Guerra Civil - Edição Especial

Autor: Stuart Moore
Título original: Civil War
Tradução: Michele Gerhardt MacCulloch
Editora: Novo Século
Páginas: 400
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa

Sinopse: Capitão América. Homem de Ferro. Dois super-heróis que dedicaram suas vidas ao bem-comum. Companheiros em inúmeras batalhas. Pilares dos Vingadores. Amigos. Até o fatídico dia em que tudo desmoronou.
Uma terrível tragédia deixa um saldo de centenas de mortos na cidade de Stamford, Connecticut. Após o ocorrido, o governo norte-americano sanciona uma lei que exige que todos os heróis revelem sua identidade.
O Homem de Ferro apoia a decisão do governo, ainda que a contragosto. Capitão América, por sua vez, considera isso uma agressão inaceitável à liberdade cívica, e acaba se rebelando.
A cisão entre os super-heróis é inevitável.
Baseado nas HQs que redefiniram o universo Marvel, este romance arrebatador apresenta uma trama densa e imprevisível, confrontando dilemas éticos, morais e políticos. Agora apresentado em edição especial exclusiva, Guerra Civil é sucesso de público e crítica em todo o mundo.
Reflita, entenda as consequências, compare os argumentos. A decisão tem que ser tomada.

Hoje eu vou falar de um dos maiores sucessos da Marvel na forma de romance: Guerra Civil. Eu comprei a edição especial da história publicada pela Novo Século na última Comic Con porque ela simplesmente estava linda demais. Essa edição especial é em capa dura, com alto relevo, um pôster duplo (que pode ser destacado do livro - não tive coragem de destacar ainda) e uma diagramação bem cuidadosa com detalhes do Capitão América e do Homem de Ferro entre as divisões de capítulos. Embora seja linda, o preço é salgado, e por isso a editora também publicou uma edição mais econômica (sem capa dura e pôster). #ficaadica

Para quem não tem o hábito de ler as HQs (histórias em quadrinhos) originais, mas tem o desejo de conhecer melhor a história antes do lançamento do filme Capitão América: Guerra Civil, o livro da Novo Século é uma ótima opção! Até porque o autor, Stuart Moore, apresenta os heróis, os anti-heróis e os vilões de forma que mesmo que nunca leu antes saberá quem é o personagem. Às vezes ele até conta experiências vividas em outras histórias, mas que conecta os personagens entre si e com o momento atual da Guerra Civil.


Devo salientar porém que o livro não é como as HQs. A Camis fará um post na próxima semana (fiquem atentos!) para que todos possam compreender um pouco melhor sobre esse universo da Guerra Civil dentro da Marvel, mas tentarei resumir alguns pontos principais aqui.

A série de quadrinhos Guerra Civil foi formada oficialmente por sete edições, mas além desses volumes também foram publicados inúmeros títulos de heróis e anti-heróis como Quarteto Fantástico, O Incrível Homem-Aranha, Wolverine, X-Men, Mulher Hulk, DeadPool, Pantera Negra, Ms. Marvel, O Justiceiro, entre vários outros que complementam a história oficial. E após o fim da narrativa, ainda temos alguns milhões de epílogos e extras salientando diversas consequências aos atos durante a história.

Sendo assim, é impossível para uma pessoa escrever um único livro que irá apresentar mais de 150 HQs envolvendo diversos focos. Mas acredito que o romance adaptado por Stuart Moore pegou as principais cenas e desenvolveu os principais protagonistas da história original.


Tragédia em Stamford

O enredo é algo simples e altamente complexo ao mesmo tempo. Tudo começa com um terrível incidente na cidade de Stamford, Connecticut. Um grupo de herói iniciantes querem aumentar a audiência do reality show que participam e por isso decidem capturar alguns vilões barra-pesada em frente às câmeras. Mas as coisas não saem como esperavam e no fim uma super explosão do super-vilão Nitro (cheio de explosivos) mata mais de 900 pessoas, incluindo os heróis novatos, os cameraman, crianças e professores em uma escola, além de alguns transeuntes desavisados.

Essa tragédia é a última gota d'água para eclodir o medo em toda a população de seres humanos comuns de que a próxima luta entre super-heróis e super-vilões poderá ter estragos ainda maiores. Assim, o governo americano decide criar uma lei que obriga todos os heróis em atividade a se registrarem e revelarem suas verdadeiras identidades ao público. Em troca, os heróis passariam a ser funcionários do governo americano com salário e benefícios remunerados.

A questão é simples e ao mesmo tempo complexa. Ao mesmo tempo que o registro possibilitará um controle maior sobre a comunidade super-humana, também entra em pauta a questão de que, como são funcionários do governo americano, os heróis passarão a receber ordens de quem devem combater também. Será que a imparcialidade dos heróis deixará de existir? Quem seria considerado vilão por Washington?


O Homem de Ferro, depois do incidente de Stamford, acredita piamente que o registro é a melhor forma de fazer a população voltar a confiar nos heróis ao mesmo tempo em que os novos heróis ganham um treinamento necessário para agirem situações em crise.

Em contrapartida, o Capitão América se recusa completamente a prender heróis que há anos vivem salvando as pessoas por se recusarem a revelar a verdadeira identidade. É assim então que o Capitão se torna um fora da lei e os heróis que compartilham de sua ideologia ou simplesmente não querem revelar seus nomes se juntam e criam a Resistência.

-Nunca entendi esse fetiche por identidade secreta - admitiu Reed. - O Quarteto Fantástico é conhecido do público desde o começo, e sempre funcionou para a gente.
-Para vocês, talvez. - Homem-Aranha sentiu a claustrofobia, o pânico, crescendo dentro dele novamente. - Mas e se um dia eu chegar em casa e encontrar a mulher que me criou empalada em um dos tentáculos do Doutor Octopus?
Reed Richards e Peter Parker, p. 75

Como está sendo procurado pelas autoridades, Capitão América e seus seguidores devem seguir sempre nas sombras e com descrição, mas isso não os impedirá de continuar a ajudar as pessoas que estiverem em apuros.
Infelizmente, Tony Stark (Homem de Ferro) utilizará disso e criará armadilhas para tentar fazer o Capitão e sua equipe se registrarem ou serem presos, sempre mantendo algumas cartas polêmicas na manga.

A armadura de Tony deu um estalo quando o microcontrolador do ombro esquerdo finalmente travou. Ele levantou, olhou em volta. Isso é ruim, pensou. Danos de milhões de dólares. E a Resistência vai lutar até que seu último membro caia.
E, então, pela primeira vez, ele sentiu um tipo diferente de desespero. A mais profunda e íntima tristeza. Foi longe demais, ele se deu conta. Tudo isso. Não tem como voltarmos atrás, como desfazermos as feridas, apertarmos as mãos em mútua admiração. Não nos uniremos mais contra Galactus ou Doutor Doom. Não agora. E nem nunca mais.
Acabou.
Homem de Ferro, p. 361

A cada armadilha, a cada traição, a cada batalha, os dois líderes se afastam cada vez mais tornando a situação cada vez mais difícil de se resolver amigavelmente. Capitão não aceita a prisão de heróis que salvam vidas simplesmente por escolherem se manterem escondidos, enquanto Tony Stark não é capaz de notar quão errado são algumas de suas ações para obrigar os heróis a se registrarem.

-Bem, eu não dou a mínima para o que você vai fazer com aqueles palhaços. - Apontou para Falcão e Miss Marvel. - Mas tenho um recado dos X-Men: somos neutros. A comunidade mutante vai ficar de fora dessa sujeirada.
Wolverine, p. 48

Enquanto alguns heróis (como os X-Men) decidem ficar neutros e escondidos, a maior parte da classe de meta-humanos estará se debatendo entre as escolhas que deverão fazer. Muitos mudarão de lado ao longo da história, muitos serão presos e alguns perderão a vida nessa luta que chega a parecer sem sentido em certos momentos. 
Quero dar um destaque para o Quarteto Fantástico e o Incrível Homem-Aranha que têm papéis importantíssimos ao longo da saga da Guerra Civil e são os maiores responsáveis pelas mudanças da maré de cada lado.

-Não foi uma noite tão ruim - comentou Sue. - Evitamos que um homem fosse morto.
-Talvez ele merecesse.
-Talvez. - Ela sorriu para ele, e respirou fundo o ar noturno. - Mas isso não cabe a nós decidir, não é mesmo?
Susan Richards e Johnny Storm, p. 246

Gostei muito da importância que o escritor deu à Susan Richards (Mulher Invisível do Quarteto Fantástico). Ela é a personagem que muda toda a maré da história de fato. Seus poderes e sua influência em outros heróis é altamente percebível - não é à toa que ela é considerada o coração que mantém o Quarteto Fantástico unido. 


Apesar de ser um ótimo romance para iniciantes no universo Marvel, aqueles - como eu - que já conhecem a história podem ter certas dificuldades porque Stuart Moore acrescenta algumas cenas não existentes no original e muda alguns protagonistas de certas batalhas importantes. Por exemplo, o Hércules (filho do deus grego  Zeus) derrota um personagem de destaque na HQ, só que no romance o autor colocou o Homem-Aranha derrotando o personagem de destaque. Acredito que Stuart quis dar um status maior ao herói aracnídeo e mostrar quão forte e necessário ele é. E o Invencível Homem-Aranha realmente é tão importante na história que foi sensacional conseguirem colocá-lo no filme. Mas, na minha opinião, algumas cenas do livro foram desnecessárias.

Outra questão que não me agradou muito é que o fim aparentemente é um final feliz. Ele não mostra como a Guerra Civil afetou drasticamente milhares de heróis - incluindo os que não são americanos. Após a guerra, você tem muitas HQs mostrando as consequências de algumas escolhas e algumas traições. Relacionamentos de anos são abalados e é impossível voltar a ser como eram antes. Amigos foram perdidos e alguns nunca mais serão recuperados. Muitos arrependimentos surgiram ao fim e não terão conserto.
O sucesso da saga Guerra Civil se deve a esse drama pesado até então não tão comum de ser encontrado no universo Marvel.
  
Agora, falando de uma aspecto totalmente pessoal, eu não achei legal a forma como o autor descreveu o Homem de Ferro. Veja bem, tenho certeza que todos que leram as HQs são #TeamCap. Não conheço ninguém #TeamIronMan. Acredito fielmente que isso se deve ao fato de que Tony Stark (Homem de Ferro) é um cientista maluco sem ética alguma, egoísta, ex-alcoólatra, e sem capacidade de liderar as pessoas - muito menos super-heróis.
Nas HQs, quando Tony Stark vai incentivar um grupo de super-heróis ele acaba deixando todos decepcionados e depressivos. Ele não é uma figura cativante.
Infelizmente Stuart Moore coloca o Homem de Ferro como um líder na mesma categoria que o Capitão América como personagem e líder. 

Quero que entendam que o Capitão é um menino de ouro. Ele vê esse registro como uma atitude fascista do governo americano para controlar a comunidade de super-heróis (e não está errado). Tudo que o Capitão e seus seguidores desejam é salvar as pessoas e eles serão caçados por causa disso.


Aproveitando para citar um pouco o filme Capitão América: Guerra Civil que estreia na próxima semana, já aviso vocês que a história não será fiel ao original. Os criadores disseram que algumas mudanças seriam feitas, como a tragédia de Stamford que foi o pontapé inicial para o início da Guerra Civil. Outra triste mudança será a falta do Quarteto Fantástico na história. Infelizmente, os direitos dos X-Men e do Quarteto Fantástico pertencem à Fox. Enquanto o filme do Capitão América está sob a direção da Walt Disney Studios.
Mas tenho fé nas criações da Disney - que não me decepcionaram até hoje - e espero muita qualidade também.

Aproveite para assistir ao trailer de Capitão América: Guerra Civil.








******




18 comentários :

  1. O filme é um dos mais aguardados e espero muito ver.Fiquei triste por não aparecer o quarteto fantástico :(,um amigo meu leu o livro e contou a mim sobre ,e espero que o filme seja incrivel como o livro . Não sou muito fã do Homem de Ferro sou mais Capitão América ♥ e acho que ele é o que esta correto nesta história,acho ridículo o governo impor esta lei dos heróis revelar suas identidades,como também as artimanhas do Tony para que isso aconteça.Amo Stan Lee um dos criadores de grandes e maravilhosos heróis que assistimos,lemos até hoje.Espero ler esta obra do Stuart Moore que parece ser excelente

    ResponderExcluir
  2. Adorei saber da existencia desse livro!
    Adorei a resenha dele, Capitão América e Homem de Ferro são hérois da Marcel que eu mais gosto, pena que nessa edição eles não trabalham junto e sim brigam. Editora Novo Século arrasando com esses lançamentos.

    ResponderExcluir
  3. Hum,edição especial,não tinha visto essa ainda.
    Na verdade quero mais ver o filme do que ler,mas é legal conhecer da onde veio a obra e entender as referências e as diferenças.
    Vendo a resenha só aumenta minha certeza que sou TeamCap!

    ResponderExcluir
  4. Oooi!
    Super heróis, marvel, hqs não são muito lá a minha praia mais como existe milhares de hqs com minhares de personagens é dificil não se indentificar e gostar de algum porém capitão américa e o homem de ferro não é um deles. Com tanta propagando do filme fica dificil não querer assisti-lo, quem sabe eu não começo a me amarrar nesse lance de super herói?
    Bjs.xx

    ResponderExcluir
  5. Oi Carolina!
    Adoro super heróis e sempre assisto aos filmes, mas confesso que não tenho o hábito de ler os Hqs. Fiquei com muita vontade de ler esse em especial por que sei que as adaptações tendem a ser um pouco diferentes dos livros e pelo que fiquei sabendo vai faltar alguns personagens que gosto muito na adaptação :/
    Essa edição está lindíssima mas muito cara. Vou acabar comprando a versão mais barata mesmo.
    Com certeza irei ao cinema torcer por Capitão América, hehehe!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Oi :)
    Li uma HQ na vida e não gostei nenhum pouco então fiquei só nos livros mesmo. Não costumo gostar também de super heróis e a estória desse livro não me agradou muito. Já o filme eu pretendo assistir pois eu amei o filme Batman vs Superman mesmo levando um preconceito de que não iria gostar, e também pois eu adorei o trailer de Guerra Civil.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Carolina!
    Não gosto dessas histórias da Marvel/DC, nunca me interessei por elas :/ Entretanto, quando se trata de um livro, as coisas são outras. Até agora só vi resenhas positivas e confesso que me deixou um pouco curioso, haha.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Eu não sei o que está acontecendo comigo, mas tô ficando louca por heróis. E fiquei muito interessada nesse livro e semana que vem vejo o filme. kkkkk Como não leio HQ nem me importo por adaptações fieis. hehehe

    ResponderExcluir
  9. Carooooooool
    Eu tinha escrito um comentário grandão, mas não foi.
    OK, VAMOS LÁ DE NOVO.
    Como você já tinha me dito por conversa que esse livro era bom, quero ler Guerra Civil, porque eu confio no seu gosto literário, ainda mais porque eu nunca li nada das HQs.
    Eu gosto muito dos dois, nem sei para quem torcer nos filmes. Só que você disse que nas HQs o Tony Stark era idiota, então eu torceria para o Capitão. É que os dois são tão lindos, sabe, que é difícil escolher um só, hahaha.
    Eu adoro filmes e histórias de super-herois, então VAMOS LÁ!
    Assim que eu ler, te falo o que achei para a gente comparar opiniões.
    :D

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  10. Nunca li uma HQ porém sou completamente louca pelo Homem de ferro, ele é o meu herói favorito! Gosto de personagem sarcásticos, ele claramente é kkk Admito que não sou muito fã do capitão América não, acho ele entediante.
    Estou louquinha para ir assistir ao filme ainda nos cinemas. Sem duvidas, se for p um dia eu ler uma HQ será essa!

    ResponderExcluir
  11. eu tô paquerando com essa HQ, não costumo comprar HQ por mera questão de falta de verbas, mas essa edição especial merece eu juntar meu dinheiro para comprar (normalmente eu leio dos amigos/primos... =D )

    ResponderExcluir
  12. Oi. Eu ja sabia a história original e sabia que nao ia ser igual no filme, tem umas boas diferenças das hqs. Mas é #TeamCap temos que torcer pelo que é certo, nao pelo que é ''mais legal''. haha Nao to querendo muito ler a HQ agora, quem sabe no futuro. Agora so quero saber do filme hahah

    ResponderExcluir
  13. Oi, Carolina! Tudo bem?

    Eu li este livro porém, não a versão capa dura, mas o mesmo enredo.
    Eu gostei demais e achei o livro incrível!
    As ações que compõe a obra são perfeitas!

    Gostei muito de ter lido! :)

    Beijos!
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
  14. Não sei se leria porque não li hq e nem vi aqueles filmes direito, então iria ficar boiando em muita coisa da história. Mas achei legal porque pra quem é fã e quer conferir o novo filme, está aí uma dica de leitura interessante e diferente de hq. E parece que cumpre o papel, mostra bastante coisa da história e a trama é bem trabalhada, É uma ótima dica =)

    ResponderExcluir
  15. Ainda não assisti ao filme, e amei essas edições de livros da NS, a edição está linda, cheia de imagens, pretendo ler com certeza.
    Team homem de ferro <3

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Ainda não assisti ao filme e vendo você falar sobre o livro fiquei realmente bem interessada nessa historia, ainda mais sabendo que no livro temos os X-Men e O Quarto Fantástico e adorei essa edição especial está incrível !!

    ResponderExcluir
  17. Eu gosto muito do universo da Marvel, apesar de nunca ter lindo os HQs (coisa que pretendo começar a fazer), e achei bem legal essa ideia de tentarem resumir os HQs nesse romance.
    Apesar de não ter lido os quadrinhos, eu conheço muito da história da Guerra Civil, e por isso que eu digo que é uma pena que eles mudaram certas coisas de acordo com a história original. E por falar em mudanças, eu ainda não assistir ao filme mas também pretendo fazer isso em breve.
    E realmente, ssa edição está linda, a Novo Século arrasou!!
    Ah, eu também sou #teamcap <3
    Beijo!

    ResponderExcluir
  18. Olá, Carol!

    Você acha que um guri de 13 anos, que gosta de quadrinho mas nunca leu nenhum de herói, poderia gostar deste exemplar?

    bj

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook