Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar - Os Números do Amor #01

Autora: Sarah MacLean
Título original: Nine Rules to Break When Romancing a Rake 
Tradução: Fabiana Colasanti
Série: Os Números do Amor
Editora: Arqueiro
Páginas: 384
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa


Sinopse: A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres.
E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato.
Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres.
Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

Confesso aqui que já estava sentindo falta de ler um bom romance de época - até porque só tinha lido fantasias, ficções e romances contemporâneos nos últimos tempos. Eis que fui checar minha prateleira de livros não lidos e aproveitei para me divertir com Nove Regras a Ignorar antes de se Apaixonar - título que tinha desejado muito desde antes do lançamento no Brasil. O livro entrou nas listas de mais vendidos dos principais veículos americanos, além de ser escolhido como um dos dez melhores romances de época do ano em seu lançamento.

Sarah MacLean
Publicado pela editora Arqueiro, o livro faz parte da série Os Números do Amor - já com previsão de publicação de mais duas obras nos próximos meses. Escrito por Sarah MacLean, reconhecida por seus romances de época, a autora faz um tremendo fora do Brasil e é constantemente elogiada por críticas e outras autoras do gênero - como Julia Quinn (Os Bridgertons) e Lisa Kleypas (As Quatro Estações do Amor e Os Hathaways).

A autora já é conhecida no Brasil pela série O Clube dos Canalhas, contando com quatro livros publicados pela editora Gutenberg. Infelizmente não tive ainda a oportunidade de conferir essa saga e por isso Nove Regras a Ignorar antes de se Apaixonar foi meu primeiro contato com as obras de Sarah MacLean. E não poderia estar mais satisfeita!


O livro nos conta a história da jovem Calpúrnia Hartwell. Nomeada em homenagem a uma rainha romana, Callie (como prefere ser chamada) não se encaixa no padrão da beleza inglesa do século XIX - a qual ditava que as mulheres deveriam ser pequenas e delicadas. Callie é alta e tem muitas curvas. Ao usar os modelos de vestidos na moda inglesa da época, a garota ganhava uma aparência de gordinha (o que não era verdade), dificultando o convite dos homens solteiros para dançar - o que nunca acontecia.

Assim sendo, desde que foi apresentada à sociedade em seus 18 anos, Callie continua solteira. E agora, com 28 anos, já é considerada uma solteirona.
Callie sempre seguiu as inúmeras regras impostas às mulheres solteiras e sua reputação é intacta, mas isso não a torna nem um pouco feliz. O sonho da garota sempre foi construir sua própria família e será difícil para ela torná-lo realidade quando não há nenhum pretendente.

Baile no século XIX

O ápice da humilhação de Callie é quando sua irmã mais nova, Mariana, (com apenas 18 anos) se torna noiva de James Talbott, sexto duque de Rivington. Considerada uma beldade, sua irmã mais nova mal foi apresentada à sociedade e já acabou conquistando um dos solteiros mais cobiçados da temporada!
Embora Callie ame sua irmã e esteja muito feliz por ela, todos os seus familiares não param de fazer comentários maldosos que servem apenas para deixar a garota magoada.

Ao se refugiar no escritório do irmão mais velho, Benedick, conde de Allendale, Callie parece ter chegado ao fundo do poço. Depois de uma conversa inspiradora com o irmão (com altas doses de álcool) e de entreouvir a irmã e o noivo conversando sobre ela, Callie decide fazer algo antes que seja tarde demais. Afinal, de que adianta uma reputação perfeita, se ela não é feliz?!
É assim que Callie cria uma lista com nove coisas que ela decide fazer pelo menos uma vez na vida:
  1. Beijar alguém… apaixonadamente
  2. Fumar charuto e beber uísque
  3. Montar com as pernas abertas
  4. Esgrimir
  5. Assistir a um duelo
  6. Disparar uma pistola
  7. Jogar (em um clube para cavalheiros)
  8. Dançar todas as danças de um baile
  9. Ser considerada linda. Pelo menos uma vez.

E, antes de perder a coragem e a determinação, Callie decide começar a riscar os itens de sua lista na mesma noite! É assim que ela parte no meio da noite para a casa de Gabriel St. John, marquês de Ralston (sua primeira paixão) para pedir-lhe um beijo!


Gabriel St. John é um dos mais notórios libertinos de Londres! Mas está com um grande problema. Sua mãe, que havia abandonado ele e seu irmão gêmeo quando ainda eram crianças, também abandonou uma filha na Itália.

O marquês se torna responsável por Juliana Fiori, sua meia-irmã, que perdeu o pai e não tem outros parentes vivos. Assim, um dos maiores mulherengos da Inglaterra se vê diante da difícil missão de apresentar sua irmã (que é considerada bastarda) à sociedade. 

É pensando nessa missão quase impossível que Gabriel recebe a visita inesperada de Lady Calpúrnia no meio da noite. Quase como um presente de Deus, o marquês percebe a resposta para todos os seus problemas! Afinal, se Lady Calpúrnia - com sua reputação irrepreensível - aceitar madrinhar sua irmã durante a próxima temporada, Juliana pode ser bem aceita pela sociedade e talvez até arrumar um bom marido!

Callie aceita ensinar à irmã de Gabriel todas as regras da etiqueta britânica, desde que ela receba o seu beijo - que é aceito com facilidade pelo marquês.

A respiração do marquês saiu quase como um riso.
-Acho que a senhorita entendeu mal a experiência. - E fez uma pausa, vendo a incompreensão atravessar o rosto dela. - Sabe, quando concordo em fazer uma coisa, faço-a sem reservas. Este não foi o beijo que veio buscar, mocinha.
Callie franziu a testa diante das palavras e do tratamento com que se referira a ela.
-Não foi?
-Não.
Seu nervosismo aumentou e Callie voltou a brincar com a borla da capa.
-Ora, bem. Foi bastante agradável. Acho que estou muito satisfeita pelo senhor ter cumprido sua parte no acordo.
-Bastante agradável não deveria ser o que está procurando - argumentou ele, pegando as mãos inquietas dela e imprimindo um tom mais grave à voz. - Nem o beijo deveria deixá-la satisfeita.
Ela puxou as mãos brevemente, desistindo ao perceber que, em vez de largá-las, ele a puxou mais para perto, colocando-as nos ombros dele. Ele correu os dedos ao longo de seu pescoço, deixando-a sem ar, a voz apenas um chiado, quando respondeu:
-Como ele deveria me deixar?
Gabriel então a beijou. De verdade. (...)
-Beijos não devem deixá-la satisfeita. (...) Eles devem deixá-la querendo mais.
Gabriel e Callie, p. 62

Mas Gabriel não faz ideia que Callie tem uma lista repleta de atividades que colocarão sua reputação perfeita em risco - mais de uma vez!! 
Ao descobrir as aventuras de Lady Calpúrnia e para proteger sua reputação (além da reputação de sua própria irmã), o marquês decide acompanhar de perto cada uma das ideias “malucas” de Callie. A convivência entre os dois, como já era de se imaginar, irá gerar sentimentos irreversíveis! 

Ao começar essa jornada, Callie descobrirá a si mesma, uma mulher capaz de muitas coisas, mas presa pelas regras e etiqueta da época. 
Ao acompanhá-la, Gabriel descobrirá uma mulher fascinante que ficava escondida nos cantos dos salões de bailes e, o mais assustador, é que ela seria capaz de ganhar seu coração completamente.
Embora a paixão não seja desejada, ela virá. E a cada encontro (escondido ou não) a atração se tornará mais forte. Mas será que eles estarão prontos para isso?


Nove Regras a Ignorar antes de se Apaixonar é um dos melhores romances de época que já tive o prazer de ler!! E também é o mais feminista de todos! Veja bem, Callie é uma típica jovem do século XIX. Ela sabe que não pode fazer muitas coisas que são apenas para os homens (e ela não fará nada extremo para a época), mas isso não a impede de questionar essas regras e a quebrar algumas delas.

-Já imaginou o que as mulheres fazem por trás de portas fechadas em chás e depois dos jantares? Sobre o que falamos, como vivemos sem os homens?
-Não.
-Claro que não. Porque as nossas vidas são às claras. Podemos estar sozinhas em um aposento, isoladas dos homens, mas eles são donos das casas nas quais nos reunimos, já estiveram nos aposentos em que nos enclausuramos. Sempre há a possibilidade de que possam entrar, então nos dedicamos a bordar ou a fofocar e nunca nos permitimos dizer ou fazer muita coisa que ultrapasse os limites do decoro, por medo de que possam ver. - Exaltando-se à medida que falava, Callie continuou: - É diferente para os homens. Eles têm esses locais secretos... tabernas, clubes esportivos e clubes para cavalheiros onde podem fazer, sentir e experimentar qualquer coisa que quiserem. Longe dos olhares bisbilhoteiros das mulheres.
Callie e Gabriel, p. 234

Eu criei uma empatia tão forte por Callie desde o início do livro que mesmo que a história fosse ruim - o que não é o caso -, ainda assim daria uma nota alta. Callie é simplesmente uma jovem que tem um corpo que não é favorecido pela moda (algo que pode ser relacionado a qualquer mulher atualmente), além de ser deixada de lado durante a maior parte das festas e ter que aguentar as matronas que querem “ajudar”, mas acabam humilhando-a por continuar solteira com 28 anos.

Mulheres cavalgavam sentadas "de lado" na época
A lista que ela cria é simplesmente um tapa na cara da sociedade da época. Afinal, as mulheres não podiam fazer nada. Beber, fumar, lutar, jogar e montar um cavalo de pernas abertas (as mulheres tinham que montar em uma sela especial que deixava as pernas fechadas e na lateral do cavalo - algo extremamente perigoso, mas as mulheres não podiam mostras as pernas em público) eram liberdades concedidas apenas aos homens. 
Isso não quer dizer que Callie gostará de fazer tudo que está em sua lista, mas mostra que ela experimentará. E o que está valendo aqui não é a conclusão e sim a aventura de fazer algo proibido ao seu sexo.

Gabriel St. John é um bom personagem também. Ele é bonito, sedutor e inteligente. Carrega os traumas que o abandono da mãe deixou e se sente responsável pelos seus irmãos, dando sempre o melhor de si por eles. Mas Callie é uma personagem tão incrível que senti que acabou eclipsando um pouco o glamour do marquês.

Capas da trilogia publicada pela editora Arqueiro
Fiquei completamente apaixonada por esse romance e ele se tornou um dos meus favoritos do gênero. Recomendo de coração que vá conhecer Callie e sua aventura sem decoro algum para realizar uma lista fora do comum, que a ajudará a conhecer a si mesma e ao verdadeiro amor. Não tem como ficar melhor que isso! ;)

-Não me agrada esse gosto que você desenvolveu pela aventura, irmã.
-Acho que não posso garantir que vou perdê-lo tão cedo. É uma pena que as mulheres não possam nem provar as experiências às quais os homens não dão valor. Vocês têm realmente muita sorte.
Benedick e Callie, p. 129





23 comentários :

  1. Preciso admitir que não sou uma fã de romances históricos, não por não gostar do gênero mas por não ter muito contato mesmo. Portanto, nunca li nada dessa autora mas fiquei muito curiosa quanto à esse livro. Algo realmente diferente uma mocinha ser considerada feia pela sociedade em si. Agora desejo poder conhecer e presencia a volta por cima que a personagem da.

    ResponderExcluir
  2. Meeeu Deus para td com essa resenha! Cai pra trás! rsrs
    Eu amoooo romance de época! Tô louca pra ler essa série gteee!
    Agora mais ainda depois de ler tanta informação boa assim!
    Só tenho q elogiar a dedicação que teve com esse post Carolina! Tá perfeito!!
    Parabéns!!!!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Parece ser um livro divertidíssimo, a protagonista quebrando barreiras isso é um escândalo para a sociedade dessa época. Realmente a aparência contava muito nessa época pelo menos nos livros de época são assim, alguém fora do padrão de beleza é inusitado nos livros e bem diferente.

    ResponderExcluir
  4. Confesso que tenho trauma com romance de época, mas essa resenha está Demais. Acho que devo dar mais uma chance. Rsrsrs!
    Adoro o Blog de vocês!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Carolina!
    Já li a outra série dessa autora e fiquei extremamente encantada!
    Uma das características da escrita da Sarah Maclean é focar na personalidade de suas protagonistas. A narrativa é sempre envolvente e desafiadora. E geralmente ela foca em protagonistas fortes e diferentes dos padrões daquela época.
    Adorei as regras da Calpúrnia, kkk. Mal posso esperar pra vê-la concluir cada uma :D
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Geeente, eu estava louca por um romance de época! A Lista é realmente um tapa na cara de todos, e me apaixonei pela temática feminista da obra. Com certeza entrou pra lista dos livros que quero ler!

    ResponderExcluir
  7. Oi Carolina!
    Romance de época é o meu amorzinho! Os que mais gosto são os que envolvem príncipes, reinos...
    Não sei o que gostei mais nesse livro. Se foi a personalidade forte de Callie, que mesmo sendo de época representa todas as mulheres inclusive atualmente. Acredito que até hoje há esse julgamento, pra qualquer coisa na verdade. Ou ainda mais as regras que ela criou, que mesmo ela querendo se "libertar" desses julgamentos acabou encontrando o amor da vida dela e se livrando de uma vez de quem falava dela.
    Estou bem interessada na história e tentarei lê-la o mais rápido possível!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Ameeeeei a resenha!
    Não sou muito de ler romances de época, mas após ler essa resenha, me deu muita vontade de ler esse..
    Colocarei na minha lista, rs

    ResponderExcluir
  9. Incrivel, parabens pela resenha, eu tenho esse livro!
    mas por ser um romance desse tipo eu não me empoguei muito, mas agora com certeza eu lerei

    ResponderExcluir
  10. Faz pouco tempo que eu li esse livro, mas eu também amei ele! Com certeza entrou para os meus favoritos, e realmente é um dos melhores romances de época que eu li. Adorei a Callie, acho que ela é uma das protagonistas que eu mais gostei. E eu também achei o livro super feminista, e amei toda a história. Gostei bastante do Gabriel também, mas quem se destaca mesmo é a Callie :D
    Estou doida pelos próximos da série *u*

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Em geral eu não me atraio muito pelos livros da autora, mas além da personagem parecer legal, a trama parece engraçada. Imagino o tipo de confusões que ela se meteu!!! hahaha Com certeza é um livro que eu quero ler, o que é uma coisa inédita para um romance hahahaha

    ResponderExcluir
  12. eu não sou muito fã de romances de época, mas esse me ganhou pelas nove regras da personagens! ela realmente deve ter se metido em muitas confusões por causa delas.
    acho que vou começar nos romances de época por esse ;)

    ResponderExcluir
  13. Oi Carol.
    Fiquei com muita vontade de ler Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar. Amo romances históricos!
    Achei Callie bem interessante, divertida e forte. Achei a sua lista bem intrigante para a época. Parece que ela vai dar bastante trabalho ao Gabriel, se ele quiser a manter na linha, sem manchar a própria reputação e a da sua irmã rsrs
    Já foi para a lista de desejados!

    ResponderExcluir
  14. Oi Carol,

    concordo com tudo o que disse! Eu amo esse gênero e Sarah é minha autora de romances de época favoritas, porque sempre consegue trazer romances fofos, divertidos e que nos fazem refletir. Por causa da Callie, suspirei, ri e me apaixonei, mas também fiquei pensado como, até hoje, tem muita coisa que não é considerada adequadas para uma mulher fazer... Um romance incrível que recomendo para todos! Eu estou louca pelos próximos volumes!

    Beijos!
    Visite o Mademoiselle Loves Books
    http://www.mademoisellelovesbooks.com/

    ResponderExcluir
  15. Oiee!
    Apesar de ser apaixonada por esse gênero nunca li nenhuma obra da Sarah.
    Sua resenha foi bem diferente de uma que li antes, você teceu elogios e a outra blogueira nem tantos rsrs
    Ainda não sei se quero ler este livro, ele ainda não me pegou, a capa não curti muito e a história em si pra mim falta algo, sei lá. Ainda preciso estar um pouco mais convencida para me jogar na leitura.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  16. Eu adoro esse livro de um jeito que não tenho nem palavras pra descrever como estou ansiosa para o segundo livro e sei que depois desse estarei roendo os dedos aguardando o terceiro ^^ Espero realmente que o segundo livro seja tão bom quanto o primeiro e que nele traga algumas aparições desses personagens tão queridos.

    ResponderExcluir
  17. Eu já amo Romances de época de graça, e com essas coisas fofas que li aqui já me apaixonei em modo mil. Gostei especialmente do fato da personagem principal ter feito uma lista de coisas das quais deseja fazer (e a maioria tem a ver com coisas ditas "de homem") e que a sociedade achava para a época dela inaceitável. Quero saber como ela fez cada item da lista.

    ResponderExcluir
  18. Carol, se você diz que é um dos melhores romances de época que você já leu, eu acredito!
    Esse livro está na minha estante me esperando, mas fico querendo terminar os Bridgertons e os Hathaways antes, haha.
    Agora eu fiquei tããããão curiosa...
    Já quero conhecer mais da Callie, principalmente por ser um livro mais feminista e ela ser uma personagem tão forte.
    <3
    Acho que vou ter que passar esse livro na frente de outros... Hahaha.
    Romances de época tem um espaço especial no meu coração, como você bem sabe.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  19. Carooool, obviamente, amei a sua resenha.
    Não faz pouco tempo que li este livro, e fiquei tão apaixonada, que fui obrigada a devorar os outros. Dando uma passada aqui achei essa resenha, que traduz claramente a história. Tenho, quase, certeza que você também gostará dos próximos.
    Não consigo escolher qual deles eu prefiro... talvez o segundo, mas acho melhor não oficializar nada.

    Enfim, apesar de já ter lido... ao ver esta resenha tenho muita vontade de reler...

    E parabéns pelo trabalho de vocês, e espero sempre o melhor sucesso do mundo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Estou looucaa nesse livro! Parece muito bom.

    ResponderExcluir
  21. Livro apaixonante, resenha apaixonante <3 Li esse livro a pouco tempo e amei. Não era muito fã da autora, mas esse livro me surpreendeu...

    ResponderExcluir
  22. Oi!
    Esse também foi o primeiro livro da Sarah MacLean que li e simplesmente adorei, a Callie conseguiu me conquistar e torci para ela o livro inteiro, gostei muito como ela vai acrescendo ao longo da historia e com certeza esse foi um dos melhores romances de época que li !!

    ResponderExcluir
  23. Adoro romances de época!! E esse livro promete!! Muitas risadas!!
    Quero muito!!
    Beijos
    :))

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook