Dama da Meia-Noite - TDA #01

Autora: Cassandra Clare
Título original: Lady Midnight
Tradução: Rita Sussekind 
Série: Os Artifícios das Trevas
Editora: Galera Record
Páginas: 574 (Edição de Colecionadora)
Onde encontrar: AmazonBr | Saraiva | Cultura | Extra 

Sinopse: Cinco anos após os acontecimentos de Cidade do Fogo Celestial, acompanhamos os Caçadores de Sombras do Instituto de Los Angeles enquanto tentam descobrir os responsáveis por uma série de assassinatos que vitimam tanto humanos quanto fadas. Emma Carstairs é uma guerreira, uma Caçadora de Sombras: a melhor de sua geração. Ela vive para lutar. E faz isso ao lado de seu parabatai, Julian Blackthorn. Juntos eles patrulham as ruas de Los Angeles, onde vampiros fazem a festa na Sunset Strip, e fadas — as mais poderosas das criaturas sobrenaturais — tentam se manter na linha depois de uma guerra com os Caçadores de Sombras. Quando os corpos de fadas e de humanos assassinados começam a aparecer com as mesmas marcas encontradas nos pais de Emma, há alguns anos, uma aliança preocupante se forma. É a chance de Emma se vingar, mas também a oportunidade de Julian recuperar o irmão mais velho, Mark, prisioneiro do Povo das Fadas e integrante da Caçada Selvagem desde a Guerra Maligna — que alçou Clary Fairchild e Jace Herondale ao posto de Caçadores de Sombras-celebridade. Tudo que Emma, Mark e Julian precisam fazer é resolver o mistério dos assassinatos em duas semanas...

Começo dizendo que é uma honra e uma responsabilidade escrever essa resenha para vocês! Carol e eu, numa acirrada disputa de par ou ímpar, resolvemos a questão. Eu ganhei o direito de trazer Dama da meia-noite ao LOHS. Essa nova trilogia, Os Artifícios das Trevas, será composta por Dama da Meia-Noite, Lord of Shadows (previsão para lançamento: abril de 2017) e Queen of Air and Darkness. Os protagonistas são Emma Carstairs e a família Blackthorn, os Caçadores de Sombras mais adoráveis, unidos e fortes que você conhecerá.

No entanto, antes de começar a falar desse livro, preciso avisá-los a respeito da ordem de leitura esperada por Cassandra Clare. Dama da meia-noite possuiu um gap de cinco anos com Cidade do Fogo Celestial. Caso vocês já tenham lido, irão se lembrar de Emma e Julian, com 12 anos, sendo amparados por Clary e Jace durante a Guerra Maligna. Irão se lembrar de Jace entregando sua pedra de luz enfeitiçada para Mark Blackthorn que foi arrancado de sua família e levado pela Caçada Selvagem. Irão se lembrar que os pais de Emma foram assassinados e ela não acredita nem por um minuto que Sebastian Morgenstern foi o responsável por suas mortes, apesar da Clave não ter dúvidas sobre isso.

No entanto, cinco anos é um período muito longo para ficarmos sem saber o que acontece com nossos personagens, portanto, Cassandra Clare (e amigos) escreveram Tales from the Shadowhunter Academy, uma série de contos narrados por Simon Lewis, nosso adorado nerd, que nos colocará a par do que está acontecendo com ele e com nossos personagens de Os Instrumentos Mortais. O que isso significa? Isso significa que Dama da meia-noite possui spoilers dos Contos. A versão impressa só sairá nos EUA em novembro, portanto, previsões para o lançamento no Brasil são só para o ano que vem. Então o que eu tenho para dizer a vocês é: tenham coragem.

Feitas essas considerações, comecemos a falar desse livro maravilhoso! Estamos em Los Angeles, terra do sol, das estrelas de cinema, das praias e de assassinatos. É um lugar mágico, onde conheceremos mais a respeito do Submundo e de seus moradores. Teremos novas paisagens, novos enredos, novos desafios e, principalmente, novos Caçadores de Sombras. A importância dessa nova família é tremenda, tanto para o conceito de literatura young adult, quanto para o desenrolar do mundo que Cassandra criou.



Os Blackthorns são muitos. Temos Helen, que foi exilada e Mark, levado pela Caçada Selvagem, com quem aprendeu a falar a língua dos contos de fadas. Temos Julian, aquele que faz de tudo por seus pequenos, o artista que pinta os desejos de seu coração. Temos os gêmeos, Ty e Livvy, com 15 anos e inseparáveis, Ty ama Sherlock Holmes e Livvy luta com sabres; temos Dru, com 13, que é apaixonada por filmes de terror e, por fim, Tavvy, a criança de 7 anos mais adorável desde Max Lightwood. Essa família conseguiu permanecer unida puramente pela força de vontade de uma criança de 12 anos, Julian, que - após ter perdido tudo - não admitiria ser separado de seus irmãos. Portanto, ele se tornou um pai. O amor entre eles é perceptível e guiará o enredo do livro.

“Quando você tinha 12 anos e era a única coisa entre sua família e a aniquilação, você não aprendia a ter moderação.” Julian, p. 506

Dentro da família Blackthorn, encontraremos Emma Carstairs (faz tempo que não vemos um Carstairs, não?) Ela é parabatai de Julian e vive com eles desde sempre. Ela é uma guerreira e às vezes acredita que seu único propósito na vida é vingar a morte de seus pais. Depois de um longo período sem pistas, com apenas sua forte convicção em encontrar o responsável pelo assassinato deles, o caminho de Emma cruzará com novos corpos nas mesmas condições que a assombram há anos: molhados com água do mar, como se tivessem sido afogados, marcados com símbolos muito antigos e errados. Será que finalmente ela poderá vingá-los?

“- Bem, sem Julian aqui, você sofre mais facilmente. Parabatai amortecem as coisas um para o outro. Sei que você é forte, você é, mas isso é uma coisa que a feriu muito profundamente quando era apenas uma criança. É a Emma de 12 anos que reage a qualquer coisa que se relacione aos seus pais, e não a Emma quase adulta.” Cristina, p. 32

Enquanto os Blackthorn estão em uma viagem a Londres, é Cristina quem acompanha Emma ao Mercado das Sombras. Esse lugar é maravilhoso e cheio de segredos. Lá encontraremos o Submundo em peso, logo Caçadores de Sombras não são bem vindos. Mas é onde Emma tem acesso aos seus pedaços de informações a respeito de seus pais. Johnny Rook sabe os segredos de todo mundo; ele tem informações e, pelo preço certo, ele as dividirá com você. Seu filho, Kit, possui a Visão e ele será importante quando o dinheiro não for o suficiente para fazer com que Johnny abra o bico. O mais velho, no entanto, parece gostar de Emma e vende a ela uma informação importante: onde o próximo corpo será deixado. Como Johnny saberia disso? Será que ele tem alguma participação maior dentro de tudo isso do que apenas ser um interceptador de segredos?

“- Para alguém que vende segredos, você certamente guarda muitos.
- Meu maior segredo – declarou – é você.” Kit e Johnny, p. 17

Vocês devem estar se perguntando quem é Cristina, não? Cristina Mendoza Rosales, a voz da razão e da sabedoria nesse livro, é  uma personagem muito bem vinda. Ela está no ano de intercâmbio e tem um grande interesse na família Blackthorn, principalmente por conta do sequestro de Mark. Ela gostaria de trabalhar como embaixadora do Povo das Fadas e sua ida a Los Angeles não foi por acaso. Apesar de seu passado ter tido um grande peso em sua decisão, Cristina parece ter encontrado o seu lugar ao lado de Emma. A dinâmica entre ela e Emma é engraçadíssimo. As duas se dão muito bem e Cristina só soma no contexto geral.

“- Não parece um lugar onde se compram vestidos glamourosos. Este me parece um lugar onde a pessoa é sequestrada e vendida para o circo.
- Você não confia em mim?
- Claro que não. Você é louca.” Cristina e Emma, p. 261



Apesar de ser uma grande amiga, Cristina não é Jules. Ninguém é Julian para Emma. E enquanto ele esteve longe, nossa narradora sentiu cada segundo de sua ausência. Eles cresceram juntos, dividiram cada responsabilidade e estiveram lá quando o outro mais precisou. Eles inventaram sua própria linguagem, escrevendo na pele um do outro para não fazerem barulho ou chamarem a atenção. Eles são a âncora um do outro. Agora, com a chance de desvendar o assassinato de seus pais, Emma deverá pedir algo grande demais para Jules: esconder da Clave o que estão fazendo, pois o Povo das Fadas está envolvido. 

“- Não precisa fazer isso por mim.
- Acho que preciso. Acho que me lembro de ter feito um juramento quanto a isso.
- Onde fores, irei, qualquer coisa estúpida que você faça, eu também farei? Foi esse o juramento?” Emma e Julian, p. 71



Houve muita expectativa em torno desses parabatai; afinal, os sentimentos entre eles seriam diferentes de todos os que já conhecemos até agora. O amor deles atingiria o nível proibido pela lei: não somente o platônico, mas o romântico - eros. Ambos sentem que há algo estranho, algo com que eles não estão inteiramente confortáveis. Mas será que eles se renderão a isso? Emma jamais faria algo que prejudicaria sua família, porque é isso que os Blackthorns o são. Mas você, leitor, chegará a um ponto no livro, em que não saberá mais o que pensar e simplesmente desejará que os dois encontrem um modo de ficarem juntos.

“Quando você ama alguém, a pessoa se torna parte de quem você é. Está presente em tudo o que você faz. Ela é o ar que você respira, a água que você bebe e o sangue que corre em suas veias. O toque dela fica na sua pele, a voz permanece nos seus ouvidos, e, os pensamentos, na sua cabeça. Você conhece os sonhos da pessoa, porque os pesadelos agridem seu coração, e os sonhos bons também são seus. E você não acha que a pessoa é perfeita, mas conhece os defeitos dela, sua verdade profunda e as sombras de todos os segredos que ela carrega, e esses segredos não te assustam; na verdade, fazem com que você ame ainda mais, porque você não quer perfeição. Você quer a pessoa.” Julian, p. 88

Como não poderia deixar de ser, teremos uma surpresa. Aceitar trabalhar com o Povo das Fadas implicaria em um conflito com a Clave. Porém negar seria perder a chance de ter Mark de volta, porque essa é a moeda de barganha delas: encontre o assassino e Mark poderá escolher onde quererá ficar, com a Caçada ou com os Blackthorn.

“- O Povo das Fadas não devolve o que pega.
- Não. Mas, às vezes, devolve o que pertence a você.” Ty e Julian, p. 123

Numa corrida contra o tempo e as autoridades, veremos a família inteira (até mesmo o pequeno Tavvy!) trabalhando para resolver o enigma que ronda as marcas talhadas nos corpos. Junto a isso, sofreremos com a readaptação de Mark ao mundo dos Caçadores. O tempo passa de forma diferente no Reino das Fadas, e os membros da Caçada são brutais. A Caçada Selvagem é formada por fadas que são expulsas, de alguma forma, das Cortes reais e seus membros não lidam bem com o diferente. E Mark... ele era diferente, possui tanto sangue de Caçador de Sombras como de Fada. Agora, juntos aos irmãos, terá de lidar com o que seu coração aprendeu a viver e as lembranças de uma vida que foi forçosamente apagada dele. 

“Sou Mark Antony Blackthorn. Venho de uma longa linhagem de Caçadores de Sombras. Servi com a Caçada Selvagem por mais tempo do que sou capaz de contar. Cavalguei pelo ar em um cavalo branco de fumaça, recolhi os corpos dos mortos e os levei para o Reino das Fadas, onde seus ossos e pele alimentaram a terra selvagem. Nunca me senti culpado, mas talvez devesse. Não sei qual é o meu lugar. Mas, se me permitirem, tentarei pertencer a esse lugar.” Mark, p. 201


Bom, já deu para perceber que Dama da meia-noite promete altas emoções e diversos momentos em que você não saberá o que fazer, a não ser continuar lendo. Para ajudar com a resolução desses assassinatos, contaremos também com o Alto Feiticeiro das Cidade dos Anjos, Malcom Fade. Ele é completamente atrapalhado, acredita no amor e em finais felizes, não quebra as regras, e convive com os Blackthorn. Ele não é um Magnus Bane, mas eles são amigos!

“- Não contem demais comigo.
- Por que não?
- Por que vou decepcioná-los. Todo mundo decepciona.” Malcom e Emma, p. 139

Fora todas as novidades, os spoilers, as cenas maravilhosas e palavras que ficarão marcadas a ferro e fogo dentro de seu cérebro, temos Diego Perfeito. E acho que esse é um bom momento para conversarmos a respeito dos Caçadores de Sombras e seus preconceitos. Em Dama da meia-noite, somos apresentados a um novo tipo de Caçadores de Sombras, os Centuriões, eles são treinados na Scholomance, uma escola em que a elite dos Caçadores de Sombra são treinados. Os Centuriões podem tratar com as Fadas, enquanto os Caçadores normais são proibidos pela Lei Fria. Nós conheceremos um dos Centuriões, Diego Rosales, uma pessoa do passado de Cristina.

“- Oi, Diego Perfeito.
- Preferia que não me chamasse assim.
- Prefere em vão.” Emma e Diego, p. 424

Ty gostaria de se tornar um Centurião, porém ele não é o jovem com o perfil que a Clave espera. Cassandra trabalha o mundo de uma perspectiva diferente por meio de Ty: ele é autista. Então, ele não atende aos rigorosos padrões de uma sociedade pautada pela hegemonia de crença. Caçadores de Sombras devem ser soldados, não devem possuir individualidade, ou aspirações para arte, ou fraquezas: tanto físicas quanto mentais. Arthur Blacktohrn, o tio das crianças, é outro exemplo do perigo de ser diferente em um mundo que espera que você seja perfeito. Eles têm uma sensibilidade diferente, precisam de uma compreensão mais suave, mas nem por isso são menos capazes de exercerem suas funções. Principalmente no caso de Ty: apesar de sua particularidade, ele ainda é capaz de ser um Caçador de Sombras. Tão ou mais habilidoso que aqueles que são apenas soldados. 

Então, Cassandra diversificou e aumentou ainda mais seus prospecto de Caçadores. Tornou-os mais humanos, o que é lindo. Fiquei muito feliz e espero poder ver mais dessas personagens incríveis em Lord of Shadows. Leiam, leiam, leiam e se apaixonem, assim como eu.

Uma Longa Conversa, o capítulo extra


Aqueles que conseguiram uma das 70.000 mil edições de colecionador, além de possuírem a capa holográfica, encontrarão, também, o capítulo extra narrado pela Clary num dia muito especial na vida de Isabelle Lightwood. Vocês saberão que dia é esse (spoiler), pois ele é citado no meio da história de Emma. E contará com a participação de todos os nossos adorados personagens de Os Instrumentos Mortais! Último aviso, tenha coragem para ler os spoilers!








Sessão das Quotes

“- E se eu encontrei por acaso com Rook, digamos, no Mercado, e ele passou informações enquanto conversávamos, e eu, acidentalmente, deixei cair algumas notas? Quem pode chamar isso de ‘comprar informações’? Apenas dois amigos, um, descuidado com fofocas, e a outra, descuidada com as finanças...” Emma, p. 26

 “-Cristina, eu te amo. Eu me caso com você. Caso com você.
- Minha mãe já escolheu quem vai se casar comigo, lembra? Imagine o que ela diria se eu levasse você para casa. 
- Não acha que ela gostaria mais de mim do que do Diego Perfeito?
- Acho que daria para ouvir os gritos de Idris.” Emma e Cristina, p. 33

“De muitas formas, Emma invejava Cristina pela fé que possuía. Às vezes, ela achava que as púnicas coisas em que tinha fé eram na vingança e em Julian.” Emma, p. 37

“- Julian iria querer que eu...
- Julian cortaria a própria mão se você pedisse. Isso não significa que você deva pedir. Vingança não é família, Emma. Não é uma amiga e é uma amante fria.” Emma e Diana, p. 48

“- Em primeiro lugar, que nojo. Por favor, não me mostre fotos de cadáveres sem aviso.” Malcom, p. 80

“- Piorou, não foi?
- O tio Arthur? Acho que não.
- Não Arthur. Você. Ela sabe sobre você?
- Quem sabe o quê?
- Não seja burro. Emma. Ela sabe?
- Pare com isso.
- Não paro. Gosto de finais felizes.
- Malcom, isso não é uma história de amor.
- Toda história é uma história de amor. [...] - Leis não significam nada, menino. Não há nada mais importante do que o amor. E nenhuma lei superior.” Malcom e Julian, p. 81

“- Não sei. Não consigo ouvir meu coração ou o que ele me diz. Só ouço o vento.” Mark, p. 144

“- Você me disse ‘fique com Emma’. Você me mandou ficar com ela, e eu fique. Somos parabatai agora. Cuidei dela por todos esses anos, e sempre vou cuidar, porque você me pediu, porque a última coisa que você me disse foi isso, porque...” Julian, p. 152

“- Você é magro demais. Muito café, poucas panquecas.
- Espero que escrevam isso na minha lápide.”, Emma e Julian, p. 228

“- A Caçada Selvagem era liberdade. E liberdade é necessário.” Mark, p. 283

“- E por que Tavvy está em um saco de açúcar?
- Ele queria entrar no saco de açúcar.
- Isso não significa que você deve coloca-lo em um saco de açúcar.” Julian e Mark, p, 328

 “- Você precisa entender. Julian faz tudo por essas crianças. Tudo. Nunca vi um irmão que é tanto como um pai. Ele não pode dizer apenas sim, ele tem que dizer não. Ele precisa lidar com disciplina, punição e negação. Enquanto você, você pode dar qualquer coisa. Pode se divertir com eles.
- Julian pode se divertir com ele.
- Não pode. Eles tá com inveja porque os ama, mas não pode ser um irmão. Ele tem que ser pai. Na cabeça dele, eles têm medo dele, e adoram você.
- Jules está com ciúme? De mim?” Cristina e Mark, p. 339

“- Somos ligados um ao outro, Emma, conectados; respiro quando você respira, sangro quando você sangra, sou seu e você é minha, você sempre foi minha e eu sempre, sempre pertenci a você!” Jules, p. 354

“Todo coração humano era acorrentado pelo amor.” Mark, p. 522


p.s.: todas as imagens foram retiradas do tumblr da Cassandra Clare

20 comentários :

  1. Meninas, parabéns pela resenha! Me vi no texto de vocês. Tive um caso de amor tão grande com esse livro que acho que só não ganhou de Princesa Mecânica (porque Tessa, Will e Jem são insuperáveis).
    <3

    ResponderExcluir
  2. eu preciso desse livro!!!!
    enfim, voltando a resenha
    adorei a maneira super hiper mega cientifica de resolver quem iria fazer a resenha... podia ter sido uma resenha dupla com a opinião das duas numa só.
    eu adoro o mundo criado pela clare e confesso que desde do pobre coitado ter sido arrancado pelas fadas eu fiquei esperando para ver como eles iriam resgatá-los
    sem falar na oportunidade de ver nossos caçadores favoritos (ou não pq o will e o jen tem um lugar no meu coração)
    eu disse que eu preciso desse livro?

    ResponderExcluir
  3. Que resenha fantástica!! Deu pra matar um pouco a saudade dos caçadores de sombras e conhecer os personagens que farão partes dessa nova aventura.
    Fiquei extremamente feliz por saber que seria esses personagens os protagonistas dessa nova série. E muito curiosa pra saber mais sobre essa família, todo o mistério envolvendo a morte dos pais da Emma e finalmente saber que rumo vai levar Julian e Emma. Como eles vão conseguir lidar com esse sentimento que sentem um pelo outro. Ainda mais sendo um amor proibido.
    Ansiosa pra conhecer o novo tipo de Caçadores de Sombras, os Centuriões :-)
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Aaah, Iza, quero tanto ler esse livro, só que ainda não li Cidade do Fogo Celestial, por isso estava até com medo de pegar algum spoiler dele na resenha, hehe.
    Eu estou enrolando para começar a ler porque não quero me despedir dos personagens, mas é bom saber que temos um pouquinho mais deles, e desse universo, em Dama da Meia Noite.
    Cassandra Clare, pelo jeito, continua uma MARAVILHOSA!
    Acho que até novembro vou ter lido o Cidade do Fogo Celestial e posso ler os contos que vão lançar.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  5. Fiquei louca quando vi essa capa no lançamento,é tão linda!Tem capítulo extra,é ainda mais especial.
    Não conheço esse universo,só vi alguns episódios do seriado Shadowhunters,então parabatai e outros termos são novos pra mim,essa trilogia é a que mais chamou minha atenção dos livros da Cassandra Clare.
    Quero muito ler,resenha mais apaixonada.

    ResponderExcluir
  6. To louca pra ler lady midnight! E todas essa nova série da tia cassie porém parei em cidade de vidro os instrumentos mortais e queria terminar todos antes de ler esse! Amei a resenha!

    http://lendocomela.blogspot.com.br/?m=0

    ResponderExcluir
  7. Oi Iza!
    Não li nenhum dos livros da Cassandra, então não entendo nada desse "universo", mas para quem é fã, pelo jeito a nova trilogia promete, hein?
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Fiquei tão feliz quando soube do lançamento deste livro.Amo as obras da Cassandra e quando soube desta que contia spoilers do ultimo livro da série dos instrumentos Mortais fiquei tão feliz.Continuar uma história no mundo dos caçadores é incrível .
    É linda a imagem de Emma e Julian.E os quotes estão incríveis amei a frase de Jules no final é tão profundo

    ResponderExcluir
  9. Oi, Iza.... quando li pela primeira vez Instrumentos Mortais fiquei alucinada, fiz uma tremenda propaganda pra Carol e ela se empolgou e foi ler. Amou. Se apaixonou mais que a minha pessoa. Li até o terceiro livro e parei, adorei a história, mas parei. Sem motivo. Vou reler os livros e ler os que não li, pq Dama da Noite me empolgou muito!
    A narrativa da Cassandra é ótima, e quando li pela primeira vez foi mágico. Me deu sentimentos parecidos aos que tenho lendo HP. xD

    ResponderExcluir
  10. Oi Iza, tudo bom?
    Ai, lá vem a rancorosa agora HAHAHAHAHAHA fiquei decepcionada com Lady Midnight, tenho que confessar. Igual CoHF, a Cassandra me vendeu um livro e quando fui ler, era outro. Não senti nem um pouco do drama absurdo entre os parabatai - ok que ela nunca vai chegar em Heronstairs, mas tinha me vendido Blackstairs como algo próximo disso. E aquela maldição xinfrin? Cassandra, sério que é ISSO que impede os parabatai de ficarem juntos? VOU DAR NA CARA DESSES PARABATAI.
    Uma coisa que eu amei adorei achei TUDO foi a relação familiar dos Blackthorn. QUER FAMÍLIA MAIS PERFEITA? Foram mais unidos que os Lightwood, mais amorosos que as Fairchild, gente, eu chorei umas cinco vezes com o Mark e o Ty e o Jules. E A DRU E O TAVVY QUERIDINHOS PRECIOSOS E A LIVVY TÃO. MARAVILHOSA. No que a Cassandra ferrou com o romance ela acertou em cheio com as famílias.
    E assim, Blackstairs me emocionou. Chorei com eles. Acho a Emma e o Jules almas gêmeas. MAS, DE NOVO, aquele final repetitivo e aquela baboseira de se afastar pra proteger. A Emma é aquela que desafia a clave, aquela que não baixa a cabeça pra nada - supostamente - e eu não senti esse espírito rebelde nela. Cassandra, apenas pare de falar uma coisa e escrever outra T_T
    EU AMEEEEEEEEEEI os personagens individualmente, e sim, adorei o ponto do preconceito que a Cassie tocou. O medo do Jules de deixar o Ty ir porque sabe que ele vai ser reprimido por uma sociedade julgadora quanto é a shadowhunter, achei fantástico.
    Sua resenha ficou incrível, Iza! A chatonilda aqui que precisou surtar com quem entende de Cassandra HAHAHAHAHAHA

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://www.queriaestarlendo.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi :)
    Sou apaixonada pelo mundo que a Cassandra Clare criou e é tão bom para os fãs quando o(a) escritor(a) faz mais livros sobre esse mundo. Quando eu li Cidade Do Fogo Celestial eu me encantei de cara com a Emma e com o Julian e fiquei tão feliz quando soube dessa série que não via a hora de poder lê-la. Porém eu odeio spoilers e acho que vou esperar os contos serem lançados.
    Amei sua resenha, super completa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Sempre tive vontade de entrar no mundo da Cassandra Clare e descobrir o que é que ela tem que todos que leem ficam apaixonados e fanáticos por ela. então, no mês passado comecei a ler cidade dos ossos, estou lendo bem aos pouquinhos mesmo pq estou com ele em ebook e sou meio lerda lendo pelo celular, preferirão o físico. Só não comprei ainda pq quero o box holográfico e ele esgotou :/
    Comecei a assistir a série da Netflix tb mas to achando meio diferente do livro, e olha que ainda estou na metade dele.
    Essa capa é maravilhosa e as edições holográficas dão um diferencial total ao livro.

    ResponderExcluir
  13. Olá, Iza!
    Amei a resenha (muito completa, por sinal), e quero muito ler esse livro. Tipo muito mesmo. Amo As Crônicas dos Caçadores de Sombras, e essa nova série parece ser incrível. Achei que esses novos personagens parecem muito bons, acho que a Cristina deve ser a melhor.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Nossa, que post bem completo, alem dos textos e referencias, todas as fotos, parabens! Eu to muito interessada em ler esse livro, apesar de nunca ter lido nada da Cassandra to bem curiosa pra ler.

    ResponderExcluir
  15. Ok, infelizmente não pude ler muita coisa porque estou fugindo de qualquer tipo de spoiler dele. É um livro que vale a pena não saber muito do que acontece pra ser ainda mais gostoso na hora de ler. Acho...
    O que vi e achei interessante é que ela parece ter mudado um pouco o tom da história. Tem mais coisas acontecendo, novidades e mudanças. Tudo bem que isso acontece nos outros livros, mas esse está com uma carinha bem diferente, achei. Até porque mudou o pessoal né. Mas agora não sei se espero lançarem esse do Simon...Seria legal ler ele e depois o de Dama, pra entender direito. Vishi :S

    ResponderExcluir
  16. Nunca li nada da Cassandra, por isso fico meio perdida, não conheço o universo hahaha apesar de todos os elogios é muito grande a série, já é o decimo livro né, e tenho muita preguiça disso. Mas acho as capas lindas.

    ResponderExcluir
  17. Agora eu entendo a disputa para escrever essa resenha...
    Gente, eu amo a escrita da Cassandra, ela é muito envolvente, e eu amo esse mundo que ela criou. E lendo a resenha da pra ver que ela conseguiu se superar nesse livro.
    Fiquei super curiosa para desvendar o enigma (eu gosto muito de mistérios) e achei genial a ideia do personagem autista, pois é como você falou, ela tornou os personagens mais humanos <3
    Fiquei super curiosa em relação ao envolvimento da Emma e do Julian e onde isso vai dar, e achei uma tremenda besteira os parabatai não poderem namorar :/
    Amei os quotes que você escolheu, principalmente o do saco de açúcar, dei altas risadas, e do dialágo entre o Malcom e o Julian, "toda história é uma história de amor".
    Amei a resenha e eu fiquei ainda mais animada para ler esse livro, e já quero ele pra ontem!!
    Beijo :)

    ResponderExcluir
  18. Já li tudo da autora, menos Cidade do fogo celestial, mas pretendo ler antes de começar esse.
    Amei que dessa vez a protagonista seja uma cassadora das sombras, e depois de seu elogios quero muito ler.
    PS: A capa é linda <3

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Agora fiquei ainda mais ansiosa para ler esse livro, assim que soube desse lançamento fiquei bem curiosa para poder ler essa historia, mas ainda tinha um pouco de receio por ser novos personagens, mas a cassandra conseguiu uma historia tão interessante como os outros livros delas e com personagens bem marcantes, fiquei bem curiosa para saber sobre esse acordo e com certeza irei ler esse livro !!

    ResponderExcluir
  20. Ai meu Deus, que livro maravilhoso é esse?

    Amei a resenha, Iza! Parabéns por ter ganhado o direito de fazê-la, sem dúvidas, uma oportunidade imensa pra falar de um livro tão fantástico. Amei tudo. A força da Emma, o lado obscuro do Jules (será que ele vai pro lado negro da força?)Os personagens secundários... As possibilidades que ficaram em aberto, uma resolução pro mistérios que atormentava Emma desde a morte dos pais, uma possibilidade diferente para o tão encantador Mark...Não vejo a hora de ler o próximo.

    beijo

    https://revelandosentimentos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook