não tem como nao querer hahahah
    Ela parece ser uma fofa, maaas não gostei do seguinte comentário dela " então eu pude ver a cidade, a praia, a selva, os macacos..." quem le de fora pensa que o Rio (Brasil) é uma grande floresta que tem bixo correndo no meio da rua hahahahaha brincadeiras a parte, gsotei demais da entrevista.
    Participando do sorteio de dedos cruzados pra ganhar!
    Beiinhos

    ResponderExcluir
  12. Ah, como ela é engraçada!
    Só li o primeiro e agora fiquei curiosa com o Sultão aparecendo.
    As perguntas foram ótimas, queria conhecer ela também :'(

    ResponderExcluir
  13. Adorei a entrevista e achei a autora super fofa rsrs.
    Ainda não li os livros dela, mas estou louca para ler.

    ResponderExcluir
  14. Aí que sonho!! Queria poder ter ido porque queria conhecer o Benjamin :(( mas infelizmente moro muito longe. Enfim,ainda não li nada da autora mas esse livro já está há algum tempo na lista dos desejados,ela parece ser uma fofa! Agora que eu quero ler mesmo hahahahah

    ResponderExcluir
  15. Gente, que delícia!!! Deve ser realmente fantástico entrevistar uma autora que a gente ama. Acho que ficaria tremendo como você, mas a sensação final deve ser indescritível1

    Ainda não li nada da autora, mas tenho muita vontade de ler os livros dessa série pq acredito que ela tenha criado uma personagem feminina extremamente forte, que são as minhas preferidas.
    Fiquei fã dela pq amamos a Lufa Lufa!

    ResponderExcluir
  16. Amei a entrevista. Meu sonho poder conhecer minha autora favorita um dia ❤

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook